Olhando aos eu redor na natureza, você acredita que os ramos, folhas, frutos e flores crescem de forma aleatória e a esmo. A verdade é que todos os pontos em que cada ramo, folha, caule, raiz ou pétala que crescem, foram estabelecidos de acordo com leis fixas e medidas milagrosamente precisas da geometria sagrada. Existem padrões geométricos em todos os lugares no mundo natural, e esses padrões são chamados de seqüência de Fibonacci. Esses padrões também aparecem nos animais, seres humanos, ondas do mar e nas galáxias.

A sequência foi descrita pela primeira vez pelos antigos matemáticos indianos centenas de anos antes do nascimento de Cristo, mesmo assim ela recebeu o nome do matemático italiano Leonardo de Pisa, que foi mais famosamente conhecido como “Fibonacci”. Foi o livro de Fibonacci “Liber Abaci”, publicado no início do século 13, que introduziu esta sequência mágica da natureza no mundo ocidental, mas ela já era conhecida por séculos nas antigas escolas de mistério do Oriente. A natureza ama a simetria.

De Cristóbal Vila, a “Natureza dos Números” é uma belíssima visualização da sequência de Fibonacci na natureza.

A seqüência de Fibonacci é tão simples que é quase desconcertante. Aqui, cada número é criado pela soma das duas anteriores, por isso, a partir de 1 1 2 3 5 8 13 21 … continua até ao infinito. A seqüência de Fibonacci é tão persistente na natureza, que é um desafio encontrar uma estrutura de planta ou fruto que não siga essa sequência. Por exemplo, a colocação das folhas ao longo de uma haste é regida pela sequência de Fibonacci, assegurando que cada folha tenha um acesso máximo à luz solar e a chuva. O mesmo princípio está no trabalho na formação de pinhas, girassóis, abacaxis e cactos. A Razão Áurea, que você já deve ter ouvido antes, é apenas mais uma manifestação da sequência de Fibonacci.

Todas as plantas são geométricas de um jeito ou de outro. Contudo, existem plantas cuja geometria é muito mais pronunciada do que os outras. Aqui estão alguns exemplos famosos.

Brócoli Romanesco
Cactus ‘Templo de Buda’
Aloe polyphylla
Dália
Girassol
Repolho roxo
Pelecyphora aselliformis
Sedioides ludwigia
Lobelia deckenii
Angélica
Suculentas
Folha da Vitória Régia
Drosophyllum lusitanicum
Hoya Aldrichii
Hoya Pubicalyx
Hoya Kerrii
Cactus cérebro
Camélia
Viola Sacculus
Pinha
Flor de Maracujá
Begônia espiral
Alstroemeria pelegrina
Aeonium tabuliforme
Agave angustifolia
Heliconia rostrata
Genus Saxifraga
Flor simétrica desconhecida
Crisântemo

A geometria sagrada está em tudo que vemos na natureza. Deixe seu comentário.

DEIXE UMA RESPOSTA