A moda jeanswear costuma poluir o meio ambiente durante o seu processo de fabricação, e a marca Patagonia está querendo mudar isso com sua nova coleção de jeans sustentáveis. Composta por 100% de algodão orgânico cultivado sem fertilizantes sintéticos, pesticidas ou herbicidas, a relançada linha “Patagonia Denim” usa corantes ambientalmente sensíveis que se fixam mais facilmente na fibra, e emprega 84% menos água e 30% menos energia do que os meios convencionais.

São ao todo seis estilos, sendo três para os homens e três para as mulheres, e são construídos utilizando certificados de comércio justo e a empresa paga um prêmio aos trabalhadores para que podem usá-lo para melhorar suas comunidades e elevar seu padrão de vida. O Comércio Justo é uma das maneiras que a empresa está tentando melhorar a vida de todas as pessoas que fazem os produtos da Patagonia. Legal né? Quantas empresas na indústria da moda fazem isso? Eu escrevi em outro post sobre a coleção de malha sustentável da Patagonia veja aqui.

O algodão convencional é uma das culturas mais sujas no planeta. Os produtos químicos sintéticos utilizados para fazê-lo crescer poluem a água e o ar. O plantio do algodão orgânico não utiliza sementes transgênicas ou produtos químicos sintéticos, em vez disso utiliza soluções baseadas na natureza para gerir pragas e construir um solo saudável. Desde 1996, a Patagonia usa algodão cultivado organicamente.

AZUL VERDADEIRO

O denim resultado, de acordo com a Patagônia, é rico em cor, sem precisar recorrer a pesticidas, fertilizantes sintéticos, jateamento e branqueamento, nem a desumanidade da exploração dos trabalhadores .“O denim tradicional é um negócio sujo,” diz Helena Barbour, diretora da unidade de negócios da Patagônia. “Isso nos levou a mudar a maneira como nossos jeans são feitos.” A Patagonia queria sacudir o status quo, que é tipicamente o uso intensivo de recursos, pois é ambientalmente destrutivo.

A marca esportiva eco-consciente Patagonia lança linha de jeans sustentáveis stylo urbano-1

“Queríamos encontrar uma solução alternativa para o método padrão de tinturamento de índigo que são empregados tradicionalmente para criar o denim”, disse Helena Barbour. “Foram necessários vários anos de pesquisa, inovação, experimentação e erro, mas o resultado é um novo caminho para o denim. Estamos esperançosos de outros fabricantes pelo mundo todo sigam o exemplo e ajude-nos a mudar a indústria do denim.”

Seria muito bom mesmo que a indústria de jeans do Brasil copiasse esse exemplo pois o meio ambiente agradece.

DEIXE UMA RESPOSTA