No dinâmico cenário atual, Inteligência e Interatividade são os valores de relevante influencia que cimenta o futuro do mundo têxtil, um dos mercados mais promissórios no desenvolvimento cientifico atual. Como nunca antes, o chamado “Smart Textil”  inspira uma revolução de materiais e tecnologias sem precedentes que modificará profundamente a forma como abordamos os desafios e mega tendências da industria têxtil orientados a um mercado inclusivo e interativo, onde a Funcionalidade e Sustentabilidade prevalecem.

“Smart Textil”  é o ponto de interseção que incorpora o multidisciplinar e multissetorial em  diversas industrias tais como a Têxtil, Cosmética, Farmacêutica, Saúde e Arquitetura; e integra brilhantemente a microeletrônica com a nanotecnologia. É uma industria que estadisticamente representa $4.7 bilhões de dólares e com um potencial inestimável de evolução nos anos por vir em importantes mercados.

Este inovador cenário está nos proporcionando um estoque inesgotável de ideias e soluções engenhosas durante décadas; é assim como identificamos as grandes origens desta visão tecnológica, inovativa e sustentável, por exemplo no mundo esportivo, nos Jogos Olímpicos da antiguidade realizados em Olímpia, na Grécia, do século VIII A.C. ao século V D.C., os atletas competiam nus para ter um maior controle do corpo e atingir seu melhor desempenho graças a sua pele, o sofisticado órgão humano que inspirou as origens das fibras inteligentes e interativas  como também os tecidos funcionais cimentado no principio de ” O TECIDO É NOSSA SEGUNDA PELE” o qual é vigente até os nossos dias.

A moda na era das metrópoles por Liliana Rúbio stylo Urbano

Mas foi no século XIX, onde o  Barão Pierre de Coubertin fundador do Comitê Olímpico Internacional (COI) em 1894 com seu lema ” CITIUS – ALTIUS-FORTIUS” que significa mais rápido, alto e forte,  que se consegue consolidar  o profundo impacto que a evolução dos tecidos tem tido no desenho e nos avanços tecnológicos fortemente voltados a  atingir esse melhor desempenho de nossas funções corporais, físicas, mecânicas e químicas para o desenvolvimento de roupas mais sofisticadas, inteligentes e interativas que mimetizam e potencializam as funções naturais da pele humana, um campo revolucionário de inovação onde fatores tais como peso, forma, gerenciamento térmico, gerenciamento de umidade, proteção e saúde, e até o estado psicológico são altamente relevantes e motivos de estudo.

O futuro das diversas aplicações da industria Têxtil centra seus fundamentos nos pilares de conectividade e convergência, incorporando a mega tendências, princípios da biomimética, personificação e desenho eco têxtil, eco eficiente e sustentável; tudo isto dentro do cenário multissetorial e interconectado onde o mercado e consumo estão orientados a: Menor Tempo, Menor Esforço, Menor Movimento, o qual reflete em negócios lucrativos e sustentáveis.

Importante ressaltar que muitos dos avanços são inspirados na biomimética, uma área da ciência que tem por objetivo o estudo e a observação minuciosa das espécies vegetais e animais da natureza, suas estruturas biológicas e das suas funções e mecanismos. Assim mesmo “e-Textil” integra nanotecnologia e microeletrônica à micro comunicação como sensores de interface, processamento e cabeamento, micro geradores de energia; superfícies de nanoengenharia como fibras condutivas, fibras anti-microbiais, fibras infravermelhas e  micro interfases ou também chamados de microssistemas de sensores para detectar estados físicos como movimento, fatiga e sinais vitais.

Neste século de conectividade e convergência onde toda funcionalidade está em função do tempo, preferências e demandas comportamentais e mercadológicas tornam evidente a urgência em desenvolvimentos relevantes que são todos aqueles que envolvem biométrica, sensores e polímeros ativos, inteligência e interatividade. Tecer em função da sinergia entre inteligência de materiais e novas oportunidades. O potencial da nova abordagem no mundo têxtil é o caminho ao êxito sustentável e inovativo das nossas organizações.

Texto escrito por Liliana Rúbio, engenheira química, Mestre em Gestão e Execução de Projetos de Inovação e fundadora de PMO Polymer Business Intelligence, escritório de projetos de inovação e do Ecosistema BioSmartTex para o desenvolvimento de projetos desde a criação até o produto final na Moda. No video, Liliana fala sobre os tecidos inteligentes na arquitetura. Saiba mais em sua página SmartTex Hub.

DEIXE UMA RESPOSTA