Vamos imaginar que não existem mais modelos de moda e que estão em empregos completamente diferentes agora. No entanto, a indústria da moda continua a funcionar pois alguém precisa nos apresentar as “novas tendências” da moda. A indústria da moda global tornou-se inteiramente digital por causa da modelagem virtual 3D e outras tecnologias. Nesse cenário futurista, como seriam esses desfiles de moda e como as modelos se comportariam? Aqui a seguir os meus melhores palpites.

Desfile holográfico

Os hologramas já foram empregadas pela primeira vez em 2006 num desfile de Alexander Mcqueen onde uma projeção da modelo Kate Moss aparecia como uma fada flutuando dentro de uma pirâmide e durante desfiles de moda de Stefan Eckert, Burberry em Xangai, bem como a LVMH em 2014 durante um desfile em Paris de Raf Simons. A Musion é uma empresa especializada na criação de efeitos visuais holográficos e seus hologramas podem exibir gravações de pessoas reais ou modelos em 3D.

Os hologramas também podem ser exibidos em locações reais, como a Ralph Lauren fez em 2010, e repetiu a dose durante a apresentação de sua coleção feminina de primavera/verão 2015 no Central Park em Nova York. Este holograma para a Ralph Lauren Polo foi criado por empresa  MPC.

Um modelo real ou em 3D?

Com a tecnologia gráfica atual podemos dispensar completamente a presença de figuras humanas e substituí-las por modelos 3D. Desde o filme “O Curioso Caso de Benjamin Button,” tudo é possível para a produção de filmes e pós-produção.

Artistas que trabalham para os estúdio de Hollywood são capazes de criar digitalmente caracteres que não podem ser distinguidos dos seres humanos. Por que não utilizá-lo na indústria da moda? Olhe a perfeição da textura da pele e a fisionomia que os programadores conseguiram dar a esses rostos virtuais.

A coleção pode ser criada por um talentoso modelador de estúdio, que cria personagens em software perfeitos, como que aparece no vídeo abaixo. Depois de pronto, os modelos podem ser facilmente utilizados tanto para hologramas, bem como filmes ou visualizações através do óculos de realidade virtual.

Todo mundo pode ser o rosto da Chanel, até você pode ser modelo

A tecnologia atual permite a criação de um modelo 3D até mesmo de uma fotografia, mostrando o enorme potencial da tecnologia. Por exemplo, você poderia criar o seu próprio modelo e vesti-lo com qualquer conjunto de roupas, de qualquer designer. Isso poderia acabar com a era das passarelas como a conhecemos hoje e os designers poderiam democratizar a moda sem sacrificar a mitologia que acompanha as semanas de moda.

A modelagem virtual 3D poderia um dia substituir a profissão de modelo stylo urbano-1

Supermodelo ou Android?

Usar robôs como modelos iria desmitificar totalmente a moda (ou talvez o contrário?). Figuras perfeitas desfilariam pelas passarelas vestindo roupas de grandes designers. Hoje está longe de ser impossível pois os japoneses são loucos por robôs humanoides o que chega a ser um pouco assustador, e os cientistas do Japão sempre apresentando ao público seus “bonecos vivos.”.

Estas idéias são em parte hipotéticas, mas eu acredito que algumas delas vão se tornar comuns em algum momento nos próximos 10 anos. No entanto, essa tecnologia vai levar à extinção dos modelos de verdade na indústria da moda? Eu não acho que isso vai acontecer tão cedo.

Nada melhor do que os filmes de ficção de Hollywood para nos mostrar as tecnologias do futuro que um dia se tornarão banais. No filme de 2002 “S1m0ne”, um diretor de cinema(Al Pacino) cria uma atriz virtual para tomar o lugar de uma atriz real que ele não conseguia encontrar para seu filme. Mas ele acabou descobrindo que essa atriz virtual se tornou mais popular do que ele esperava. Hoje os softwares conseguem fazer exatamente como no filme tanto na holografia como na modelo virtual perfeita.

DEIXE UMA RESPOSTA