A ideia de adicionar funções extras ao vestuário é uma realidade atual na indústria da moda e também nas escolas de design e artes. Neste sentido, a proximidade de setores artísticos nos vários campos da ciência e da tecnologia tem aumentado rapidamente, permitindo uma nova compreensão sobre materiais, padrões estéticos, formas, cores, e até mesmo o mercado.

A partir da nanotecnologia até a microbiologia, o alcance do desenvolvimento científico na moda é ilimitado. Então, nada seria tão natural quanto pensar nesses avanços em termos de soluções pró sustentabilidade, ainda mais considerando as discussões atuais em torno de questões ambientais e sociais.

Energia

A crescente demanda por energia é definitivamente um dos desafios mais críticos para o desenvolvimento sustentável. Esta questão crucial tem inspirado designers, cientistas e fabricantes para incorporar mecanismos diversificados nas roupas e tecidos, a fim de desenvolver peças que fossem por si mesmas fontes geradoras e retentoras de energia.

A abordagem mais direta para anexar painéis solares em roupas e acessórios foi abordada em diversos projetos como a  elegante blusa “Solar Shirt” criada pela estilista holandesa Pauline van Dongen que você pode ver com mais detalhe nesse link.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-1

Outro projeto é a bolsa de luxo Eclipse da Diffus movida a energia solar e que combina elegância, técnicas de bordado, bem como a utilização de células fotovoltaicas em uma única peça capaz de gerar energia suficiente para abastecer um smartphone.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-2

Com o mesmo objetivo de praticidade para carregar dispositivos como celulares e MP3, a Tommy Hilfiger lançou dois modelos de casavos para homens e mulheres que geram energia em movimento com seus painéis solares flexíveis embutidos na parte traseira.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-3

Poluição

Um dos efeitos secundários do nosso sistema industrial urbano é a poluição ambiental. Inspirados pela ideia de melhorar a qualidade do ar, o químico Tony Ryan e a designer de moda Helen Storey criaram o projeto, Catalytic Clothing, onde conversores catalíticos são aplicados sobre o tecido, e são capazes de destruir as moléculas poluentes transportados pelo ar e purificando-o.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-4

Além desse vestido dos dois pesquisadores criaram um denim ambientalmente amigável que remove as emissões nocivas no ar. Os jeans são revestidos com partículas de dióxido de titânio, que reage com a luz e ar para neutralizar o óxido de azoto, que é o poluente emitido por veículos e fábricas. Assim como os conversores catalíticos ajudam a reduzir a poluição, o jeans poderia ajudar a tornar o planeta mais limpo. Veja a matéria aqui.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-5

Desperdício

Cada vez mais existe a necessidade dos estilistas conhecerem todo o ciclo do vestuário, não só relacionado com o processo de produção, mas também com o que acontece com as roupas após o consumo pois 80% do desperdício de matérias primas que vão parar nos aterros poderia ter sido evitado durante sua faze de projeto.

Em termos de redução de resíduos, as soluções devem seguir os mesmos princípios, procurando técnicas que diminuem a produção dos resíduos gerados, bem como os resíduos após o consumo.

A tecnologia de impressão 3D poderá um dia revolucionar a indústria têxtil quando puder imprimir em larga escala tecidos biodegradáveis que possam de auto-reparar, ser super resistentes e livres de sujeira.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-8

Escassez de Recursos

Os recursos naturais são finitos e qualquer tipo de atividade humana têm de lidar com a possibilidade de escassez de recursos. Nesta área, a pesquisadora Suzanne Lee da Biocouture fez crescer suas próprias roupas, onde as peças são feitas com fibras de celulose geradas a partir de bactérias, criando uma visão de vanguarda para as matérias primas alternativas dentro da indústria da moda.

Em 2030, couros orgânicos poderão ser produzidos em larga escala nos laboratórios simulando qualquer tipo de couro animal e tecidos cosméticos cultivados poderão ser utilizados tanto para a medicina como na moda.

A tecnologia vestível de mãos dadas com a sustentabilidade stylo urbano-9

Apesar da complexidade do tema e as inúmeras discussões sobre se as tecnologias vestíveis poderão trazer benefícios reais para as questões ambientais e sociais, as constantes investigações e desenvolvimentos envolvidos podem (pelo menos) ser vistos como estratégias de pensamento e questionamento investigativo dos nossos atuais desafios fundamentais,pois essas idéias por si só valem a pena todo o tempo e esforço empregado.

DEIXE UMA RESPOSTA