Fundada em 2013 nos EUA, a Body Labs é uma startup tecnológica que utiliza um aplicativo de celular para fotografar ou filmar uma pessoa e depois modelar seu corpo em 3D de forma precisa com a ajuda de inteligência artificial. Com três diferentes programas em seu portfólio, incorporando diferentes graus de aprendizado de máquina e digitalização 3D, a empresa foi comprada pela Amazon por um valor estimado de entre US $ 50 milhões e US $ 70 milhões.

A plataforma de inteligência artificial SOMA da Body Labs foi programada para usar dados corporais e visão computacional, e assim permitir que empresas e desenvolvedores possam capturar o movimento e medir com precisão a forma 3D dos seus clientes. A tecnologia de modelagem da startups foi desenvolvida por Michael Black, professor de ciência da computação e engenharia elétrica na Universidade de Brown e do Instituto Max Planck.

Ela foi desenvolvida em resposta a um inquérito policial que procurou a ajuda de Balck para criar o modelo de um suspeito com base numa gravação de vídeo. Através da coleta de dados de milhares de exames de corpos humanos, Black e seus pesquisadores foram capazes de construir a inteligência artificial (IA) capaz de prever as proporções mais prováveis ​​de uma pessoa com base em uma fotografia sua, ou neste caso, um clipe de vídeo.

Com isso, eles criaram uma malha 3D do corpo, que é usado como base para todos API da Body Labs. O legal dessa tecnologia é que ela faz uma modelagem perfeita do corpo da pessoa através de uma simples foto ou vídeo. Isso tem uma enorme utilidade na produção em larga escala de roupas feitas sob medida.

Mais do que apenas design de moda

A tecnologia da Body Labs tem sido aplicada pela própria empresa no aplicativo de inteligência artificial SOMA que permite aos usuários digitalizar seu corpo para experimentar roupas novas, e o aplicativo MOSH para brincar com realidade aumentada.

A Body Labs digitalizou em 3D a dançarina Mela Murder e em seguida a vestiu com um kaftan da Coleção Primavera/Verão 2017 da marca Chromat, que estreou durante a New York Fashion Week em 9 de setembro de 2016. Mela foi digitalizada usando o sensor de estrutura occipital – um anexo para o iPad – que foi usado para capturar dados e textura de profundidade.

Os dados de profundidade foram então utilizados para processar o modelo 3D da Body Labs, usando seu software artificialmente inteligente em um modelo 3D completo. Com as exatas medidas do corpo da pessoa, a roupa pode ser projetada e fabricada sob medida.

Este teste mostra como é fácil montar personagens ou efeitos usando apenas uma câmera de smartphone para captura do movimento humano e criar um avatar sobre o corpo, o que é muito útil para animação e jogos.

Como a Amazon vai utilizar essa tecnologia?

Embora a Amazon ainda não revelou detalhes de como a tecnologia da Body Labs será usada na empresa, provavelmente será integrada no desenvolvimento do novo “personal stylist” Echo Look controlado pelo Alexa da Amazon, que já está recolhendo os dados do corpo usando sua câmera integrada e é capaz de dar conselhos de estilo.

Em uma escala maior, a tecnologia da Body Labs poderia ser aplicada para criar um padrão mais preciso na fabricação de roupas, o que seria perfeito para a Amazon aplicar em sua fábrica automatizada de roupas sob demanda, criando uma mudança bem-vinda para a maioria das pessoas que acabam encontrando tamanhos diferentes de roupas em cada loja.

DEIXE UMA RESPOSTA