A professora de Yoga, designer de jóias, ativista política e diretora adjunta do Ethical Fashion ForumAmisha Ghadiali, publicou em 2010 em seu blog um manifesto de 12 regras para se vestir de forma ética. A iniciativa surgiu quando ela percebeu que, embora as pessoas estavam se tornando cada vez mais conscientes dos problemas criados pela indústria da moda, a maioria não tinha ideia de como começar transformar o seu armário em algo sustentável. Com essas orientações simples e objetivas, Amisha nos convida a assumir a nossa responsabilidade, uma vez que: “A responsabilidade de mudar a moda é compartilhada entre a indústria, os governos e principalmente nós os consumidores.”

O que nós compramos e usamos faz uma grande diferença no que é feito. Ao redor da moda está se construindo um novo vocabulário com termos como “segunda mão”, “reciclado”, “orgânico” e “comércio justo”. É importante que nós começamos a compreender o que tudo isso significa porque este é o futuro da moda. Além de seu manifesto, Amisha compartilhou um guia onde você pode ir apontando a origem de suas roupas com o objetivo de se tomar mais consciente do que você compra.

As 12 regras para se vestir de forma ética de sustentável por Amisha Ghadiali stylo urbano-1

As 12 regras de se vestir por Amisha Ghadiali

Regra 1 – Pergunte a si mesma se você realmente precisa de algo novo

ou talvez seja tão simples como vestir algo que você já tenha de uma maneira diferente. Se você resolver comprar, pense como você irá combinar a peça.

Regra 2 – Teste e estabeleça um limite

Pense em quantas coisas você compra a cada mês ou ano. Dependendo da quantidade, reduza as suas compras a um terço ou mesmo a metade.

Regra 3 – Pesquisa sobre estilistas de moda ética

Cada vez mais estilistas estão comprometidos e com propostas para a moda ética feita de forma local e sustentável.

Regra 4 – Apoie os designers locais

em um mundo tão globalizado, é difícil para os designers locais competir com as grandes marcas de varejo famosas. Mas as coisas que eles criam são especiais, originais e poluem bem menos.

Regra 5 – Compre algo orgânico

e de novos materiais como cânhamo ou soja, já que são mais respeitadores do ambiente.

Regra 6 – Limpe seu armário

e doe ou troque o que você já não usa ou se encaixa no seu estilo.

Regra 7 – Quando você for comprar algo novo, pergunte

onde a peça foi feita e por quem. É uma maneira de descobrir a história por trás da peça e se os estilistas pensaram sobre isso. Você está ajudando a mudar a indústria lembrando-lhes que eles deveriam pensar nisso pois 80% dos problemas de reciclagem de roupas velhas poderiam ter sido evitados no momento de sua criação.

Regra 8 – Utilize sua máquina de costura.

E dê uma segunda vida para sua roupa velha. Máquinas de costura não são tão complicadas de usar.

Regra 9 – Quando você for compra algo novo, pense

quanto tempo que você usará a peça? É só um impulso ou você realmente precisa dela e para quê?

Regra 10 – Compre algo que vem do comércio justo

pois a certificação de comércio justo garante que os produtores foram pagos de forma justa e não explorados como mão de obra escrava.

Regra 11 – Alugue, tome emprestado ou faça troca-troca.

Estão surgindo mais e mais serviços de aluguel de roupas, venda de roupas de segunda mão, eventos de troca-troca de roupas entre pessoas (aquilo que é lixo para você pode ser luxo para outro) e aproveite.

Regra 12 – Divirta-se

poia a moda ética é para descobrir as histórias por trás da fabricação das roupas e mudar suas vidas para melhor, bem como ajudar o nosso planeta. Então, explore, experimente e desfrute.

As 12 regras para se vestir de forma ética de sustentável por Amisha Ghadiali stylo urbano-2

O que é Estilo Sustentável?  

Para Amisha Ghadiali, o Estilo Sustentável é conhecer os seus valores e expressá-los através de dia a dia. No mundo de hoje há tanta coisa a considerar pois nossas ações afetam as pessoas do outro lado do mundo e ao nosso ambiente natural. Eu acredito que o estilo real vem do coração, e expressar o amor que você tem para o mundo. Quando você vive em alinhamento como isto, você só quer fazer escolhas que iluminam intensamente o seu redor. Uma maneira que você pode fazer isso é através das escolhas que você faz sobre o que você veste.

“Futilidades vãs, como parecem, as roupas têm – dizem eles – funções mais importantes do que simplesmente nos aquecer. Elas mudam nossa visão do mundo e a visão do mundo sobre nós. (…) Assim, pode-se sustentar o ponto de vista de que são as roupas que nos usam, e não nós que as usamos; podemos fazê-las tomar a forma do braço ou do peito, mas elas moldam nosso coração, nosso cérebro, nossa língua, à sua vontade.” (Virginia Woolf – Orlando)

Tenho sido uma parte do movimento da moda sustentável ética na última década, e é realmente sobre como seu poder no mundo pode fazer a diferença e como ter uma boa aparência e aproveitar essa expressão ao longo do caminho. As escolhas que fazemos sobre o que vestimos tem o potencial de causar um impacto profundo.

“As roupas não vão mudar o mundo, as mulheres (e homens!) que as vestem vão.” Anne Klein

As 12 regras para se vestir de forma ética de sustentável por Amisha Ghadiali stylo urbano-3

Porque o que vestimos é tão importante?

* Existem mais de 80 bilhões de peças de roupa produzidas a cada ano. (Greenpeace)

* A produção de roupa e a indústria têxtil (vestuário, têxteis, calçados e artigos de luxo) alcançaram quase US$ 2,560 trilhões em 2010. (Global Textiles, Apparel & Luxury Goods)

* A indústria do vestuário é o segundo maior mercado do mundo, que perde apenas para a comida. (Ethical Fashion Forum)

* A indústria do fast fashion é a segunda indústria mais poluente na Terra, perdendo apenas para o petróleo. (Fashioning Change)

* O Conselho Britânico de Moda estimou que em 2009 a indústria da moda do Reino Unido contribuiu diretamente com £20.9 bilhões para a economia britânica. (BFC)

* A indústria da moda emprega um sexto da população mundial. (Fashioning Change)

* “Nós agora compramos 40% de todas as nossas roupas em lojas de varejo, com 17% do nosso orçamento gasto em roupas. ‘ (TNS Worldpanel – 2006)

* Os consumidores no Reino Unido têm um valor estimado de US$ 46,7 bilhões em roupas não usadas encostadas em seus armários. (WRAP)

* No Reino Unido sozinho 2,15 milhões de toneladas de roupas e sapatos são comprados a cada ano e mais de 1,4 milhões de toneladas de têxteis acabam nos aterros sanitários causando poluição. Fibras sintéticas como o poliéster não são biodegradáveis ​​e fibras naturais, como lã emitem gases nocivos, incluindo o metano. (TRAID)

* Pelo menos 8.000 produtos químicos são usados ​​para transformar matérias-primas em roupas, muitos deles são tóxicos pois poluem o meio ambiente e a água local e também causam danos duradouros para os trabalhadores. (Greenpeace)

* Uma única usina na China pode usar 200 toneladas de água para cada tonelada de tecido que tinge; muitos rios ficam tingidos com as cores da estação, pois os corantes tóxicos utilizados nas usinas não são tratados e descartados diretamente na água. (NRDC)

* 7 milhões de pessoas na África, Ásia e América do Sul que estão se beneficiando diretamente do Comércio Justo. (Fairtrade Foundation)

* Há 20.000 mortes por ano como resultado de envenenamento por pesticidas, muitos são os que trabalham na agricultura do algodão tradicional no mundo em desenvolvimento. (EJF)

* Se todas as marcas de fast fashion aumentassem os salários em um 1% dos lucros, 125 milhões de pessoas sairiam da linha de pobreza. (Fashioning Change)

A indústria da moda oferece uma incrível oportunidade de mudar as vidas das pessoas e nossa relação com o planeta em todo o mundo. No entanto, a indústria está crivada de problemas tornando-a muito destrutiva para o nosso planeta e para milhões de pessoas em todo o mundo que trabalham na produção.

Há coisas a considerar em frente ao ciclo de vida de uma peça de roupa ou um acessório; as condições em que a matéria-prima foi cultivada ou criada, os processos e os produtos químicos que podem ter sido usados ​​para aproveitar os materiais, o processo de design e sua consideração de resíduos e sustentabilidade, a maneira na qual as peças foram fabricadas, a quantidade de países na qual ela tem viajado durante sua produção, a durabilidade da peça, como ela é cuidada por parte do consumidor, e o que acontece com ela depois que o consumidor a descartou.

A moda ética (que também é chamada de eco moda, moda verde ou moda sustentável) é a moda que maximiza os benefícios positivos para as pessoas e comunidades produtoras, enquanto nuda o impacto negativo sobre o meio ambiente. Através do que usamos todos os dias temos a oportunidade de criar um mundo melhor. Creio firmemente no poder de usar nossas roupas para contar histórias, então quando você me encontrar, pergunte-me sobre o que eu estou usando, que terei muitas histórias para lhe contar.

Amisha Ghadiali

DEIXE UMA RESPOSTA