A moda pode ajudar no combate à pobreza? A gigante do e-commerce de moda Asos está tentando com sua nova coleção de moda solidária e reciclada feita no Quênia. Pela segunda vez, a Asos está trabalhando em parceria com a ONG Soko Kenya, que fabrica roupas para grifes internacionais feitas por artesãos africanos, em uma nova coleção para esta primavera. A linha é inspirada no design da fauna e flora africana utilizando principalmente chiffon e jeans.

As estampas com flores tropicais evocam as tradicionais cangas africanas. As estampas também incorporam os desenhos feitos por crianças da escola local, transformados em estampas pela equipe de design da Asos. Peças em jeans, maxi e mini vestidos estampados fluidos, vestidos com babados além da reciclagem das peças antigas do estoque, renovando-as através de bonitos patchworks de chiffon. Essa coleção faz parte da linha Eco Edity da Asos focada na sustentabilidade.

Asos lança nova coleção de moda solidária e reciclada feita na África stylo urbano

A coleção “Asos Made in Kenya” estará disponível a partir de março, com preços que variam de 5 euros para acessórios de cabelo, a 90 euros para maxi vestidos e casacos. Mas a parceria da Asos com a Soko Kenya vem desde 2010 onde trabalham em conjunto na produção da coleção Asos África. Em 2014, foi fundada a Soko Kenya Community Trust, que desde então tem trabalhado em colaboração com ASOS Foundation. O seu objetivo é de oferecer a homens e mulheres na comunidade de Kasigau no Quênia, habilidades práticas e apoio necessários para melhorar suas vidas e ajudá-los a sair da pobreza.

Eles têm feito isso através da criação do Stitching Academy Kenya, para treinar as pessoas locais na fabricação de vestuário. Dentro da academia, também está a Stitching Academy Hub, que oferece aos graduados equipamentos por baixo custo para criar seus próprios negócios. A Soko Kenya é um produtor de vestuário queniano cuja oficina oferece treinamento e emprego justo e seguro para algumas das comunidades mais pobres no país. Nos últimos 6 anos, eles crescerem de 4 para 50 funcionários.

DEIXE UMA RESPOSTA