Em 2013, a icônica editora de moda Suzy Menkes ficou escandalizada com o tremendo “circo” em que a moda estava se tornando e fez duras criticas a esse respeito no New York Times. Parte desse circo é formada pelos “blogueiros de moda que se vestem apenas para chamar a atenção“. Toda essa parafernália que começou há pouco mais dez anos atrás, foi crescendo aos trancos e barrancos, junto com a tecnologia dos smartphones e redes sociais que os criou e alimentou.

Muitos blogueiros e vlogueiros se tornaram influenciadores e outros acabaram aparecendo do nada e se tornaram influenciadores por causa do aplicativo do momento: O Instagram. Uma imagem vale mais que mil palavras e isso os influenciadores sabem bem, e também as marcas que os utilizam para mostrar seus produtos “sutilmente” aos seus seguidores.

Mas o que acontece quando a “sutileza” desaparece com o bombardeamento de publicidade paga no Instagram desses blogueiros? Bem, as pessoas se cansam. Essa é a conclusão a que chegou a pesquisa do LIM College sobre o impacto dos influenciadores sobre os jovens consumidores com idades entre 18 a 35 anos.

Blogueiros e vlogueiros de moda perdem influência com a geração Y stylo urbano

Os dados obtidos são bastante chocantes e mostram que menos de 7% dos jovens são influenciados pelas opiniões dos blogueiros e vlogueiros ao decidir o que comprar. Os compradores da geração Y perceberam que as marcas compraram as “opiniões” desses influenciadores, o que fez com que as próprias marcas perdessem legitimidade.

De acordo com Dr. Kambara da LIM College, “A indústria da moda está se aproximando da geração do milênio com velhos hábitos que não funcionam. As marcas de moda estão oferecendo os mesmos produtos à muito deles. Em seguida, as marcas usam publicidade e os “formadores de opinião” nas mídias sociais como blogueiros e vlogueiros pagos, para influenciar a geração Y a comprar o que eles estão empurrando. “

“Para capturar esses compradores, as marcas de moda devem incidir sobre a singularidade dos produtos que oferecem. Não só a oferta deve ser nova e diferente, como não deve ter um monte dos mesmos produtos disponíveis. Isto é o que Zara faz tão bem”.

“Para a geração Y, a singularidade do produto é mais importante do que a marca ligada a ela, ou o que os “influenciadores” pode dizer sobre ele. Assim que um item de moda é visto como popular e facilmente acessível, a geração do milênio vai abandoná-lo imediatamente. Ao contrário de seus pais na mesma idade, eles não querem usar uniformes”.

Os geração Y está cansada de ficção e idílico, e agora estão buscando a frescura, autenticidade e honestidade, tanto dos influenciadores que seguem como dos produtos que compram. Os consumidores da geração Y optam por produtos de pequenas coleções, como os produtos customizáveis e de disponibilidade limitada. Por esta razão, mais de 60% dos entrevistados consideram a autenticidade ou a novidade dos produtos oferecidos como fator determinante na compra de um item de moda.

Via: WWD

1 Comentário

  1. Uma pesquisa de mercado já aponta que a geração alpha que esta por vir será mais ávida por conteúdo com relevância ao invés de apenas sugestões.” – Isso só mostra que eles conhecem a palavra substância.

DEIXE UMA RESPOSTA