A tecnologia de impressão 3D poderá revolucionar todas as áreas da indústria, inclusive a de alimentos. Os pesquisadores estão experimentando com todos os tipos de materiais que podem ser utilizados como matéria-prima para a fabricação de produtos, incluindo todos os tipos diferentes de alimentos. As impressoras 3D já estão sendo utilizadas para imprimir chocolate, macarrão, pizzas, pães, biscoitos, doces e até carne.

A tecnologia de impressão 3D tem muito chão pela frente ainda para solucionar alguns obstáculos como a velocidade de impressão e a possibilidade de imprimir receitas de alimentos complexas que tenham os mais diversos ingredientes como o visto neste gif abaixo, onde a impressora 3D do futuro imprime instantaneamente uma refeição completa. No dia que uma tecnologia assim seja possível, pode acabar com a fome no mundo.

Cientistas estão desenvolvendo um novo tipo de impressão 3D que pode imprimir carne artificial feita a partir de células-tronco, aquelas que podem se desenvolver em qualquer tipo de tecidos, na tentativa de substituir o abate de animais para consumo humano, práticas agrícolas insustentáveis e também resolver o problema das inúmeras doenças nos animais que são tratados com antibióticos pesados, o que acaba passando para a carne que consumimos.

A fim de apaziguar os nossos apetites e nossas consciências, cientistas holandeses estão trabalhando para trazer os primeiros produtos de carne crescidos em laboratório ao mercado no ano de 2020. O processo começa com células-tronco retiradas do músculo de uma vaca. No laboratório, essas células são colocadas em uma solução com nutrientes e elementos químicos que promovem seu aumento para ajudá-las a crescerem e se multiplicarem.

Carne artificial cultivada em laboratório com impressão 3D poderá ser comercializada nos próximos cinco anos stylo urbano-1

Três semanas depois, já são mais de um milhão de células-tronco, que são divididas e colocadas em recipientes menores. As células já crescidas se transformam em pequenas tiras de músculo de aproximadamente um centímetro de comprimento e apenas alguns milímetros de espessura. As pequenas tiras são então coletadas e juntadas em pequenos montes, coloridas e misturadas com gordura usando um “bio-cartucho” para impressora 3D que irá imprimir precisamente casa camada em conjunto.

A substância rosa resultante, seja em sua forma crua ou cozida, quase poderia enganar até mesmo o cozinheiro mais experiente. De fato, em uma amostra-teste feita há dois anos, o protótipo que foi provado tinha a aparência de uma verdadeira carne para hambúrguer, mas talvez um pouco menos suculenta por não ter gordura. Segundo o professor da Universidade de Maastricht (Holanda), Mark Post, que tem trabalhado desde 2013 com impressão 3D de carne cultivada em laboratório a partir de células-tronco de carne bovina:

Eu me sinto muito animado com a perspectiva de que este produto esteja à venda … Estou confiante de que quando ele for oferecido como uma alternativa à carne de animais abatidos, um número crescente de pessoas vão achar que é difícil não comprar o nosso produto, por razões éticas”.

A notícia vem do primeiro Simpósio Internacional sobre Carne Cultivada, realizado entre os dias 18-20 de Outubro onde os cientistas estão apresentando a maioria dos casos de tecnologia de ponta em impressão 3D de tecidos humanos e células-tronco para transplantes. Enquanto a carne impressa em 3D pode parecer uma preocupação secundária quando comparado a cirurgias de transplante para salvar vidas, as práticas agrícolas atuais poderiam realmente ser uma ameaça tão grande para a nossa saúde e bem-estar do nosso meio ambiente.

Carne artificial cultivada em laboratório com impressão 3D poderá ser comercializada nos próximos cinco anos stylo urbano-2
De acordo com a BBC, um estudo independente descobriu que laboratórios que criam carne bovina artificial usam 45% menos energia do que a criação de gado tradicional, produz 96% menos emissão de gases de efeito estufa , e requer 99% menos terra.

As fazendas de pecuária usam uma quantidade insustentável de energia, terra e água (cada vaca necessita de até 23 litros de água por dia em comparação com humanos que precisam de apenas um) e além disso milhões de toneladas de grãos são produzidos anualmente só para alimentar esse animais que serão abatidos.

Com a escassez de água e de recursos naturais cada vez menor, é hora de encontrar uma solução mais sustentável para alimentar uma população que já passa dos 7 bilhões. Além dos bifes de laboratório existe também empresas que estão criando bifes feito inteiramente de vegetais para hambúrguer como o da empresa Impossible Foods que a Google tentou comprar por US$ 300 milhões. A Impossible Foods tem a pretensão de replicar de maneira idêntica queijo e carne por meio da análise molecular desses alimentos e extração de análogos ou as próprias substâncias componentes de plantas.

A ideia é poupar o ambiente e a saúde de quem comerá os produtos, que devem chegar ao mercado no ano que vem. Uma das façanhas da empresa até agora foi ter criado “sangue vegetal”, com substâncias tiradas de vegetais que também estão na hemoglobina, componente de glóbulos vermelhos animais que transportam oxigênio e que são parcialmente responsáveis pelo gosto e pelo cheiro da carne.

Outras empresas que se empenham em pesquisa laboratorial mas já com produtos à venda nos EUA são a Hampton Creek e seus ovos e maionese veganos; e a Beyond Meat, que faz tiras de “frango falso”.

Carne artificial cultivada em laboratório com impressão 3D poderá ser comercializada nos próximos cinco anos stylo urbano-3

O professor Mark Post prevê que terá uma versão comercial da carne de laboratório pronta até 2020, e que a princípio estará disponível como um produto exclusivo, antes de eventualmente ser vendido em supermercados, uma vez que a demanda for estabelecida para baratear os preços. Depois disso, a mesma tecnologia poderia ser usada para criar costeletas, ou outros cortes de carne, embora não se saiba quanto tempo isso pode levar a ser comercializado.

Se você adora carne ou está a beira de desistir de tudo por uma vida de verduras e feijão, a impressão 3D de carne de cultivada em laboratório quase certamente será uma realidade como é a dos bifes vegetais, e isso não será bom só para os animais de fazenda e nossa saúde, mas também para o bem-estar de todo o nosso planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA