Um novo processo de biorrefinaria desenvolvido por cientistas bioquímicos da Universidade da Cidade de Hong Kong (CityU) consegue transformar o desperdício de alimentos em novas fibras têxteis biodegradáveis. O revolucionário processo ganhou medalha de ouro com louvor do júri na 44ª  Exposição Internacional de Invenções de Genebra deste ano.

Esta tecnologia inovadora pode ser a solução definitiva para reciclar as 3.600 toneladas de resíduos de alimentos produzidos em Hong Kong a cada dia. Liderada pela Dr. Carol Lin Sze-ki, professora assistente na Escola de Energia e Meio Ambiente da CityU e uma especialista na transformação de resíduos em recursos renováveis, a equipe de investigação tem convertido com êxito 100 gramas de resíduos alimentares em 10 gramas de fibras de ácido polilático (PLA) dentro de uma semana.

O novo material pode ser usado para a fabricação de produtos

têxteis e de vestuário.

“Utilizando o desperdício de alimentos para gerar PLA é um sistema ganha-ganha pois reduz a carga sobre aterros sanitários e para o ambiente, proporcionando materiais sustentáveis para a indústria têxtil. Isso também sugere um método de produção mais sustentável por causa do PLA que é biodegradável e não a química poluente à base de petróleo “, disse a Dr. Lin.

Cientistas conseguem transformar desperdício de alimentos em tecidos para moda stylo urbano-1
E se todo esse alimento que é jogado fora puder ser refinado em larga escala e transformado em ácido polilático PLA para criar novas fibras biodegradáveis para nossas roupas?

Todo desperdício de alimentos descartados pelas padarias e restaurantes é coletado e tratado em laboratório, utilizando uma série de procedimentos, incluindo a hidrólise de fungos para converter os alimentos em micro moléculas como a glicose, aminoácidos, vitaminas e minerais. A fermentação bacteriana, em seguida, transforma esses nutrientes em ácido lático. PLA é produzido através de polimerização de ácido láctico, o qual é então transformado em fibra.

Após dois anos de esforço de pesquisa no laboratório, a equipe de pesquisa conseguiu optimizar a condição experimental, tais como tipos de microrganismos a serem utilizados, temperatura e pressão, catalisador, técnicas de recuperação e de purificação, entre outros.

“Todo o processo é economicamente viável para acabar com o desperdício de alimentos, é livre de custos e o equipamento não é caro. Algumas plantas de tratamento de resíduos na China já entraram em contato conosco para saber mais sobre esta nova abordagem para o tratamento de resíduos de alimentos “, disse o Dr. Lin.

O projeto de pesquisa foi realizado em colaboração com o Hong Kong Research Institute of Textiles and Apparel Limited (HKRITA) e financiado pela Comissão de Inovação e Tecnologia. O HKRITA irá explorar a viabilidade de produção de fibras de PLA a partir dos resíduos de alimentos em Hong Kong. Essa pesquisa é importantíssima para solucionar o desperdício em países como os EUA, onde metade dos alimentos são jogados fora.

Cientistas conseguem transformar desperdício de alimentos em tecidos para moda stylo urbano-2

A aplicação deste bioplásticos não é limitado somente a roupa e tecidos. Existe uma vasta gama de produtos PLA que vão desde cobertores, utensílios de louça de mesa e sacos de plástico.

Além do PLA, a equipe de pesquisa da Dr. Lin tem explorado com sucesso o desperdício de alimentos para regenerar outros produtos químicos e materiais. Por exemplo, o resíduo de panificação pode ser usado para produzir ácido succínico dos materiais de embalagem de fabricação de alimentos, tintas e ingredientes para a medicina, entre outros.

Os avanços na reciclagem química desenvolvidos pelas startups Worn Again, Evrnu, Re:newcell e pela Aalto University com o Ioncell-F são outros projetos inovadores para se tratar os resíduos têxteis, como roupas e tecidos descartadas para se obter suas fibras e criar novas roupas. Cerca de 217 toneladas de resíduos têxteis são gerados por dia, respondendo por 1,6% do total de resíduos sólidos em Hong Kong.

Dr. Lin disse que os bioplásticos e produtos químicos produzidos a partir de resíduos são biodegradáveis, “estes projetos ajudam a aliviar problemas dos resíduos de alimentos através da recuperação de nutrientes desses resíduos, contribuindo para uma sociedade mais sustentável.”

Fonte: CityU

Veja o vídeo abaixo explicando todo processo. Essa tecnologia revolucionária é mais uma prova de que a economia circular e o capitalismo sustentável irão criar o futuro da indústria da moda.

DEIXE UMA RESPOSTA