Cientistas do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Washington, nos Estados Unidos criaram o protótipo de um telefone que consegue fazer ligações pelo Skype mesmo sem ter uma bateria. O protótipo criado é bem rudimentar e não possui tela nem carcaça mas é o início de uma revolução na forma como projetamos dispositivos eletrônicos mais sustentáveis e eficientes.

Usando Skype, os pesquisadores demonstraram que o protótipo pode executar as funções básicas de um telefone – fazer e receber chamadas, transmitir voz e dados e manter chamadas em espera. Mas foi necessário construir uma antena rádio-base própria dotada das características de transmissão e recepção necessárias para a demonstração. Segundo os pesquisadores, futuramente o aparelho poderá usar as transmissões da rede de telefonia celular ou dos roteadores sem fio.

Você pode imaginar, no futuro, que todas as torres de celulares ou roteadores Wi-Fi virão com nossa tecnologia de estação base incorporada. E se cada casa tiver um roteador Wi-Fi, você poderá ter uma cobertura para o telefone sem bateria em todos os lugares,” disse o pesquisador Vamsi Talla.

O telefone usa as vibrações do seu microfone para codificar padrões de fala nos sinais refletidos, e então enviá-los para a estação de base. Para receber o que a outra pessoa está falando, ele converte sinais codificados de rádio em vibrações sonoras, que são transmitidas pelo conector de áudio. Isso obriga que a pessoa, ao menos neste model inicial, utilize um fone de ouvido para conversar. Com o desenvolvimento dessa tecnologia, os cientistas poderão criar toda uma nova geração de wearables, aparelhos eletrônicos e até roupas inteligentes que tiram sua energia do ambiente.

Cientistas criam o primeiro celular sem bateria que tira energia do ambiente stylo urbano

“Nós construímos o que acreditamos ser o primeiro celular operacional que consome quase zero energia“, disse Paul Allen, professor da Universidade. “Nós tivemos que repensar como os aparelhos são projetados para conseguir o consumo de energia muito, muito baixo que você precisa para um telefone que colhe energia do ambiente”.

Para alimentar os 3.5 microwatts que o dispositivo consome, ele simplesmente utiliza sinais de radiofrequência analógica que foram emitidos por uma estação a 10 metros de distância. Esse espaço aumenta para 15 metros se for utilizado em conjunto com uma célula de energia solar do tamanho de um grão de arroz que está presente do telefone.

A equipe planeja se concentrar em melhorar o alcance operacional do telefone sem bateria e criptografar as conversas para torná-las seguras. Eles também estão trabalhando para transmitir vídeos e adicionar um recurso de exibição visual ao telefone usando telas de baixa energia feitas com papel eletrônico.

Via: Universidade de Washington , Neowin

DEIXE UMA RESPOSTA