Um número crescente de designers de moda estão se afastando das coleções sazonais e introduzindo linhas de roupas que podem ser usadas em todas as estações do ano. Historicamente, os desfiles de moda são apresentados para definir as tendências da próxima temporada. Depois os compradores, a imprensa e os consumidores aguardavam os looks extravagantes das passarelas serem simplificados pelas marcas de fast fashion, perdendo sua excentricidade para se tornarem mais comerciais.

Mas tudo isso está mudando. A ideia do estilo de “temporada” que é ditado pelas semanas de moda está rapidamente se tornando desatualizado numa época em que Instagram é uma passarela diária. As mídias sociais nos empurraram para uma cultura de gratificação imediata, e os consumidores não estão mais interessados ​​em esperar a lenta transição das passarelas para as ruas, e com os inúmeros selfies, blogs e posts, a indústria da moda não pode mais se manter como fez por décadas.

Algumas marcas de luxo estão tentando embarcar na era digital e ignorar as estações, lançando coleções que estarão imediatamente disponíveis após o desfile. Essa mudança de mentalidade sem dúvida, atende ao cliente moderno e é uma ruptura do modelo tradicional de consumo de moda. Mas não é é apenas o lado do consumidor que está passando por uma reinvenção online. As próprias semanas da moda estão passando por reformulações na era digital.

Guess it’s still summer 🤷🏻‍♀️ Lara in The Sur Dress

A post shared by AYR (@ayr) on

Por causa das redes sociais e enorme exposição midiática, as semanas de moda perderam sua exclusividade. Antes as coleções eram apresentadas para um pequeno grupo de pessoas que recebiam convite, mas agora, milhões podem ver os desfiles em tempo real de ondem estiverem pelo smartphone. Estamos na era do imediatismo com o mantra “Quero o que eu quero quando eu quero“. As pessoas podem mostrar seu estilo pessoal através das mídias sociais, sem ter que esperar que a indústria dê seu veredicto sobre o que está “na moda”.

Isso é uma resposta as mudança de hábitos de compras onde um guarda-roupa sazonal não é mais desejado, necessário ou, muitas vezes, viável. Várias marcas estão apostando em coleções atemporais onde os clientes compram peças que serão usadas por vários anos e não numa temporada ou ocasião. Isso realmente agrega valor à compra sabendo que você tem uma peça que pode confiar, não importa a época.

Treat yo self.

A post shared by AYR (@ayr) on

A AYR é uma das marcas emergentes na vanguarda deste movimento, e recentemente estreou sua primeira linha de roupas femininas “sem temporada”. A marca americana procura combinar acessibilidade e moda de alta qualidade, oferecendo roupas que são adequadas para o local de trabalho e eventos sociais. O objetivo da AYR, criada por Maggie Winter, é “criar roupas bem projetadas e de alta qualidade que uma mulher pode usar várias vezes, temporada após temporada, durante todo o ano“.

Etiquetas como a AYR estão criando uma alternativa sustentável para marcas de fast fashion como a Forever 21 que oferece roupas femininas a preços acessíveis que são feitas com baixo custo e são apenas “de tendência” por um curto período de tempo. A moda sem temporada se concentra mais nas necessidades do consumidor do que em tendências fugazes e oferece mais valor para o seu dinheiro a longo prazo do que o fast fashion.

A crescente popularidade da moda sem temporada também pode ajudar a reduzir os resíduos têxteis, os custos de produção e a poluição global envolvida no processo de produção têxtil. Em países tropicais como o Brasil, onde a maior parte do tempo faz calor, a moda sem temporada é perfeita.

DEIXE UMA RESPOSTA