Um curta-metragem de 1968 criado pela British Pathé, demonstra as tecnologias da época na fabricação de papel de parede. O interessante do curta é o narrador dizendo que alguns dos processos de estamparia são quase ficção científica “de tão modernos”! O vídeo de quase 50 anos de idade, mostra os trabalhadores da fábrica gravando os desenhos em carimbos feitos de madeira de plátano, que depois receberão tinta colorida para estampar manualmente o papel, criando estampas psicodélicas.

Depois o vídeo mostras as máquinas modernas da época que estampavam automaticamente os desenhos em longos trechos de papel de parede. O filme foi rodado em uma fábrica em Perivale no oeste de Londres. Todas as estampas no vídeo tem cores fortes e alegres, e foi filmado na época em pessoas gostavam de combinar o seu papel de parede com suas cortinas, revestimentos de sofá e vestuário. A British Pathé tem vários filmes de época fantásticos em sua página no YouTube que vale a pena conhecer pois são uma documentação histórica de eventos culturais.

Como evoluíram os processos de estamparia do papel de parede stylo urbano-1Como evoluíram os processos de estamparia do papel de parede stylo urbano-2Como evoluíram os processos de estamparia do papel de parede stylo urbano-3Como evoluíram os processos de estamparia do papel de parede stylo urbano-7

O interessante de assistir a vídeos antigos que mostram como eram fabricados certos tipos de produtos é compará-los com a época atual e notar as mudanças que ocorreram através da introdução de novas tecnologias. A estamparia com tela e cilindro ainda existem mas se tornaram obsoletas com a introdução da impressão digital tanto na decoração como na moda.

As impressoras digitais conseguem imprimir em milhões de cores, estampam em menor quantidade e com personalização, não precisam de telas para cada cor pois imprimem o desenho de um vez, consomem pouca água e não tem desperdício de tinta como ocorre com os métodos tradicionais de estamparia.

Os custos das impressões digitais são mais caros e tem rendimento menor em termo de metragem estampada comparada a estamparia de cilindro, mas isso é só questão de tempo até surgirem novas impressoras mais rápidas e eficientes. Mas a impressão digital tem a vantagem de criar um papel de parede exclusivo na quantidade necessária para ser aplicado em ambientes específicos.

O vídeo abaixo mostra como funciona uma impressora digital que imprime papel de parede adesivo de alta qualidade gráfica, com nuances de cores que não são possíveis de reproduzir no cilindro por causa da limitação de cores. Mas o interessante é que daqui a 30 anos, as gerações futuras vão ver esse vídeo e dizer: “Nossa, eles usavam tinta sobre a superfície do papel e tecido para criar estampas.”

Em 2046 não existirá mais estamparia sobre papel ou tecido pois graças a tecnologia da nanoeletrônica, o grafeno e novos materiais inteligentes, os papeis e tecidos virão de fábrica programados para se comportar como um camaleão mudando de cor ou estampa automaticamente da forma que o cliente quiser. Quando isso acontecer, a decoração de interiores e a moda vão ser muito mais ecléticas e divertidas.

DEIXE UMA RESPOSTA