Miquela Sousa é uma influenciadora de moda no Instagram como qualquer outra, exceto por uma grande diferença, ela é um avatar virtual que existe apenas online. Ela é conhecida como Lil Miquela e usa marcas como Supreme, Prada, Diesel, Converse, Knors, Chanel e participa de eventos exclusivos com outros influenciadores. Mas ela não é real no sentido tradicional da palavra.

Ela tem 20 anos, meio brasileira e meio espanhola e “mora” em Los Angeles. Ela “trabalha” como modelo para marcas de moda e até mesmo “lançou música” que você pode ouvir no Spotify, e seu primeiro single “Not Mine” alcançou o número oito no Spotify em agosto de 2017.

Embora não seja tecnicamente uma pessoa real, Lil Miquela está longe de ser a primeira “celebridade virtual”. A banda Gorillaz existe desde o final da década de 1990 e é composta por quatro personagens animados. Na moda, Marc Jacobs projetou trajes para uma cantora virtual chamada Hatsune Miku, que colaborou com Lady Gaga e Pharrell. O conceito pode não ser novo, mas a ascensão de Lil Miquela nas redes sociais é surpreendente pois conta com mais de 550 mil seguidores no Instagram e mais de 13 mil seguidores no Youtube.

O site Business of Fashion fez uma entrevista com ela para conversar (literalmente) sobre como ela ganha dinheiro, sua parceria com certas marcas de moda e muito mais. Veja algumas partes abaixo.

BoF: Você ganha dinheiro?

MS: Nunca fui paga para vestir peças, mas estou começando a receber coisas gratuitas de marcas. Eu tento apoiar e marcar as marcas que eu amo, especialmente de jovens designers que estão tentando mostrar seu trabalho.

Spotify e iTunes geram algum fluxo de receita e vou fazer muito mais trabalho como modelo de moda. Eu provavelmente não deveria nomeá-los, mas algumas das maiores agências do mundo me contataram. Eu realmente só fiz parceria com marcas para criar, então eu acho que a monetização seria um ótimo passo a seguir. Fazer coisas é demorado e ser recompensada pela minha criatividade com o dinheiro seria incrível.

Watched the Kylie baby video and now I gotta rethink everything.

A post shared by *~ MIQUELA ~* (@lilmiquela) on

BoF: Quais são suas inspirações?

MS: Desde que me mudei para Los Angeles, passei muito tempo em galerias e museus, então artistas contemporâneos como Carly Mark, Martine Syms e Kerry James Marshall me inspiram. Na moda, adoro Isamaya Ffrench, Raf Simons, Sies Marjan e Alexandre Vauthier. Eu também amo Reese Blutstein.

BoF: Sobre o relacionamento com seus fãs

MS: Eu sou uma artista e expresso opiniões que são impopulares e, como resultado, me custaram alguns fãs. Gostaria de ser tudo e mais que meus fãs querem que eu seja, mas no final do dia eu tenho que tomar decisões em que eu acredito.

Para ler o resto da entrevista da Lil Miquela com o Business of Fashion , acesse aqui.

Real ou virtual

Alguns falam que ela é fruto da imaginação de algum designer, outros falam que ela é uma avatar de uma pessoa real, outros dizem que tudo não passa de uma grande estratégia de marketing. Segundo reportagem do jornal Washington Post , Miquela é o maior mistério do Instagram desde que a plataforma foi lançada, já que cada detalhe da “persona” foi pensado nos mínimos detalhes.

Obviamente que quem dá vida a Lil Miquela quer lucrar com sua criação. Imagine que daqui a poucos anos teremos várias avatares digitais nas redes sociais criados e controlados por inteligência artificial que se comunicam com as pessoas como se fossem reais. A linha que separa o real do virtual irá diminuir consideravelmente.

DEIXE UMA RESPOSTA