Os seres humanos têm utilizado o vidro desde a Idade da Pedra, e de todos os aperfeiçoamentos feitos na fabricação do vidro ao longo dos séculos, nada se compara ao que a empresa vidreira alemã Schott conseguiu fazer. A Schott desenvolveu o primeiro vidro ultrafino e flexível do mundo que pode ser flexionado como uma folha de plástico. O novo vidro é mais fino do que um fio de cabelo mas é super forte e suave ao toque. Uma nova era de produtos eletrônicos flexíveis e verdadeiramente portáteis como smartphones, tablets, TVs e wearables vão surgir no mercado.

O primeiro produto de consumo a utilizar o novo vidro da Schott é o sensor de impressão digital de um smartphone feito pela LeTV, uma grande empresa de vídeo na China. A empresa alemã disse que pode fabricar continuamente o vidro flexível em folhas com quilômetros de extensão. O novo vidro é mais fino que uma folha de papel e é tão flexível como uma folha de papel, mas o que o torna incrível é como a Schott conseguir fazer essa maravilha da tecnologia.

Para tornar o vidro mais fino e mais flexível os vidreiros tiveram que descobrir uma forma de fortalecê-lo. Schott é a primeira empresa a fazer o vidro ultrafino que pode ser quimicamente fortalecido por troca iônica, o mesmo processo do Gorilla Glass, que é encontrado na superfície de muitos smartphones resistentes a acidentes. Quanto mais o vidro for espremido, mais forte se torna. Atualmente, a empresa fabrica um vidro tão fino como 20 micrômetros e o papel tem de cerca de 100 micrômetros de espessura. Vendo o vídeo abaixo, ninguém acreditaria que essa folha fina que se dobra é na verdade vidro.

Os eletrônicos flexíveis já estão fazendo algum progresso, mas não de uma forma óbvio para os consumidores. Hoje, telas flexíveis são usadas ​​em dispositivos como o Galaxy Edge, um telefone com uma tela rígida que se curva nas laterais. O display OLED dentro do telefone é feito de plástico e laminado para uma película de Gorilla Glass. Uma tampa de vidro hoje é 10 vezes mais espessa, geralmente tem cerca de 550 micrômetros (metade de um milímetro) isso mostra a tremenda inovação que é esse vidro ultrafino e flexível.

A Scott diz que uma nova era de eletrônicos flexíveis está começando. O vidro está pronto e os circuitos flexíveis estão quase prontos. Agora eles estão à espera dos designers e dos consumidores. O smartphone bracelete em pouco tempo será realidade e poderá ser feito tanto com as telas coloridas OLED feitas de plastico flexível como o novo vidro da Scott. Quem poderia imaginar que um dia veríamos vidros super resistentes, finos e flexíveis? É uma inovação tecnológica e tanto.

Conheça o primeiro vidro ultrafino e flexível do mundo que vai revolucionar a eletrônica stylo urbano-1Conheça o primeiro vidro ultrafino e flexível do mundo que vai revolucionar a eletrônica stylo urbano-2

DEIXE UMA RESPOSTA