Para os budistas do sul da Ásia, o lótus é considerado uma flor sagrada pois é um símbolo da habilidade de cada ser humano em superar suas condições, não importa sua origem, como a flor de lótus que cresce alto acima da águas turvas. O Sutra de Lótus, um dos textos educacionais mais importantes do budismo diz :“Todo mundo tem o potencial de se elevar e alcançar o estado de Buda sem deixar o mundo poluí-lo, como faz a flor de lótus sobre a água turva”.

A flor em que Buda é retratado sentado, durante décadas simboliza a sabedoria, iluminação e espiritualidade. A flor de lótus é diferente de qualquer outra flor pois cresce em condições difíceis, cercada por lama debaixo da água. O lótus parece ser frágil, mas é flexível e forte e, finalmente, sai da água enlameada para se abrir ao mundo e se tornar uma bela flor. Mas o que a espiritual flor de lótus tem a ver com moda sustentável? Tudo!

Tecidos éticos e sustentáveis feitos de fibra de Lótus 

O uso de fibras de lótus para fabricar tecidos pode parecer exótico no mundo ocidental, mas em países como a Tailândia ou Myanmar, os aldeões têm usado fibras de lótus para fazer tecidos há séculos. O processo é bastante demorado, mas produz um tecido luxuoso que parece uma combinação de seda e linho bruto. Depois de colher as plantas de lótus dos lagos, os artesãos cortam o final das hastes e puxam as fibras longas e finas do centro. Isso deve ser feito dentro de três dias após o corte ou o resultado não será ideal.

Amazing how a stem can be converted into a natural fibre. #NoMarkLotus

A post shared by NoMark Lotus (@nomarklotus) on

Os fios obtidos são então lavados e pendurados para secar e, finalmente, tecidos à mão em teares tradicionais. Por ser um processo complicado e demorado, os tecidos tem um custo maior do que tecidos tradicionais como o algodão. Uma empresa da Índia, onde o lótus é a flor nacional, queria mudar isso e criou uma camisa branca orgânica feita de hastes de lótus, que além de ser bonita e sob medida, conta com tecnologia hidrofóbica para repelir líquidos e manchas.

A empresa NoMark Lotus utiliza tecido de lótus produzido no Camboja, que é um dos tecidos mais ecológicos do mundo pois não usa recursos como petróleo, eletricidade, gás ou qualquer produto químico tóxico durante seu processo de produção. Além disso, a camisa NoMark Lotus dura muitos anos porque seu tecido é de alta qualidade e não precisa ser lavado com tanta frequência.

Samatoa Lotus Textiles é especializada em tecidos de lótus

Qualquer marca de moda sustentável que se sinta inspirada em usar tecidos de lótus pode contar com a Samatoa Lotus Textiles do Camboja. A empresa utiliza técnicas de fabricação socialmente responsáveis ​​para criar tecidos ecológicos que apoiem o empoderamento de mulheres vulneráveis de pequenas aldeias cambojanas dando-lhes condições para viver decentemente. Os tecidos são feitos de maneiras tradicionais e durante 10 anos, a empresa tem utilizado mais de 10 fibras naturais locais como: lótus, abacaxi, banana, lírio, kapok , papiro, palma, seda , coco, jacinto de água e folhas de arroz.

Fundada em 2003, a  Samatoa é uma empresa têxtil com foco nos valores do comércio justo e desenvolvimento sustentável para criar uma alternativa à poluente indústria têxtil tradicional. Fabricando os tecidos mais sustentáveis e inovadores do mundo, a Samatoa foi reconhecida em 2012 pelo Prêmio UNESCO de excelência. A empresa é responsável pelos processos de fabricação do início ao fim, do fio ao produto acabado, sem intermediários.

Assim podem assegurar a qualidade de todos seus produtos. Seus tecidos 100% ecológicos são feitos à mão seguindo os métodos cambojanos tradicionais. Os tecidos de lótus , seda , kapok e banana estão se tornando cada vez mais populares entre os designers internacionais de moda ética e indústrias de luxo. Hoje, a demanda está crescendo e a empresa deve apoiar seu crescimento para alcançar o desenvolvimento sustentável. O grupo de luxo Kering é um dos clientes da Samatoa.

As fibras de lótus são versáteis e têm muitas vantagens em comparação com tecidos mais convencionais. O preço relativamente alto é a única desvantagem, mas para quem busca roupas duradouras, com qualidade e com baixa pegada ambiental, vale a pena o ivestimento.

DEIXE UMA RESPOSTA