A tecnologia de impressão 3D chegou para ficar e é tão revolucionária que com o passar dos anos vai mudar completamente todo processo de fabricação de produtos. Os designers de moda já tem á sua disposição vários tipos de impressoras 3D que podem imprimir quase tudo que sua imaginação mandar. A impressão 3D não é nova pois foi inventada há mais de 25 anos e era restrita a empresas e universidades, e só começou a se popularizar porque o fim das patentes permitiu essa mudança e fez surgir empresas fabricantes de impressoras 3D pessoais.

De olho nessa irrefreável revolução tecnológica alguns designers de moda começaram a se dedicar exclusivamente a esse novo filão desenvolvendo coleções exclusivas de roupas e acessórios num estilo slow fashion. O arquitetos australianos, Kae Woei Lim e Elena Lim da XYZ Workshop desenvolveram o vestido inBloom que foi impresso com 191 painéis separadamente e ligados entre si, todos feitos com filamentos flexíveis de PLA que permite alguma flexibilidade nas ligações entre os painéis. E o mais interessante é que todas as peças foram produzidas em uma impressora 3D Ultimaker pessoal. Estatisticamente, os 191 painéis levaram 265 horas e 15 minutos para produzir, usando apenas 1 kg de material. Em outras palavras, o vestido pode ser impresso com apenas US$ 60! O vestido apareceu pela primeira vez na passarela em fevereiro de 2014 no Printshow 3D em Nova York, onde a XYZ Workshop e a Ultimaker roubaram o show.

Elena Low, co-fundadora da XYZ Workshop está animada com as possibilidades de impressão 3D:

Nós queríamos fazer um vestido feito inteiramente em impressora 3D pessoal para mostrar que a moda impressa não era exclusivo de grandes e caras impressoras 3D industriais” disse Elena.  A XYZ Workshop liberou para download gratuito a partir da YouMagine o vestido InBloom , um relógio flexível , uma carteira feminina e uma carteira masculina. Num futuro próximo, mais itens de moda estarão no site para serem baixado gratuitamente. Elena Low está incentivando os estilistas a começarem a utiliza impressão 3D,para ajudar a estimular e incentivar a experimentação, proporcionando ao público os arquivos do projeto.

Modelagem em CAD do vestido Bloom

O vestido foi todo impresso em filamento flexível PLA

Impressão das partes numa impressora 3D Ultimaker pessoal

Outro projeto interessante do arquitetos Kae Woei Lim e Elena Lim é um corpete impresso 3D. O corpete tem uma textura orgânica que faz alusão a um tecido tradicional têxtil. A silhueta é inspirada num vestido tradicional chinês, criando um diálogo entre a tradição e a tecnologia. Primeiramente foi feito uma varredura em 3D com um sensor Kinect de um manequim de alfaiate. Depois o sensor Kinect foi ligado ao computador portátil, para se ter a mapeação tridimensional do manequim que foi então processado para imprimir uma malha tridimensional que foi dimensionada para que pudesse ser impressa dentro das limitações da impressora 3D. A peça final era composta de 26 seções diferentes que levou 170 horas para ser impressa em plástico flexível PLA. É claro que comercialmente uma coleção feita de impressão 3D está longe de ser viável pela a atual demora para se imprimir um modelo de roupa, o alto custo do processo, limitações de materiais de impressão pois são todos sintéticos o que deixa as peças rígidas, durabilidade e acabamento. A moda de impressão 3D tem ainda um longo caminho para superar esses obstáculos mas com certeza que em 2025, essas roupas já serão artigo comum nas araras das lojas.

[metaslider id=16644]

Outra estilista de vanguarda também investiu na tecnologia 3D para combinar cores e a possibilidade de imprimir materiais variados. A coleção “Jardim do Eden”, criação da designer e engenheira sul-africana Michaella Janse van Vurren, inclui um corselet de “vidro manchado”, sapatos e um cinto “Serpente Clássica”, e uma variedade de pulseiras “Peixes no Coral”. As peças foram fabricadas usando a nova impressora Objet500 Connex3 3D da Stratsys.

[metaslider id=16645]

A possibilidade de combinar materiais duros e flexíveis em uma única peça é algo muito raro, e poder acrescentar cor no processo nos inspira a sermos criativos e a pensar de uma forma completamente nova”, afirmou Van Vuuren. A linha foi inspirada na história bíblica do Jardim do Éden, com as peças representando vários elementos do relato bíblico. O “Stained Glass Corset” (corselet de vidro manchado), que vem com flores e frutas da árvore proibida, é composto por três materiais digitais diferentes da Polyjet, variando em flexibilidade e opacidade, da transparência rígida a partes macias e coloridas. A mistura é a primeira no mundo no que se refere a impressões 3D (tá vendo como a tecnologia vai avançando?)

Também estão presentes na coleção alguns pares de sapatos criados a partir de impressão 3D, todos contendo partes mais duras para apoiar a estrutura, elementos parecidos com borracha para flexibilidade e cor para a estética. As pulseiras experimentais, com duas versões diferentes, completam o look super fashion. “Estou apenas na superfície das possibilidades com a impressora Objet500 Connex3 3D”, conclui van Vuuren. “Poder combinar materiais com propriedades diferentes e lindas cores que lembram joias em uma única impressão é absolutamente revolucionário.

Fonte: Em Resumo

A talentosa e eclética estilista holandesa Iris van Herpen é conhecida por ser líder entre os designers de moda no uso de impressão 3D. Nas suas coleções de alta costura, Iris costuma fazer parcerias com profissionais vanguardistas de diversas áreas como as empresas de impressão 3D, Materialize e Stratasys, com os arquitetos Daniel Wildrig, Neri OxmanJulia Koerner, Philip BeesleyBenthem Crouwel, Isaie Bloch, com a designer de jóias Heaven Tanudiredja, com os artistas conceituais Daniel WidrigJolan van der Wiel, Carlos Van Camp, Niccolo Casas e Lawrence Malstaf, com os chapeleiros Irene Bussemaker e Stephen Jones. Os sapatos são feitos pela vanguardista empresa de calçados United Nude. A cantora e compositora Björk usa vestidos de várias coleções de Iris van Herpen. Ela usou vestidos da coleção Sinestesia para as capas de seus álbuns Biophilia e Crystalline. Björk também usa os vestidos de Iris durante os shows ao vivos. Além dela, Lady Gaga, Beyoncé, Tilda Swinton e o ícone de estilo Daphne Guinness vestem Iris van Herpen. Para entender como funciona o processo de criação da estilista veja os vídeos abaixo. Já notou pelo time de pessoas que a cercam que ela não é pouca coisa.

[metaslider id=16656]

Com o aprimoramento da tecnologia de impressão 3D e novos tipos de materiais para impressão, em breve todo esse longo processo visto abaixo vai estar ultrapassado

Iris Van Herpen descreve seu processo criativo

A empresa chinesa Xuberance, mostrou ao mundo o primeiro Vestido de Noiva de impressão 3D. Há duas maneiras de se fazer moda: roupas simples ou luxuosas e a partir disso a Xuberance, escolheu a última. A marca de design de Xangai aproveita todo o potencial da impressão 3D em peças extremamente complexas para os muito ricos compradores de luxo. A Xuberance utiliza a sua própria impressora 3D com 30x30x30cm chamada X1 Xuberance para criar seus sofisticados produtos com preços que não são para os fracos de coração.

Os itens da Xuberance foram criados usando impressão SLS ou sinterização seletiva a laser. Este método utiliza lasers de potência seletiva para aquecer e juntar o material que permite a formação camada por camada dos objetos. Através deste método, os materiais tais como o aço podem ser utilizados em vez de apenas plásticos ABS com impressoras de injeção. A empresa criou o primeiro casamento temático do mundo todo feito de impressão 3D, com decoração, objetos e um vestido feito inteiramente de plástico impresso. O vestido foi todo trabalhado com motivos românticos que lembram as rendas artesanais de renda guipure.

DEIXE UMA RESPOSTA