Os designers holandeses Eric Klarenbeek e Maartje Dros desenvolveram um bioplástico feito a partir de algas, que eles acreditam que poderia substituir completamente os plásticos feitos de petróleo ao longo do tempo. A dupla cultivou algas vivas, que depois de secas foram processadas num material que pode ser usado para objetos de impressão 3D.

Os designers acreditam que o polímero feito de algas poderia ser usado para fazer de tudo como frascos de xampu, potes, copos, talheres, pratos, vasos entre outros objetos que se degradarão em contato com a terra sem dispersar poluentes.

Além de algas, os designers criaram biopolímeros a partir de outras matérias primas orgânicas tais como micélio, amido de batata e casca de cacau, que foram utilizados para a impressão em 3D de objetos. Eles acreditam que no futuro a impressão 3D será o novo artesanato criando uma economia descentralizada.

Designers holandeses criam bioplástico feito de algas para a impressão 3D sstylo urbano

As algas são interessantes para fazer biomassa porque podem rapidamente filtrar o CO2 do mar e a atmosfera,” explicado a dupla. “As algas crescem por absorção do carbono e produzem um amido que pode ser utilizado como uma matéria-prima para bioplásticos ou agentes de ligação. O produto residual é oxigênio, ar limpo.”

A pesquisa da dupla está atualmente em exposição no Museu Boijmans Van Beuningen, em Roterdã como parte de uma exposição chamada Change the System. As propriedades sustentáveis das algas também estão sendo exploradas para fabricar fios têxteis no projeto Algiknit criado por um grupo de pesquisa do New York Fashion Institute of Technology (FIT), que acredita que “a biologia é o futuro da moda”.

Fonte: Dezeen

DEIXE UMA RESPOSTA