No dia 29 de maio será lançado o documentário de moda “The True Cost” (O verdadeiro custo) que explora o impacto da indústria do fast fashion sobre as pessoas e o planeta, em especial em países pobres que oferecem mão de obra para grandes grifes internacionais. O filme foi produzido por Andrew Morgan, Michael Ross, Lucy Siegle, Livia Firth, Vincent Vittorio, Christopher L.Harvey e Laura Piety. “Este é um filme sobre vestuário. Sobre as roupas que vestimos, as pessoas que as produzem e o impacto da indústria no mundo. O preço das roupas tem caído nas últimas décadas, enquanto os custo humanos e ambiental crescem“, informaram os idealizadores do projeto.

Será que conhecemos realmente o impacto ambiental e social da produção das roupas que compramos? Assistimos nas últimas décadas um verdadeiro colapso nos preços do vestuário. Ao lado do nascimento do fast fashion, as condições de vida dos trabalhadores e o impacto ambiental da indústria de roupas pioraram. The True Cost é um documentário que pretende lançar luzes sobre o passado e o presente para buscar soluções na construção de um futuro diferente.

Trailer do documentário de moda “The True Cost”

O público poderá ver as imagens captadas em todo o mundo para documentar as condições de vida dos trabalhadores explorados e sem direitos. A situação atual é tão grave a ponto de ser necessária uma reviravolta imediata para garantir um futuro diferente. O principal objetivo do documentário é provocar discussões públicas sobre os impactos ambiental e social desta indústria.

A esperança é conseguir uma forte reação de dissenso às práticas atuais, levando a uma mudança real. Será necessária uma abordagem sinérgica, que envolva melhorias nas políticas e regulamentações existentes nos padrões industriais de hoje, além de atingirem a consciência dos consumidores finais, causando verdadeiras mudanças em seus hábitos de consumo. A pergunta é: Quem está pagando realmente por nossas roupas baratas?

As imagens abaixo são do documentário norueguês on-line Sweatshop – Deadly Fashion. Os produtores desta incrível webserie levou 3 jovens blogueiros de moda para o Camboja, onde eles experimentaram uma mera fração dos horrores que os trabalhadores enfrentam a cada dia para confeccionar roupas para as grandes redes de moda popular. A pesquisadora e trendhunter holandesa Li Edelkoort, que já foi apontada pela revista Time como uma das pessoas mais influentes do mundo da moda, lançou o “Manifesto anti-fashion”, na qual ela atesta que as roupas produzida em grande escala estão com os dias contados. Como a indústria da moda pode falar tanto em “glamour” sendo que é uma das principais poluidoras do meio ambiente e exploradoras de recursos naturais e humanos?

O movimento slow fashion é uma representação unificada de todos os movimentos “sustentável”, “eco”, “verde” e “ética” de moda. Ela incentiva a reflexão sobre a indústria do vestuário e seu impacto sobre o meio ambiente e recursos naturais, a diminuição dos lançamentos constantes de tendências para remover a imagem da descartabilidade da moda. A frase agora é “qualidade sobre a quantidade“. Os idealizadores do filme buscam incitar uma reflexão sobre o mundo da moda contemporânea, e se você quiser conhecer mais sobre o projeto, visite a página deles no facebook.

DEIXE UMA RESPOSTA