Será que um dia seremos capazes de desenvolver órgãos de transplante como coração, pulmões e fígado sob demanda? Num esforço para acabar com as longas listas de espera para transplantes de órgãos, os pesquisadores da empresa de biotecnologia Miromatrix, estão desenvolvendo um processo revolucionário para converter fígados, rins, corações e pâncreas de porco em órgãos humanos totalmente funcionais. A empresa espera testar os transplantes em suínos nos próximos dois anos e iniciar ensaios em humanos até 2020.

Órgãos humanos transportáveis e viáveis ​​sempre foram escassos. E não é segredo que os humanos nem sempre os tratam com cuidado. O abuso de substâncias, juntamente com o desgaste geral, pode danificar os órgãos e torná-los inutilizáveis ​​para o transplante. Os porcos têm uma composição biológica semelhante, mas são menos propensos a sofrer danos nos órgãos. Essas partes dos suínos geralmente são consideradas subprodutos do abate e são mais fáceis de adquirir e menos onerosas do que os órgãos humanos.

Através dos processos de ” decelularização ” e da ” recelularização “, os órgãos do porco são despidos de suas células e substituídos por células de seres humanos, mantendo intacta a estrutura principal, chamada de matriz. Segundo o pesquisador e CEO da Miromatrix, Jeff Ross, “todo o processo é como remodelar uma casa“.

Empresa de biotecnologia Miromatrix utiliza porcos para criar órgãos transplantáveis ​​em seres humanos stylo urbano

O processo começa com uma limpeza completa. Durante a decelularização, o órgão é colocado num banho químico e bombeado com um detergente suave, semelhante ao encontrado na maioria dos shampoos. Durante as próximas 48 horas, o órgão de cor avermelhada é despojado de suas células de porco, ficando totalmente branco.

Em seguida, o órgão recebe algo parecido com uma pintura. Através da recelularização, novas células são introduzidas nas vias vasculares existentes. Os órgãos têm então tempo para crescer e amadurecer no laboratório.

Os órgãos de porco modificados podem ter um impacto enorme para milhões de pessoas no mundo todo que precisam de transplantes. Muitos estão numa lista de espera “ativa”, o que significa que eles foram aprovados para receber um órgão e esperam que um esteja disponível.

“Esperamos encerrar o ciclo de diálise e transplantes e permitir que as pessoas vivam suas vidas”,  disse Jeff Ross. A Miromatrix já tem dois produtos à base de porco no mercado: Miroderm e Miromesh. Ambos são baseados no fígado e ajudam com feridas graves e cirurgia reconstrutiva. Miroderm e Miromesh estão no mercado há dois e três anos, respectivamente, e nenhum dos produtos causou efeitos adversos para os receptores.

Jeff Ross disse que Miromatrix está concentrando seus esforços principalmente em fígados e rins, mas também começou a trabalhar em corações e pâncreas. No geral, a pesquisa e o desenvolvimento dessa nova tecnologia de transplante podem ajudar milhões de pessoas.

“Nós pensamos, tem que haver uma resposta melhor“, disse Ross. “E aqui está. É algo que a natureza já nos deu “. Essa tecnologia disruptiva é fantástica pelos seguinte motivos:

  • Ajuda a diminuir ou eliminar a fila de transplantes de órgãos;
  • Abre um novo mercado para os criadores de porcos que ganharão dinheiro com os órgãos do animal além da carne;
  • Elimina o aterrorizante e bilionário tráfico de órgãos humanos, sendo a China a maior fornecedora.  A indústria de transplante de órgãos na China movimenta US$ 1 bilhão ao ano e acredita-se que a imensa maioria dos órgãos são retirados à força de dissidentes políticos presos pelo Partido Comunista Chinês.

Fonte : americaninno

DEIXE UMA RESPOSTA