Se você pensou que não havia qualquer uso para suas roupas velhas além de doá-las para caridade, pense novamente. Uma empresa japonesa quer transformar milhões de toneladas de roupas jogadas fora a cada ano no Japão em combustível para carros. A empresa de reciclagem Jeplan, com sede em Tóquio, desenvolveu um meio de converter as fibras de algodão de roupas velhas em etanol, um álcool que é usado em aditivos de combustível para motores.

A empresa faz isso através de uma série de processos de destilação e vaporização que também permite extrair fibras de poliéster para reutilização em roupas novas. Segundo a empresa, 90% das 100 milhões de toneladas de roupas descartadas no Japão a cada ano são enviadas para aterros ou incineradas. Isso significa que apenas 10% do vestuário produzido anualmente no país é reciclado.

A Jeplan é uma empresa de economia circular que utiliza tecnologias sustentáveis para resolver o problema do descarte de roupas e tecidos nos aterros, criando assim um negócio lucrativo através de novos produtos.

Empresa japonesa transforma roupas velhas de algodão em combustível para carros stylo urbano-1

Masaki Takao, co-fundador e CEO da Jeplan, disse à Bloomberg que uma tonelada de roupas velhas poderia produzir cerca de 700 litros de etanol, gerando apenas a metade da quantidade de CO2 produzida ao fazer a substância a partir do zero. Masaki Takao se inspirou no reator ficcional Sr. Fusion, usado para alimentar o carro DeLorean do filme De Volta para o Futuro 2, que usava lixo doméstico como combustível.

“É uma abordagem inovadora, e que não enfrenta muita concorrência. Ninguém está fazendo isso, porque é tão difícil”, disse Takao, que agora está tentando atrair marcas de roupas esportivas e times de futebol nos esforços de reciclagem da Jeplan, pois os uniformes dos jogadores são feitos de poliéster, o que é perfeito para reciclagem.

Além do algodão, a empresa também consegue reciclar o poliéster que é misturado em muitos tecidos para reduzir custos, melhorar a durabilidade e tornar as roupas resistentes ao enrugamento. Ele é usado em cerca de 60% do vestuário produzido no mundo a cada ano, e de acordo com a Jeplan, pode ser um recurso valioso quando reutilizado em novas roupas.

A empresa vai precisar de cerca de 30.000 toneladas de roupas velhas a cada ano para produzir bastante etanol para torná-lo uma alternativa viável para os métodos de produção tradicionais. Para envolver o público, Takao e sua equipe compraram uma réplica em tamanho real do DeLorean da Universal Studios e colocaram caixas de coleta de roupas usadas em 2.100 locais em todo o Japão.

Eles vão usar isso para promover o seu trabalho no Japão, visitando os shoppings do país outros locais, enquanto distribuem caixas de coleta de roupas usadas. A empresa está construindo uma fábrica no sul da ilha de Kyushu, prevista para começar a funcionar nesse ano, para reciclar milhares de toneladas de roupas por ano. O Poliéster está atualmente sendo armazenado até que a fábrica abra.

“É difícil motivar os consumidores com apelos à seriedade ou preocupação com a terra, mas eles se juntarão se for algo divertido“, disse Takao à Bloomberg. “Ao fazer este tipo de eventos, esperamos efetuar uma mudança cultural em torno da reciclagem”. E assim a sustentabilidade anda de mãos dadas com as novas tecnologias.

Empresa japonesa transforma roupas velhas de algodão em combustível para carros stylo urbano-2

DEIXE UMA RESPOSTA