Em 07 de maio, o Metropolitan Museum of Art de Nova York, em associação com o Departamento de Arte Asiática, vai inaugurar a exposição de moda mais esperada do ano do The Costume Institute intitulada “China: Through the Looking Glass“, que mostra como a China tem alimentado a imaginação da moda durante séculos, com suas ricas peculiaridades criativas, culturais e mitológicas. Com cerca de mais de 130 itens entre roupas da alta costura, vanguarda e comerciais de estilistas famosos com criações inspiradas na China. Estarão também trajes chineses tradicionais, pinturas, porcelanas e outras artes, bem como filmes para revelar reflexões de imagem chinesa.

A exposição irá explorar a influência da arte chinesa em filmes como: “O Último Imperador”, “O Tigre e o Dragão”, “Adeus Minha Concubina”, “Amor à Flor da Pele”, “A Filha do Dragão” e “Lanternas Vermelhas”, e sua influência na moda ocidental. Apresentando a moda a partir de 1700 até hoje, a exposição contará com obras de: Cristobal Balenciaga, Bulgari, Sarah Burton para Alexander McQueen, Callot Soeurs, Cartier, Roberto Cavalli, Coco Chanel, Christian Dior, Tom Ford para Yves Saint Laurent, John Galliano para a Christian Dior, Jean Paul Gaultier, Valentino Garavani , Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Picciolo para Valentino, Craig Verde, Guo Pei, Marc Jacobs para a Louis Vuitton, Charles James, Mary Katrantzou, Karl Lagerfeld para a Chanel, Jeanne Lanvin, Ralph Lauren, Judith Leiber, Christian Louboutin, Ma Ke, Mainbocher, Martin Margiela, Alexander McQueen, Alexander McQueen para Givenchy, Edward Molyneux, Kate e Laura Mulleavy, Dries van Noten, Jean Patou, Paul Poiret, Yves Saint Laurent, Paul Smith, Vivienne Tam, Isabel Toledo, Giambattista Valli, Vivienne Westwood, Jason Wu , Laurence Xu, bem como a irreverente estilista chinesa Guo Pei, uma das grandes homenageadas da mostra. A exposição funcionará de 7 de maio a 16 de agosto de 2015.

[metaslider id=15268]

Abrangendo dois andares, a exposição mostra como os designers ocidentais encontraram inspiração em todas as coisas chinesas, dos trajes bordados elaborados da China Imperial para Xangai na década de 1920, até o traje militar da Revolução Cultural. “É uma exploração monumental, imersiva das influências da arte e do cinema chinês nas criações dos maiores talentos da moda ocidental“, disse Thomas P. Campbell, o diretor e CEO do Metropolitan. A exposição leva o nome de romance de Lewis Carroll escrito em 1871, “Through the Looking-Glass, and What Alice Found There “(Alice Através do Espelho e O Que Ela Encontrou Por Lá ), porque se trata de entrar em outro mundo.

Como o mundo de faz-de-conta de Alice, a China refletida na moda da exposição é fictícia, fabulosa e antiga, oferecendo uma realidade alternativa“, disse o curador Andrew Bolton, acrescentando que é sobre a fantasia coletiva da China. Um labirinto de galerias mostram caligrafias chinesas, frascos de perfume e as famosas porcelanas azul-e-branco, juntamente com vestidos estampados, vestidos frisados ​​fabulosas e jaquetas bordadas pelos designers ocidentais influenciados por eles.

Uma sala é dedicada ao ópio e o impacto chinês na coleção Outono/Inverno 1977 de Yves Saint Laurent  com seus casacos de peles influenciados pela Mongólia. Os filmes chineses expostos na exposição revelam como as nossas visões individuais da China são emolduradas por narrativas inspiradas na sua rica cultura popular, e também para reconhecer a importância do cinema como um meio do qual podemos compreender a riqueza da história chinesa.

A exposição, é uma colaboração entre o The Costume Institute e o Departamento de Arte Asiática, e coincide com a celebração do centenário de um ano do Departamento de Arte Asiática do museu, que foi criado como um departamento curatorial separado em 1915.  China: Through the Looking Glass  é organizado pelo curador Andrew Bolton, com o apoio de Harold Koda, curador responsável, tanto de The Costume Institute.

Gorgia May Jagger, usava um vestido comprido Gucci lilás de seda georgette com motivos multi-coloridos de flores e pássaros bordados á mão com fios de seda, pérolas de vidro e cristais com inspiração asiática. Ela foi acompanhada pelo diretor criativo da Gucci, Alessandro Michele, para participar da festa de Gala do The Costume Institute que ocorreu no Metropolitan Museum of Art, que comemora a abertura da exposição “China:Through the Looking Glass”. Luxo total!

Achou interessante a exposição de moda sobre a cultura chinesa? Comente.