O algodão é responsável por um terço do consumo de fibras na indústria têxtil e a indústria de algodão envolve uma grande quantidade produtos químicos e água fresca em sua produção. Poderíamos utilizar outras matérias-primas naturais para competir com a insustentável algodão?  O uso do tronco e das hastes da bananeira como fonte de fibra diminuiu depois que outras fibras convenientes, como algodão e seda, se tornaram populares. Mas nos últimos anos, o valor comercial da fibra da bananeira aumentou e é usada em todo o mundo para múltiplos propósitos, desde fazer papel para sacos de chá, guardanapos sanitários, notas de moeda e tecidos.

A fibra de bananeira tem um grande potencial sustentável na indústria têxtil como também na área de decoração e design. O que antes era considerado como um desperdício agrícola e um incômodo para os agricultores agora é usado como matéria-prima para fios com qualidade de seda. A fibra de bananeira além de biodegradável é uma das fibras naturais mais fortes, oriunda do tronco da bananeira ou do abacá. O tronco da bananeira, até então considerada um desperdício completo, agora está sendo utilizada para fazer tecidos com diferentes pesos e espessuras dependendo da parte do caule da bananeira a qual foi tirada.

As bainhas mais internas são onde as fibras mais macias são obtidas, e as fibras mais grossas e resistentes vêm das bainhas externas. Com um tecido celular de paredes grossas, a fibra de bananeira é semelhante à fibra de bambu natural, mas sua capacidade de finura e rotação são melhores que as fibras de bambu e ramie. A fibra é composta principalmente de celulose, hemicelulose e lignina. Aproximadamente 37 kg do caule da bananeira produzem 1 kg de fibra de boa qualidade.

Historicamente, o tronco e haste da bananeira tinham sido usado como fonte de fibra desde o século 13. Mas sua popularidade desapareceu depois que outras fibras convenientes, como algodão e seda, se tornaram populares. Durante séculos, os tecidos de fibra de bananeira foram feitos no Japão e no Nepal. No Japão, as fibras de bananeira foram um substituto precioso para a seda e eram tradicionalmente utilizadas em roupas cerimoniais para os ricos.

O tecido mais grosso de bananeira foi usado para fazer tapetes, esteiras e cordas. Inicialmente, as pessoas no Japão e no Nepal perceberam que, exceto pelo fruto, o tronco e hastes da bananeira era cortado e jogado fora. Depois de explorar melhor a planta, descobriram que ele poderia ser usado para fazer tecidos e cordas fortes, criando novos materiais. Atualmente, é na Índia, Filipinas e Japão que a fibra de bananeira é mais utilizada na indústria têxtil. Por que não no mundo todo?

Fibra de bananeira e seu potencial para a moda e design sustentável stylo urbano-1
Na Índia camisas, saris e calças jeans são feitas com a fibra de bananeira

Moda feita de bananeira

Na Índia, um tecelão desenvolveu um tecido que se parece com denim, mas é feito de fibra de bananeira, para ajuda a evitar o suor. C Sekar disse que o tecido que ele desenvolveu junto com outros tecelões numa associação tem a aparência do denim, mas como é feito de fibras de algodão e bananeira, é melhor para os meses de verão pois absorve mais água.

Atualmente, sua tecelagem artesanal fez jeans e saias usando este material. Os botões são feitos de conchas de coco em vez de metal e o material é tingido usando cores naturais. Veja aqui. O tecido de bananeira até hoje é produzido de forma artesanal e tem uso intensivo em mão-de-obra. Trabalhando em colaboração com artesãos de duas aldeias de Bengala, o designer indiano Siddhant Beriwal criou camisas feitas com fibra de bananeira como uma alternativa ao linho e ideal para o clima quente indiano.

Características da fibra de bananeira:

• Respirável: o tecido com essas fibras permite que você transpire bem e que fique frio nos dias quentes.

• Suave, flexível e brilhante: o tecido de bananeira é macio e flexível, embora não tão suave como o algodão ou o rayon. Quase todas as fibras de plantas são um pouco mais rígidas e grossas do que algodão ou rayon. Seu brilho natural faz com que pareça muito com seda.

• Conforto: a roupa de fibra de bananeira é confortável e não é provável que desencadeie alergias.

• Biodegradável.

• Resistência: é à prova de gordura, à prova de água, fogo e calor.

• Durabilidade: o tecido de bananeira é tão forte e durável quanto qualquer tecido como cânhamo, bambu ou outras fibras naturais.

• Isolamento: não é particularmente isolante.

• Habilidade de rotação e resistência à tração: é melhor do que outras fibras orgânicas em termos de capacidade de rotação e resistência à tração.

A fibra de bananeira é uma boa alternativa para outras fibras sintéticas e naturais, ela é ecológica, sem substâncias químicas, não tóxica e sem odor.

Fibra de bananeira e seu potencial para a moda e design sustentável stylo urbano-2

Desde o século 13 os tecidos feitos com fibra de bananeira são produzidos à mão utilizando teares de madeira tradicionais tanto na Índia, Filipinas e Japão, mas uma empresa japonesa chamada Oji Fiber resolveu inovar com seu tecido feito de papel de abacá chamado OJO+. O abacá também conhecido como cânhamo de Manila é uma espécie de planta nativa das Filipinas e faz parte do mesmo gênero da bananeira. A Oji Fiber criou um sofisticado sistema de produção em massa, transformando as fibras do abacá em fios de papel muito finos e baratos que podem ser utilizados para fabricar tecidos para vestuário, decoração e roupa de cama. Veja como é produzido aqui.

Fibra de bananeira e seu potencial para a moda e design sustentável stylo urbano-3
Vestido de Issey Miyake e camisa feminina da Lanvin feitos com tecido OJO+

Esqueça o plástico e o couro pois sua próxima carteira poderia ser feita de uma fibra alternativa como a bananeira por ser mais sustentável. A startup sediada na Micronesia Green Banana Paper utiliza os resíduos da bananeira para criar um papel artesanal resistente e natural para carteiras elegantes. A startup lançou uma campanha no Kickstarter para levar essas carteiras eco amigáveis para o mercado global e ajudar a melhorar a vida dos agricultores locais.

Depois da colheita da banana, os agricultores locais deve cortar a planta a cada ano para promover a produção de frutos. As quantidades maciças de resíduos de fibra de bananeira são deixadas no solo para biodegradar, mas a Green Banana Paper viu uma oportunidade empreendedora, com benefícios ambientais e sociais. O video conta sua história.

A fibra da bananeira é um material muito versátil pois é usada em artesanatos e como matéria-prima para diversos produtos. Ela é altamente resistente e fácil de ser trabalhada. Todos esses benefícios levaram os designers franceses da FIBandCO a testarem seu uso também pare substituir o laminado tradicional de madeira. O produto foi apelidado de Green Blade e é 100% natural.

De acordo com os criadores, a ideia era valorizar um recurso pouco explorado e rapidamente renovável, além de propor soluções de laminados que não contribuem para o desmatamento ao mesmo tempo em que mantêm excelente qualidade estética e o processo de fabricação foi pensado para gerar o menor impacto possível. O primeiro ponto de destaque nesse caminho é o uso de uma matéria-prima abundante e que já é residual de outra atividade, que é a produção de alimentos.

No Brasil, a empresa Tamoios Tecnologia parte da mesma filosofia com seu revestimento sustentável IVAT feito da fibra da bananeira, no Vale do Ribeira, região da Mata Atlântica. É um produto exclusivo e totalmente biodegradável com 99% dos recursos utilizados em sua produção renováveis que podem ser utilizados em papéis de parede, revestimento de móveis, design de objetos entre outros. As possibilidades de utilização sustentáveis da fibra da bananeira na moda e design estão só começando.

DEIXE UMA RESPOSTA