Esta nova tecnologia de impressão 3D parece ficção científica. Mas é inteiramente real pois os cientistas que a criaram inspiraram-se no metal líquido futurista no filme Exterminador do Futuro 2 . Essa nova impressora 3D foi batizada de CLIP –”continuous liquid interface production technology” (algo como Produção Contínua em Interface Líquida, em tradução livre) e os cientistas que a criaram já fundaram uma nova empresa chamada Carbon3D para vender a impressora.

Ao contrário da impressão 3D convencional, que imprime em camadas, a nova impressora CLIP é muito mais rápida, pois ela manipula a luz e oxigênio para fazer emergir, em questão de minutos, um objeto inteiriço a partir de um meio líquido.  Isso pode finalmente dar uma grande vantagem a impressão 3D, permitindo que você facilmente personalize ou ajuste projetos, fazendo mudanças no software, ao invés de construir novas máquinas de fabricação para impressão de produtos de consumo de massa.

Como a impressão 3D “contínua” realmente funciona

Existem alguns tipos diferentes de impressoras 3D no mercado, mas elas trabalham principalmente através do mesmo princípio: a cabeça de impressão passa por cima de uma plataforma várias vezes, depositando camada após camada de um material como o plástico em um padrão preciso. Com o tempo, essas camadas se combinam para formar o objeto desejado, ficando muito parecido com o projeto visto na tela do computador. Essa impressão por camadas, é utilizada há 25 anos, podem levar horas ou até dias para concluir uma impressão. A nova tecnologia CLIP, além de derrubar o prazo do procedimento para minutos, tornando-o de 25 a 100 vezes mais ágil, também permite a obtenção de geometrias antes inalcançáveis, pois imprime objetos inteiros. Na CLIP uma plataforma levanta o objeto continuamente para fora do banho de resina líquida.

A resina solidifica quando a luz ultravioleta que a atinge (um processo chamado de fotopolimerização ). Assim, para criar o produto desejado, um projetor debaixo da piscina de resina dispara luz UV, na forma de uma série de imagens em corte transversal do objeto. A luz, em certo sentido, é a lâmina que a impressora usa para esculpir seus produtos.Trabalhando em conjunto, a luz e o oxigênio controlam a solidificação da resina, e podem sintetizar materiais novos e conhecidos, como elastômeros, silicones, cerâmicas, além de estruturas semelhantes ao nylon e também materiais biodegradáveis. Tudo isso com uma precisão de 20 mícrons, ou um quarto da grossura de uma folha de papel.

Enquanto isso, o oxigênio impede que esta reação ocorra, fazendo que o objeto simplesmente não endureça e se prenda ao fundo da piscina. Há uma camada de oxigênio dissolvido no fundo, criando uma “zona morta” ultra-fina na parte inferior.

Com o projetor e plataforma em sincronia, as formas de objeto surgem quando ele se move para cima, com a nova resina continuamente solidificando logo acima da zona morta. Agora, a impressora ainda é um protótipo, usado pela Carbon3D para imprimir principalmente objetos de demonstração. A Carbon3D não disse quanto isso vai custar, mas tem planos para começar a vender as impressoras para empresas daqui a cerca de um ano. A impressão 3D contínua pode realmente mudar o mundo pois é imprime em minutos o que as impressoras atuais levam horas para fazer. Agora sim as impressoras 3D tem maiores chances de se tornarem um sucesso de massa e nos levar para a uma nova revolução industrial.

A grande diferença de qualidade e acabamento da nova impressora 3D contínua que elimina as inconvenientes ranhuras das impressoras 3D atuais que imprimem camada por camada. Agora os produtos já saem com um acabamento muito mais bonito e limpo. A tecnologia CLIP foi originalmente desenvolvida pela CEO da empresa, Joseph DeSimone, que deu uma palestra no TED sobre essa revolucionária Impressora 3D. “A tecnologia atual de impressão 3D não conseguiu cumprir com a sua promessa de revolucionar a fabricação“, disse o Dr. Joseph DeSimone, CEO e co-fundador, Carbon3D. “Nossa tecnologia CLIP oferece a velocidade que vai mudar a indústria pois tem propriedades mecânicas consistentes e materiais de fabricação próprios para peças de qualidade comerciais complexas.”

A empresa alega que fez um teste independente para demonstrar o aumento da velocidade indicada. Aqui está o gráfico de comparação mostrando que a CLIP leva apenas 6,5 minutos para fazer a impressão 3D de um objeto que leva 3 horas para ser impresso numa máquina PolyJet.

O que acharam dessa impressora 3D que parece coisa de ficção científica? Deixe seu comentário.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA