Algumas das maiores empresas da indústria da moda estão criando produtos feitos com fios de plástico oceânico. As marcas de moda estão implantando cada vez mais produtos fabricados a partir de plásticos descartados, e isso faz parte de uma estratégia inteligente que lhes permite construir campanhas de marketing com alto impacto positivo e, ao mesmo tempo, ajudam a reduzir as 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos despejados no mar a cada ano.

À medida que a tecnologia para reciclar plásticos em novos tecidos melhora, as varejistas estão utilizando os tecidos e materiais de plástico reciclado para criar roupas, acessórios e sapatos modernos, sustentáveis e desejáveis. A Adidas estreou seu segundo tênis feito de resíduos de plástico oceânico reciclado no início deste mês em colaboração com a Parley For the Oceans, uma organização que identifica soluções para a limpeza dos oceanos.

Ao mesmo tempo, marcas como Timberland e G-Star começaram a incorporar plásticos reciclados em suas cadeias de suprimentos, enquanto a Stella McCartney acaba de lançar uma parceria própria com a Parley no World Oceans Day na semana passada.

“Nosso objetivo sempre foi desafiar a nós mesmos e a indústria a fazer melhor, para nos perguntar continuamente como podemos melhorar”, disse Stella McCartney em um comunicado de imprensa. “Queremos ser responsáveis ​​pelos itens que criamos e pelas formas em que os criamos. E precisamos começar em algum lugar para progredir “.

Para criar produtos feitos a partir de plástico oceânico, as marcas de moda estão aproveitando os recursos de uma variedade de empresas que se especializam na produção de materiais reciclados, incluindo Bionic Yarn, Seaqual e Aquafil. A H & M lançou uma coleção cápsula feita de plástico oceânico reciclado em fevereiro, enquanto a Aquafil ajudou empresas como Speedo e Volcom a produzir trajes de banho usando sua exclusiva fibra Econyl, feita 100% de resíduos de nylon regenerados de itens como redes de pesca abandonadas.

A marca espanhola Ecoalf lançou sua primeira coleção de roupas e acessórios do projeto “upcycling the oceans” com fios e tecidos a partir dos plásticos retirados do mar Mediterrâneo em parceria com as empresas Antex e Têxtil Santanderina, que desenvolveram uma maneira de reciclar os plásticos deteriorados retirados do mar, junto com garrafas plásticas pós-consumo, transformando tudo em fios para fabricar tecidos. Ambas empresas se uniram em conjunto para criar o fio e os tecidos de poliéster reciclado Seaqual.

Fios de plástico oceânico estão sendo adotados por marcas de moda eco-conscientes stylo urbano

Para Giulio Bonazzi, CEO e presidente da Aquafil, o desafio está em aumentar a conscientização sobre as capacidades de sua empresa para que outras marcas possam começar a usá-lo também. “É evidente que o fluxo de resíduos linear, em que os produtos são fabricados, consumidos e descartados não é mais sustentável”, disse Bonazzi. ” Muitos anos atrás, percebemos que precisávamos transformar nosso modelo de negócios tradicional em um circular, a fim de cumprir os desafios de um mercado que está mudando rapidamente. Agora, outras marcas estão reconhecendo o mesmo.”

Apesar do progresso, em alguns casos, esses esforços continuam sendo mais uma estratégia de marketing para o consumismo consciente. As empresas estão observando o que outras fazem e vêem isso como uma ótima oportunidade, no entanto, pode ser usado apenas como uma estratagema de marketing. Por exemplo, a H & M tem uma coleção “consciente” que é feita a partir de materiais sustentáveis, mas a empresa é um negócio de fast fashion, eles nunca serão uma empresa sustentável.

No entanto, do ponto de vista da marca, mesmo os produtos únicos feitos de plástico reciclado são importantes para encorajar outras empresas a seguir o exemplo. É um bom momento, considerando o sentimento do consumidor cada vez mais positivo em relação aos produtos ecológicos.

DEIXE UMA RESPOSTA