A relação entre música e moda sempre foi muito próxima. David Bowie tornou-se uma referência de estilo “glam rock” e serviu de inspiração para estilistas como Jean-Paul Gaultier, Dries Van Noten e Gucci. Outro ícone da música e símbolo sexual foi George Michael que sentia uma grande devoção pelas supermodelos dos anos 90 e por isso as convidou para estrelar alguns dos seus vídeos musicais mais famosos.

O cantor que faleceu aos 53 anos no dia de Natal em 2016, se tornou uma estrela pop graças a sucessos como “Wake Me Up Before You Go-Go” e “Careless Whisper”. Mas se vamos falar sobre moda e George Michael temos que citar o famoso vídeo “Freedom”. Por que essa música é tão importante?

A história de amor entre George Michael e as supermodelos dos anos 90 stylo urbano-1
Deusas sublimes e maravilhosas dos anos 90.

Depois que George Michael abandonou o grupo Wham! formado com Andrew John Ridgeley, ele saiu em carreira solo, e lançou em 1990 a faixa “Freedom”. Como reação à fama, Michael não queria aparecer no vídeo, mas inspirado por Peter Lindbergh, ele escalou as tops Naomi Campbell, Linda Evangelista, Tatjana Patitz, Christy Turlington e Cindy Crawford para estrelar o clip musical. Sem dúvida, isso simbolizou a confirmação do reinado das supermodelos da década de 90.

Depois de ouvir a triste notícia de sua morte, os quatro tops que apareceram em “Freedom” mostraram suas condolências em suas contas de Instagram. A carreira dessas quatro modelos explodiu após este sucesso e ciente disso, expressaram orgulho por terem feito parte desta grande obra de George Michael.

I am beyond heartbroken and devastated by another tragic loss. R.I.P. dearest Georgy. #GeorgeMichael #ripgeorgemichael

A photo posted by Linda Evangelista (@lindaevangelista) on

Em 1991, no final de seu desfile em Milão, o estilista italiano Gianni Versace enviou o quarteto arrasa quarterão Crawford, Evangelista, Campbell e Turlington pela passarela. As quatro modelos estavam juntas murmurando a letra de “Freedom”, e isso se tornou um momento crucial na era das supermodelos.

A Vogue queria fazer uma homenagem ao vídeo da icônica música Freedom e fez uma versão modernizada. Desta vez, as protagonistas foram outras: a nova geração de supermodelos formadas por Adriana Lima, Anna Ewers e Irina Shayk. As tops aparecem dançando e desfilando pelas ruas de Nova York vestindo vários modelos de coleções primavera-verão 2017 assinaturas como Michael Kors, Marc Jacobs, Ralph Lauren e Rodarte, entre outros. Muito lindas mas ainda prefiro a nostalgia das supermodelos dos anos 90.

Michael amava os tops da década de 90 e queria mostrar ao mundo a sofisticação e sensualidade que exalavam aquelas mulheres que ele tanto admirava. Ele também fez outro vídeo chamado “Too Funky” que reuniu novamente Linda Evangelista a outras modelos como Eva Herzigova, Tyra Banks, Nadja Auermann, Emma Sjöberg-Wiklund, Estelle Lefebure, a atriz Rossy de Palma e a modelo, estilista e ilustradora de moda Connie Fleming.

Michael contratou o super estilista francês Thierry Mugler para filmar o vídeo e vestir o elenco,  injetando nele toda a sua paixão pelo drama, fetiche, luxo e teatralidade. Confira a modelo Emma Sjöberg-Wiklund como uma motoqueira punk diabólica usando corpete escultura de moto e traje robô cromado; Julie Newmar como uma midinette que enlouquece; Evangelista como uma alienígena sobre-humana em branco e Joey Arias como a estilista louca inspirada em Edith Head, vestindo uma saia de chiffon plissado com um espartilho de pérolas, uma camisola de malha preta apertada e os sapatos de fetiche. O vídeo foi feito para a caridade (e as pessoas envolvidas trabalharam de graça).

A história de amor entre George Michael e as supermodelos dos anos 90 stylo urbano-2

A morte de George Michael foi triste para sua família, amigos e fãs, mas certamente não é o fim da conexão entre a moda e a música.

A história de amor entre George Michael e as supermodelos dos anos 90 stylo urbano-3

DEIXE UMA RESPOSTA