A WWF da Finlândia, um ramo do maior grupo de conservação do mundo, está se unindo à Nordic Fashion Week Organization em um novo projeto que visa produzir uma linha de roupas verdadeiramente sustentável. A iniciativa “The New Normal” (O Novo Normal) é uma nova forma de produzir tecidos através da reciclagem química, e suprir a demanda global por peças de vestuário de acordo com o crescimento populacional.

“Atualmente, a produção de algodão requer quantidades substanciais de água, produtos químicos, energia e terra, enquanto os poluentes combustíveis fósseis não podem ser transformados em poliéster ou outros tecidos sintéticos para sempre. No entanto, muita roupa é descartada antes do fim de sua vida útil e acaba em aterros sanitários. Este projeto promete melhorar drasticamente a pegada ecológica da fabricação de vestuário, incentivando e promovendo soluções tangíveis“, disse Miiju Sirviö, da WWF Finlândia.

As roupas da iniciativa sustentável The New Normal usarão uma fibra reciclada altamente durável feita de resíduos têxteis por uma empresa finlandesa chamada Infinited Fiber. A coleção protótipo será exibida na Semana de Moda de Helsínquia, em julho de 2017 e a própria coleção será lançada no início de 2018. Um dos principais obstáculos em impulsiona a sustentabilidade na indústria tem sido a questão das fibras sustentáveis. No entanto, a fabricação de fibras celulósicas e recicladas têm aumentado de forma constante nos últimos anos e oferecem uma alternativa as fibras virgens.

A linha será produzida utilizando um processo inovador criado pela Infinite Fiber que permite reciclar infinitamente os resíduos têxteis de algodão, resíduos de papel e polpa de madeira em novas fibras, sem diminuir a qualidade da fibra, colocando a coleta dos materiais e sua produção num círculo fechado. A qualidade da fibra Infinited é a mesma que a viscose, mas seu processo de fabricação é altamente ecológico em comparação com o processo de fabricação tradicional da viscose.

Além do gasto intensivo de água, produtos químicos e energia para se fabricar roupas, a realidade é que a maioria das roupas que usamos acabam num aterro sanitário. A produção global de vestuário dobrou entre 2000 e 2014 devido ao aumento da eficiência das empresas de vestuário e a aceleração de seus ciclos de produção, e com isso conseguem oferecer uma grande gama de roupas baratas. O consumidor médio compra hoje 60% mais itens de vestuário por ano e os mantém por metade do tempo em comparação há 15 anos.

A coleção será feita em colaboração com a plataforma online AwayToMars que permitirá que todos participem no processo criativo, fornecendo um espaço onde qualquer pessoa pode enviar seus próprios projetos, idéias e comentários sobre os projetos. Os idealizadores do projeto querem criar um ambiente co-criativo para reunir talentos dispostos a fazer a diferença na moda de todo o mundo.

O The New Normal conta também com a ajuda da empresa Bomler que criou uma solução técnica disruptiva para simplificar o processo de terceirização e trazer transparência total para a cadeia de suprimentos, algo que até hoje não é alcançável pela maioria das empresas que operam na indústria da moda.

A cadeia de suprimentos estará disponível para todos verem através da tecnologia de transparência da Bomler. Nossa solução de consumo permite que os consumidores explorem quem fez suas roupas, de onde vêm os materiais e por quanto tempo a peça viajou antes de chegar às lojas “, explica Jaakko Levola, Diretor de Marketing da Bomler em seu site.

“O objetivo de nossa plataforma é ajudar a impulsionar o futuro da moda em direção à sustentabilidade, conectando marcas, fornecedores e consumidores em cadeias de fornecimento transparentes e possibilitando melhores oportunidades de fornecimento. Todos os fornecedores são convidados a candidatar-se para participar neste projeto através do nosso site www.bomler.com”, continua Jaakko Levola. A tecnologia de transparência da empresa pode ser utilizada tanto pelos consumidores como os fabricantes.

A transparência em toda cadeia de fabricação e varejo será uma norma em todas as indústrias em alguns anos para dificultar a falsificação de produtos, exploração de trabalho escravo, desperdício de recursos e uso de produtos químicos perigosos.

Fonte: helsinkifashionweekliv

DEIXE UMA RESPOSTA