O que Napoleão Bonaparte e logotipia esportiva tem em comum? Moschino! O irreverente estilista Jeremy Scott, apresentou na Pitti Uomo em Milão, a coleção masculina da Moschino para primavera/verão 2016. Jeremy fez uma louca mistura de épocas e estilos numa coleção super colorida, moderna e ao mesmo tempo retrô. O estilista fez uma mistura de aristocratas do século XVIII com Fórmula 1, ciclismo e grafite urbano. Os ricos bordados, perucas, babados, materiais acolchoados e jacquards que lembram cortesãos do palácio de Versailles que foram misturados com estampas de logotipia esportiva e imagens gráficas que lembram grafites impressos sobre os luxuosos jacquards.

O apelo comercial desta coleção, no entanto, estava nas peças esportivas estilo Fórmula 1.  Jeremy roubou os gráficos de carro de corrida e os adaptou em camisetas, jaquetas, casacos e calças. O estilista fez uma bizarra conexão entre a estética de Ayrton Senna e Louis XIV, mas mesmo assim, lá estava ela. E há, também, algumas peças femininas com tecido brocado de jacquard ou vestidos bufantes rabiscados com grafites caricaturais, a fim de contemporanizar os olhares.  O filme Casanova de Fellini foi a principal inspiração do estilista mas também havia influência dos filmes Rock Me Amadeus, Behind the Candelabra e claro, Marie Antoinette. Depois, mistura-se isso com jerseys de ciclismo e estampas gráficas de Fórmula 1, motocross e grafite com uma pitada de rock and roll. Loucura total!

O que achou da louca mistura de estilos de Jeremy Scott para a Moschino? Comente.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA