Por que a indústria da moda até agora não foi transformada pela tecnologia disruptiva? Uber mudou o transporte, Airbnb atrapalhou o negócio dos hotéis, e a Amazon desafiou os maiores varejistas do mundo, incluindo empresas como a Wal-Mart, Target, Best Buy e Sears. Todas elas faturam bilhões graças a revolução tecnológica que baixou os preços, melhorou a experiência do cliente e expandiu suas respectivas indústrias na era moderna.

Algumas indústrias têm evitado essa influência disruptiva,  e a principal delas é a indústria da moda rica em tradição. Nem todas, mas muitas marcas de moda ainda estão agarradas aos desfiles de moda e práticas tradicionais de varejo, mas as tecnologias disruptivas não perdoam ninguém. A moda caminhou ao longo de anos sem a introdução influente de novas ideias. Mas tudo isso está mudando, e isso está acontecendo rapidamente.

A nova era do Agile Retail na indústria da moda

Todo mundo gosta de roupas e a moda hoje é muito mais acessível do que no passado graças as modernas tecnologias de produção, logística, transporte e vendas. Em meados dos anos 2000, entrou em cena o “Fast Fashion” que mudou completamente o mercado. Empresas como a H & M, Zara, Top Shop, Mambo, Primark e Forever 21 reproduzem e vendem de forma rápida cópias das coleções de alta moda a preços de armazém. A cada ano elas produzem 10.000 a 15.000 novos estilos e os vende em milhares de lojas em todo o mundo.

Esta reviravolta rápida e o volume de estilos que essas empresas de fast fashion podem produzir acaba atrapalhando os varejistas mais antigos como as lojas de departamento. Hoje, uma nova indústria está emergindo segundo Roman Kirsch e  se chama “Agile Retail” ou “Varejo Ágil”. Roman Kirsch tem 27 anos é o fundador e CEO da startups de e-commerce Lesara, e recentemente foi mencionado pela Forbes em sua lista 30 Under 30 honoree, dizendo que a próxima geração de empresas de moda vai fazer 100% de suas vendas online.

Numa loja online os custos de operação são mais baixos em termos de armazenamento, logística, aluguel, etc. Essas economias são refletidas nos preços do varejo. Roman Kirsch é a cara da geração do milênio que nasceu na era da internet e aposta nas novas tecnologias disruptivas para puxar o tapete das grandes varejistas de fast fashion como fizeram o Uber, Airbnb e Amazon em outras áreas.

Mas como as grandes varejistas de moda poderão ser ágeis como uma startup? O desafio é que essas empresas são herdeiras de uma cultura empresarial antiquada, cheia de burocracia e níveis hierárquicos que são muito difíceis de mudar. Mas elas têm que mudar pois uma revolução dos consumidores está acontecendo e as organizações que estão parados no tempo ou não se adaptarem serão varridas do negócio. Isso é um fato que é visto quase todos os dias.

Lesara utiliza tecnologia disruptiva para tornar o fast fashion mais rápido e eficiente stylo urbano-1

O Agile Retail é um modelo focado nos gostos dos consumidores e utiliza dados e algorítimos inteligentes para prever novas tendências e estilos, gerencia ciclos de produção altamente eficientes, alcança um retorno rápido sobre estilos emergentes, produz só aquilo que vai vender evitando os resíduos de superprodução, e a distribuição é super rápida. O valor das ações da H & M caíram substancialmente no último ano, e eles anunciaram recentemente uma maior ênfase nas vendas pela Internet, talvez seja um sinal de que a H & M percebeu que o Agile Retail pode ser a próxima grande aposta.

Mas os consumidores querem mais e melhor e as empresas de varejo ágil têm intensificado seus esforços para atender a essa demanda. Lesara é uma loja de moda online que vende roupas a preços acessíveis em 23 países da Europa e segundo pesquisa da TECH5, é a empresa de tecnologia que mais cresceu na Europa registrando uma taxa de crescimento de mais de 3.000%. A Lesara é mais eficiente que as gigantes do fast fashion por ser uma empresa nova, mais enxuta, sem burocracia e tecnológica.

Lesara produz suas próprias roupas em fábricas certificadas na China que não utilizam mão de obra escrava, têm o seu próprio estúdio de fotografia em Hong Kong, atualiza seu site e aplicativo em várias línguas e antes que você perceba a sua encomenda está sendo entregue em casa. Da ideia à entrega em domicílio a empresa leva de 6 a 8 dias. Isso é ultra rapidez que nem a Zara é capaz de igualar.

Lesara utiliza tecnologia disruptiva para tornar o fast fashion mais rápido e eficiente stylo urbano-2

A Lesara parece e funciona mais como uma empresa de tecnologia do que uma empresa de moda tradicional. Não há coleções por temporada como verão e inverno, nem desfiles de moda, e certamente nenhum estilista famoso desenhando as coleções.

“Nós funcionamos mais como uma empresa de tecnologia, porque é a forma mais eficiente para executar o negócio, atuamos desta maneira, porque nos ajuda a fazer os itens de moda que os consumidores querem, e nós somos capazes de fazê-los primeiro“, disse Roman Kirsch.

As empresas de varejo ágil representam uma mudança fundamental na abordagem aos clientes. Em uma empresa de moda tradicional, um estilista famoso cria uma coleção inteira exclusivamente com base na sua inspiração. Estas peças são então apresentadas na passarela para que os compradores possam vê-las e encomendá-las para depois recebê-las em suas prateleiras seis meses depois.

Lesara utiliza tecnologia disruptiva para tornar o fast fashion mais rápido e eficiente stylo urbano-3
Roman Kirsch com um de seus fornecedores de tecidos na China

Esta é uma prática que continua entre as grandes marcas como Gucci, Prada, Vera Wang, Armani, Dior, Versace e várias outras grifes. Mas a verdade é que na era da internet e das redes sociais onde tudo é instantâneo, esperar por um produto de moda que vai levar seis meses para chegar às lojas se tornou um problema pois essa tendência vai ser copiada e queimada pelas redes de fast fashion rapidamente.

Por isso algumas grifes de moda estão optando pelo “see now, buy now” ou “veja agora, compre agora” onde as roupas que acabaram de desfilar já estão disponíveis para venda nas lojas.

O sistema Agile Retail utiliza dados inteligentes para encontrar quais tendências estão mais populares entre os consumidores, neste exato momento, e a capacidade de reagir a essas informações instantaneamente com uma cadeia de fornecimento integrado de fabricação. É realmente o próximo passo inevitável para varejo de moda na era da Internet.

Ele fornece aos consumidores mais opções de compra por menos, tornando o fornecimento de novos produtos mais rápido do que nunca. Qual é a diferença entre o Agile Retail e o Fast Fashion?

As duas diferenças mais importantes são que o Agile Retail é mais rápido e mais inteligente do que o Fast Fashion.

Curto ciclo de produção: H & M precisa de dois a três meses, desde a concepção para o mercado. Já a Lesara precisa de cerca de 10 dias até que um novo estilo estar disponível para compra online.

Zara é um líder na indústria do Fast Fashion, produzindo 11.000 novos itens a cada ano. A Lesara só tem dois anos e produz 50.000 novos itens a cada ano, partindo de um novo estilo desde seu nascimento até sua produção e depois entrega em domicílio em apenas 10 dias.

Zara oferece novos estilos para suas lojas duas vezes por semana. Já empresas de varejo ágil lançam novos estilos a cada dia. Zara comeu poeira!

Empresas de varejo ágil se concentram nos dados inteligentes. Eles sabem o que os consumidores querem e só produzem o que vai voar das prateleiras. Isso reduz as perdas de superprodução como nas redes de fast fashion que produzem vários modelos de roupas onde uma boa porcentagem acaba não vendendo e vão para liquidação.

Os dados inteligentes vão mudar tudo

A análise de dados inteligente permite que as empresas de varejo ágil possam ler e até mesmo prever tendências. Eles sabem quais cores e modelagens que os consumidores estão preferindo e pode até mesmo ajustar as suas escolhas de produção com base nas tendências sazonais. Será que vai ser um verão quente ou frio? Haverá muita chuva nesta primavera? (Sim? Então vamos fazer mais capas de chuva bege). Quais são as pessoas que gostam e compartilham no Facebook, Instagram e Twitter?

A Lesara é a cara dos consumidores da geração do milênio e tem mais frescor do que as já manjadas gigantes do fast fashion.

Talvez a habilidade mais notável deste novo tipo de empresa de moda tecnológica é a sua capacidade de produzir rapidamente e eficientemente novos estilos. A indústria de moda já está sentindo a pressão a partir deste modelo hiper-flexível. No início deste ano, as elites de moda como Tom Ford e Burberry, cancelaram seus desfiles no New York Fashion Week, anunciando que ambas estariam mudando suas práticas internas para oferecer produtos para a venda mais rapidamente e na temporada.

Conclusão

O tempo dirá se vamos ver um confronto entre o varejo ágil e a elite da moda. Nós testemunhamos gigantes do varejo sendo derrubadas por empresas mais novas e convenientes que só funcionam na internet. Várias lojas e centros comerciais tradicionais estão fechando.

O motivo? As pessoas não precisam mais empresas de varejo de tijolo e argamassa que lhes oferece os mesmos produtos que eles já têm acesso online. O Agile Retail torna a criação, produção e venda de artigos de moda mais rápida e eficiente e diminui o desperdício produzindo somente aquilo que os consumidores desejam.

As pessoas querem uma experiência mais personalizada. Eles querem que as suas necessidades sejam respondidas mais rápido e mais cedo. Está atrasado, mas o futuro da moda está acontecendo rapidamente. Logo, os estilos que os consumidores desejam e necessitam estarão disponíveis antes mesmo deles perceberem o que querem graças as novas tecnologias disruptivas.

Fonte: The Huffington Post

DEIXE UMA RESPOSTA