Ano passado escrevi sobre dois espaços de moda compartilhada (cosewing) em São Paulo e Curitiba como sendo os primeiros do Brasil. Na verdade o primeiro espaço foi inaugurado oficialmente em Março de 2014 na cidade de Recife e se chama Marco Pernambucano de Moda.

A estrutura abriga uma incubadora de empresas de design de produtos de vestuário, acessórios, têxteis e ambientes, ao mesmo tempo em que serve de espaço para venda dos produtos e na profissionalização da criação e ao empreendedorismo, oferecendo suporte técnico, gerencial e formação complementar aos estilistas.

O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e é gerido pelo Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco, com financiamento aproximado de R$ 2 milhões da Petroquímica Suape. O Marco Pernambucano da Moda está sediado num antigo edifício reformando de 100 anos.

O projeto de incubação 2015/2016 acolheu 43 projetos e, destes, 20 chegaram ao final do processo e definiram o caminho que buscavam seguir. Eram ideias de negócios que tiveram consultorias específicas e especializadas, de acordo com suas demandas. Nas palavras do presidente do Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco (NTCPE), Fredi Maia:

“O programa visa capacitar pessoas e empresas com projetos inovadores, em diferentes estágios de maturação, ajudando-as a obter sustentabilidade em suas futuras operações. O principal objetivo é transformar esses projetos em negócios”. Isso é importante pois as faculdades de moda focam muito em moda conceitual mas deixam a desejar no ensino de negócios pois moda é comércio. O site G1 da Globo fez uma interessante matéria sobre o Marco assista aqui.

Marco Pernambucano da Moda - Uma incubadora para criadores de moda stylo urbano-1

O Marco Pernambucano da Moda conta com a seguinte infraestrutura e serviços aos estilistas:

INFRAESTRUTURA

• 10 espaços individuais com área de 40 m2 cada, e 140 m2 para criação da moda pernambucana e showroom;
• Sala de reuniões, que pode ser utilizada para as consultorias, treinamento, atendimento a clientes, fornecedores ou funcionários;
• Sala de administração, recepção e atendimento ao público;
• Computadores com Internet banda larga;
• Refeitório equipado com geladeira, mesas e cadeiras;
• Espaço de 400 m2 para exposições e eventos relacionados com a moda;
• Núcleo de produção coletivo para prototipagem em confecção e treinamento;
• Acervo técnico especializado para consulta e pesquisa;
• Salão para exposições;
• Sanitários / Vestiários;
• Bar temático.

SERVIÇOS

• Assessoria para elaboração do plano de negócio das empresas;
• Consultoria financeira e de marketing;
• Consultoria jurídica, de planejamento, de recursos humanos, entre outros, de acordo com a necessidade das empresas;
• Acesso à informação tecnológica;
• Cursos e treinamentos;
• Participação em feiras, eventos, rodadas de negócios e workshops;
• Produção de materiais para divulgação;
• Exposições temáticas.

Bem legal né? É fabuloso que exista algo assim no Brasil e o interessante é que o projeto de incubação 2015/2016 foi patrocinado pela Petroquímica Suape (subcrédito social do BNDES), recebido via contrato de gestão firmado entre o NTCPE e Governo do Estado de Pernambuco. Desse modo os selecionados para incubação não precisaram pagar nada.

O projeto de incubação 2015/2016 teve onze meses de duração. Por ter sido a primeira experiência do Marco Pernambucano da Moda, o modelo está em avaliação e terá adequações. Uma delas é o prazo que deve ser ampliado para 18 meses. O próximo formato e modelo de incubação estará concluído até setembro de 2016.

Marco Pernambucano da Moda - Uma incubadora para criadores de moda stylo urbano-2

Os 20 incubados contaram com estações individuais de trabalho (até duas por projeto), conexão banda larga, salas de reunião, suporte administrativo e laboratórios avançados com tecnologia para desenvolvimento de produtos. Os ouvintes e convidados terão acesso garantido às palestras e capacitações, além de receber orientação dos consultores.

Nos três primeiros meses, fase considerada de pré-incubação, os projetos passaram pela fase de diagnóstico e possíveis aperfeiçoamentos nos planos de negócios, para então caminharem às etapas seguintes.

“Tão importante quanto o trabalho de estruturação de novos negócios nesse nicho da Economia Criativa, é o papel estratégico do Marco Pernambuco da Moda na ampliação da qualidade e, consequentemente, da competitividade da cadeia têxtil e de confecções de Pernambuco. Um dos principais segmentos industriais do Estado e que, com programas que fomentam a inovação como esse, pode ganhar ainda mais peso no mercado nacional”, comentou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões.

Marco Pernambucano da Moda - Uma incubadora para criadores de moda stylo urbano-3

As fases de incubação e pós-incubação incluem desde capacitação em gestão empresarial (com ênfase nas áreas fiscal, financeira, de administração e pessoal), até o desenvolvimento tecnológico dos produtos, validação das estratégias de mercado, atração de clientes, marketing e comercialização. O objetivo é a constituição de negócios que apresentem sustentabilidade. Na página do Marco no youtube tem alguns vídeos com os estilistas que participam do projeto.

Após 11 meses de incubação, 17 jovens marcas tiveram consultoria sobre gestão empresarial, produção, marketing e design com foco em negócios de moda. O resultado pode ser visto no desfile “Do popular ao erudito – um passeio pelas ruas do Recife”, que aconteceu dia 1º de julho no Marco Pernambucano da Moda. Veja abaixo.

Segundo informações de Celso Calheiros, assessor de comunicação do Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco, responsável pela gestão do Marco Pernambucano da Moda:

O Marco é um dos projetos do NTCPE, organização social sem fins lucrativos fundada pelo Sindicato da Indústria Têxtil de Pernambuco, o Sindicato da Indústria de Confecções de Pernambuco e a Federação das Associações Comerciais e Empresarias de Pernambuco (FACEP), com a participação direta de instituições ligadas à cadeia têxtil e de confecções, como o Sebrae, Senai, Senac, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

O projeto tem articulações com o Programa ProAPL (Arranjo Produtivo Local) de Confecções gerido pelo Instituto Tecnológico de Pernambuco (Itep); o Armazém da Criatividade do Porto Digital, organizações ligadas à Secretaria de Ciência e Tecnologia e Inovação do Governo de Pernambuco; com a Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (ADDIPER), realizadora da Feira de Negócios de Artesanato do Nordeste (Fenearte).

O Marco Pernambucano da Moda é uma cosewing mas tem potencial para ir além e se tornar uma fashion lab nos moldes da Manufacture NY, a maior incubadora de moda sustentável e tecnológica do mundo em Nova York ou as europeias Fashion Tech Berlim e a Fashion & Technology Lab Paris. Veja mais aqui.

Marco Pernambucano da Moda - Uma incubadora para criadores de moda stylo urbano-5

2 Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA