O ano de 2017 nos mostrou que a ética é o futuro da moda. Centenas de marcas e designers optaram por desenvolver coleções mais eco-conscientes, deixando de lado a ideia de que a moda sustentável é sem glamour ou sem estilo. Tudo isso nos faz prever sem muita dificuldade que de 2018 em diante, a ideia de uma moda circular e transparente será a norma na indústria têxtil e de vestuário. Dois exemplos dessa mudança são as marcas europeias Skunkfunk e Bonobo Jeans.

Skunkfunk, marca criada por Mikel Feijoo em Bilbao (Espanha) na década de noventa, continua a reforçar o seu compromisso com o desenvolvimento sustentável. Após o lançamento de uma coleção cápsula Zero Waste, sem qualquer resíduo têxtil e a obtenção de certificado de Comércio Justo em 2017, a marca está investindo forte na moda circular utilizando tecidos 100% reciclados. Da colaboração entre a Skunkfunk e a tecelagem francesa Filatures du Parc nasceram três modelos de fios reciclados para o outono-inverno 2018/19.

Na Filatures du Parc, metade das 600 toneladas de tecidos produzidos anualmente vem de roupas velhas e pedaços de tecido. A empresa, localizado em Brassac na França, é uma precursora na moda circular. Desde 2004, ela começou sua pesquisa para produzir fibras de resíduos têxteis através de reciclagem mecânica. Este tipo de fibra é responsável por 40% dos negócios da empresa.

A empresa colabora com o projeto Rebirth da marca Bonobo Jeans, na reciclagem de jeans velhos em novos fios têxteis. A empresa Le Relais recolhe os jeans velhos que são doados pelas pessoas, separa as peças que estão rasgadas para serem recicladas pela Filatures du Parc. Os jeans são picotados numa máquina até ficarem desfibrados, depois são fiados em fio com a adição de poliéster reciclado para se fabricar o denim reciclado.

A união dos dois fios reciclados é feita para permitir um nível de qualidade exigido para os produtos. E assim nasce o Rebirth, um tecido que não tem necessidade de cultivo do algodão, que valoriza a economia circular. Uma maneira inteligente de se aproveitar economicamente os resíduos têxteis.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA