A indústria da moda atualmente é responsável por uma superprodução alarmante que faz com que toneladas de roupas e resíduos têxteis acabem nos aterros sanitários todos os dias, e cerca de 30% de tudo que é produzido só deixa as lojas com desconto. Marcas grandes e pequenas estão todas cientes desse problema. Todas estão lidando com estoques de roupas e acessórios não vendidos e a devolução de peças compradas online que não agradaram ou serviram nos clientes.

Há também o desperdício de 15% de retalhos de tecidos que sobraram do corte além do estoque dos erros de produção. Por que a superprodução e os estoques de peças prontas são aceitos como um risco empresarial? Porque “é assim que sempre fizemos isso“. Para reverter essa tendência, as empresas de moda precisam desenvolver novos modelos disruptivos de negócios que se ajustem a sua produção e às exigências reais dos consumidores.

Atualmente a moda sob demanda está sendo explorada por empresas de pequeno e médio porte mas vai acabar sendo adotada também por grandes empresas como já acontece com a NIKEiD que permite ao cliente personalizar seu tênis. Uma forma de se criar um modelo de negócio mais sustentável para empresas é a “moda sob demanda”. Outras palavras usadas para esta abordagem são “design participativo” e “moda personalizada”. Uma característica principal da moda sob demanda é que o cliente tem o poder de influenciar o design final do produto, através de sua participação direta.

Moda sob demanda surge como alternativa sustentável a superprodução stylo urbano

Uma forma simples de participação é onde o cliente pode escolher o tecido para uma peça de roupa entre um número limitado de alternativas de cor. Já um alto grau de participação acontece quando o cliente é autorizado a escolher entre uma grande variedade de tecidos, cores e modelos, incluindo “extras” como botões, estampas, bordados e aviamentos de modo a criar uma peça que tenha mais a ver com seu estilo individual.

Através da criação de produtos personalizados, os consumidores estão propensos a desenvolver um maior apego às suas roupas ou acessórios, mantendo-os por mais tempo. Além disso, através do processo participativo de design personalizado, os fabricantes irão eliminar a necessidade de estoques de peças prontas, bem como o risco de excesso de produção e o desperdício de materiais.

Criando produtos de qualidade feitos para durar, utilizando matérias primas recicladas ou sustentáveis e reduzindo o excesso de produção e estoque, a estratégia da moda sob demanda poderia se tornar uma das principais estratégias para a indústria da moda circular. Estoque é sinônimo de dinheiro parado e superprodução é sinônimo de desperdício e descarte de produtos, por isso as marcas de sapatos Shoes of Prey e Harperwoods juntamente com as marca de moda eShakti e The Girl and the Machine adotaram a moda sob demanda .

Anteriormente falei sobre a história da marca de sapatos femininos Shoes of Prey e da marca de tricô 3D The Girl and the Machine. Já a marca indiana de sapatos Harperwoods está numa campanha no Kickstarter para financiar sua bela coleção de sapatos masculinos e femininos personalizáveis que são produzidos por artesãos indianos.

Através do site “Harperwoods Design Studio” você poderá definir o design, materiais e cores do sapato com base no seu estilo pessoal que pode ir de um design clássico ou excêntrico, escolhendo cores vibrantes e combinações rebeldes. O poder de decidir é seu. Com um clique do mouse, você pode criar o seu próprio sapato de luxo pessoal.

A marca de moda feminina eShakti é uma das plataformas online de personalização de roupas mais antigas, fundada em 2001. A marca é focada em vestidos com design clássico inspirado nas décadas de 50 e 60, atraindo mulheres de vários tamanhos e formas, que não estão à procura da “última tendência da moda”, mas em vez disso, procuram uma roupa com bom ajuste e comprimentos de manga e saia apropriadas.

Esta marca de e-commerce oferece uma ampla gama de modelos de vestido, a maioria dos quais têm opções para personalizar o formato do decote, tipo de mangas e saias. A marca promete entregar um vestido personalizado dentro de 12-18 dias depois do pedido ser pago, o que é bastante impressionante pois a fabricação da eShakti é feita na Índia.

Dar ao cliente o poder de personalizar sua roupa ou acessório seguindo seu estilo pessoal com a ajuda da tecnologia é a forma mais democrática de se vender moda atualmente, ainda mais com o crescente interesse dos consumidores das gerações Y e Z na sustentabilidade.

Até um século atrás, a indústria da moda fabricava produtos de qualidade que duravam toda a vida. Mas desde o surgimento do sistema de produção fast fashion nos anos 80, a indústria da moda vem produzido intencionalmente produtos de pior qualidade para incentivar o hiperconsumismo e a superprodução. A moda sob demanda surge como alternativa racional e sustentável para acabar com o desperdício da obsolescência programada.

DEIXE UMA RESPOSTA