Durante séculos, a humanidade sonhou com robôs inteligentes automatizados que pudessem andam como seres humanos e fazer as mais diversas tarefas, desde tocar instrumentos musicais para nos distrair até fazer trabalhos extenuantes e perigosos. Os robôs humanoides funcionam muito nos filmes de ficção científica mas no dia a dia ainda não conseguiram decolar, mas a empresa americana Boston Dynamics quer mudar isso através de seu modelo de robô Atlas, que em sua nova versão, está cada vez mais impressionante.

A Boston Dynamics é uma das empresas do grupo Alphabet de propriedade do Google que é especializada em criar robôs autônomos. Esse modelo da “próxima geração” de robô Atlas é menor e consegue se movimentar perfeitamente sobre duas pernas sem a necessidade de cabos. O robô tem 1,75 metro de altura e pesa 82 kg recheado com motores, sensores e outras parafernálias eletrônicas. O novo Atlas consegue se movimentar tanto em lugares fechados como ambientes abertos com terrenos acidentados.

Nova geração de robô humanoide prova que a ficção científica está se tornando realidade stylo urbano-1

O robô “enxerga” o seu redor com câmeras especiais e tem diversos sensores no corpo e pernas para manter seu equilíbrio e saber onde está cada obstáculo e objeto que precise movimentar. O Atlas é um dos vários protótipos de robôs humanoides projetados para nos livrar de trabalhos perigosos ou entediantes. O robô humanoide é o resultado de décadas de pesquisa robótica para criar um criatura autônoma que possa se movimentar livremente sem a ajuda humana.

Nova geração de robô humanoide prova que a ficção científica está se tornando realidade stylo urbano-2

O Atlas ainda é um protótipo e seus desenvolvedores terão que solucionar a barulheira irritante que o robô faz ao se movimentar, melhorar a autonomia de sua bateria elétrica e também miniaturizar os seus componentes para que ele tenha um design mais compacto e harmonioso. E por último é claro o preço. Depois de resolvido isso, em 10 anos poderemos comprar pela internet a nova geração do robôs domésticos Atlas para fazer as tarefas diárias como o robô Rose do desenho “Os Jetsons”.

Nova geração de robô humanoide prova que a ficção científica está se tornando realidade stylo urbano-3

Os robôs vão acabar assumindo os postos de trabalho que são mais perigosos, repetitivos e de baixa qualificação. Mas, por sua vez, o nosso conhecimento, criatividade, destreza e outras habilidades humanas são difíceis de replicar e se tornarão mais valiosos.

Os robôs poderiam ser usados ​​para amplificar as nossas capacidades, em vez de substituir completamente todos os trabalhadores humano. Mas com as novas tecnologias de impressão 3D, inteligência artificial, realidade virtual, realidade aumentada, carros autônomos, roupas e objetos inteligentes e os robôs humanoides, a vida em 2030 vai ser radicalmente diferente do que é em 2016.

DEIXE UMA RESPOSTA