Devido a constante pressão internacional para reverter os problemas socioambientais causados pela produção insustentável do fast fashion, a indústria da moda terá que se adequar aos novos métodos de produção do século XXI, focados na Indústria 4.0 e economia circular. Várias iniciativas para tornar a moda mais ética e sustentável estão surgindo pelo mundo todo, e estão sendo propostas por diversas organizações e empresas. Conheça a seguir algumas delas.

O primeiro padrão mundial para economia circular 

O primeiro padrão do mundo para a implementação dos princípios da economia circular foi lançado recentemente. A implementação dos princípios da economia circular para organizações é o padrão BS 8001, criado pela britânica BSI e visa ajudar as empresas a se moverem da antiquada e poluente economia linear para a inovadora e sustentável economia circular. O novo padrão irá abordar a normalização no domínio da gestão dos recursos, apoiar o planejamento, execução, avaliação e revisão do pensamento da economia circular. A intenção é que qualquer organização possa usar esse padrão, não importa em qual estágio esteja caminhando para o novo modelo circular.

Novas iniciativas para economia circular visam tornar a indústria da moda mais sustentável stylo urbano - 1

A BSI desenvolveu uma série de normas que suportam a prevenção de resíduos, eficiência dos recursos, eco-design e remanufatura, mas afirma não existe atualmente um padrão focado inteiramente na gestão de recursos dentro do conceito da economia circular. A aplicação da norma para o setor de vestuário fornecerá a indústria da moda os dados para enfrentar os desafios inerentes à reciclagem na indústria têxtil. Mesmo as grandes empresas de vestuário com grandes recursos oferecem apenas pequenas coleções com matérias primas recicladas, e esse quadro não deve mudar no futuro próximo.

O lançamento do BS8001 tem o potencial de ajudar milhares de empresas que têm se esforçado para adotar a ética e sustentabilidade em seus negócios, e esse novo padrão tem toda a capacidade para realmente transformar a forma como as empresas fazem negócios, fornecendo as marca a oportunidade perfeita para se beneficiar da nova era da economia circular.

Marcas colaboram para desenvolver materiais circulares

H & M, Kering, Eileen Fisher, Loomstate e Zero + Maria Cornejo se uniram numa nova iniciativa destinada a acelerar o desenvolvimento de materiais circulares para uso na indústria de vestuário. As marcas estão identificando os “blocos de construção” dos materiais, como fibras, fios, acabamentos, guarnições e corantes, com o objetivo de otimizá-los para circularidade. O objetivo final é que esses materiais possam ter o certificado para produtos Cradle to Cradle.

A colaboração entre o Instituto de Inovação Cradle to Cradle e o Fashion Positive Plus visa unir marcas, designers e fornecedores e é financiado por grandes varejistas de moda e organizações. O objetivo da Fashion Positive Plus é convocar algumas das maiores marcas e os designers mais inovadores do mundo para colaborar e acelerar a otimização e disponibilidade dos blocos de construção de materiais circulares para a indústria da moda. A ideia da iniciativa é dirigir a melhoria dos materiais utilizados com maior potencial para impactar positivamente a saúde humana e ambiental e, no processo, catalisar mudanças sistêmicas para a indústria da moda. Saiba mais aqui.

Wear2Wear, uma nova parceria de moda circular

Cinco empresas europeias, representando cada fase do processo de reciclagem, aderiram à iniciativa Wear2Wear para desenvolver sistemas de produção inovadores que visam a transformação de roupas de segunda mão em novas fibras têxteis e tecidos funcionais. A parceria industrial europeia Wear2Wear vai lançar tecidos de qualidade 100% reciclados, recicláveis ​​e livres de PFC.

Novas iniciativas para economia circular visam tornar a indústria da moda mais sustentável stylo urbano - 2

Os parceiros envolvidos na iniciativa são a Glaeser Textil, empresa alemã fabricante de fibras e fios feitos através de reciclagem; Märkische Faser, outra fabricante alemã de fibras recicladas; as suíças Schoeller Textil, que produz tecidos sustentáveis ​​e confortáveis ​​de alta tecnologia; Sympatex, fabricante de materiais e revestimentos exteriores reciclados; e Technologies, outra empresa alemã, que produz membranas 100% recicláveis e livres de PTFE e PFC.

Outra empresa é a holandesa DutchSpirit, que é dedicada a roupas ambientalmente amigáveis, e começou a fazer parte da parceria Wear2Wear com o objetivo de aumentar a sensibilização para a roupa sustentável e introduzir o modelo de economia circulares nos segmentos de moda casual e de trabalho.

Todos os parceiros da Wear2Wear garantem que todos os tecidos que produzem são 100% recicláveis ​​e que todos os materiais são feitos de fibras têxteis recicladas. Além disso, a tecnologia repelente de água e sujeira é feita à base de matérias primas renováveis, junto com a tecnologia de membrana. Isso garante que os têxteis são desenvolvidos e fabricados inteiramente sem a utilização de PFC. Depende da própria iniciativa privada iniciar a mudança do antigo sistema linear para o novo sistema circular. O meio ambiente e os consumidores agradecem.

DEIXE UMA RESPOSTA