Vivemos na era do plástico feito de petróleo que por não ser biodegradável leva centenas de anos para de degradar no meio ambiente. Toneladas de plástico são despejados todos os dias nos aterros e vão parar até nos oceanos causando enormes problemas socioambientais. É urgente a necessidade de criar novos bioplásticos que possam se decompor rapidamente depois de descartados evitando a necessidade de serem reciclados. Mas existe uma possibilidade melhor para esses bioplásticos, a de serem comestíveis.

Dois pesquisadores do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) desenvolveram um novo filme plástico feito a partir de caseína do leite que pode ser consumido junto com o queijo. Isso significa que poderemos ter nos supermercados, embalagens plásticas cobrindo os alimentos que podem ser comidos junto de forma saudável. Já existem plásticos comestíveis, mas são feitos em grande parte de amido e não de proteína.

O grande vantagem do filme é dele ser consumido junto com a comida, acabando com todas aquelas embalagens plásticas não degradáveis que vão parar no lixo. O filme também possibilita adicionar vitaminas ou minerais ou maneiras de bloquear danos leves ao alimento. E, você pode adicionar sabores. Se você quiser adicionar um sabor de morango ou qualquer outro, você pode incorporar isso no filme. Depois do inovador tecido feito de caseína de leite azedo Qmilk agora temos o plástico feito de leite.

O componente chave da inovadora embalagem é a caseína , um grupo de proteínas do leite com elevado valor nutricional. As investigadoras do projeto, Peggy Tomasula e Laetitia Bonnaillie acreditam que o leite em pó poderia ser usado para produzir o filme.

Isso também lhes permite fazer uso do excedente de leite em pó durante períodos em que as fazendas leiteiras estão produzindo muito leite. As pesquisadoras refinaram o produto, tornando-o menos sensível à umidade e melhoraram o processo de fabricação do filme para que pudesse ser mais uniforme e comercial.

O filme de caseína poderia ser vendido em rolos ou ser pulverizado sobre os alimentos como revestimento. Ele pode embalar o chá instantâneo e ser dissolvido na água quente liberando sua proteína como também pode ser pulverizado sobre os cereais substituindo o açúcar para mantê-lo crocante. O novo filme é mais eficaz no bloqueio de oxigênio do que a embalagem de plástico comum, o que protege melhor os alimentos por um período muito mais longo evitando que se estraguem.

Haveria algumas limitações, pelo menos inicialmente pois ele seria usado em grande parte para cobrir produtos lácteos ou alimentos como cereais. Como é um produto feito de leite, as pessoas alérgicas a caseína não poderiam comê-lo e por isso teria que vir com uma rotulagem alertando.

Mas como é biodegradável pode ser utilizado para fazer sacolas de supermercado para carregar compras. Quando descartado vai se decompor em pouco tempo. Mas o alimento coberto pelo filme de caseína precisa vir numa caixa ou pacote para evitar que se suje ou pegue umidade. Para saber mais sobre o novo plástico veja aqui.

Qmilk, o tecido biodegradável feito de leite azedo.

DEIXE UMA RESPOSTA