Por mais de dez anos, a marcação de peças de vestuário com etiquetas ou tags removíveis com chips de rádio-frequência (RFID) tem sido a norma na indústria para gerir os estoques dos produtos com eficiência. Agora, duas startup de tecnologia estão efetivamente ajudando a impulsionar a nova era da “internet das roupas” através de uma tecnologia revolucionária composta por minúsculos componentes eletrônicos que são inseridos no próprio fio do tecido da roupa, não podem ser localizados, removidos ou desativados por falsificadores ou ladrões, podem durar tanto quanto o tecido e podem até mesmo sobreviver à máquina de lavar.

A Primo1D é uma empresa fundada na França em agosto de 2013 e desenvolveu um dispositivo microeletrônico anti-roubo que permite que um chip de RFID possa ser diretamente fixado a dois fios condutores que funcionam como antenas para serem aplicados num fio. Dentro do E-Thread (micro encapsulação de circuitos eletrônicos) há uma tag RFID passiva que não requer nenhuma fonte de alimentação e pode ser lida por qualquer leitor UHF RFID padrão.

Novos chips de RFID inseridos nos fios dos tecidos criam roupas conectadas stylo urbano-1

Uma vez que os chips e antenas RFID são integrados em um fio de algodão, poliéster, lã ou plástico, as tecelagens podem tecê-los em peças de vestuário, roupa de cama, artigos de luxo ou produtos industriais que podem ser lavados e ter seus estoques controlados de forma eficiente. De acordo a Primo 1D, o E-Thread fornece uma excelente alternativa a outras etiquetas ou tags de RFID que os falsificadores ou ladrões podem ver e remover dos produtos. Além disso, o pessoal da loja muitas vezes as removem quando o produto é vendido.

Quando se trata de roupas de luxo de alto valor, a preocupação das marcas é que a etiqueta RFID seja removida do produto para ser anexado a uma versão falsificada daquele produto, e depois retorne para a cadeia de abastecimento para ser vendido nas lojas. Com a tecnologia E-Thread, um falsificador não saberia a localização do chip e da antena, e seria incapaz de colocá-los em um produto falsificado. Portanto, os falsificadores não seriam capazes de desativar as tags em uma loja ou outro local com a intenção de passá-los através de um leitor sem ser detectado.

E quais as outras vantagens dessa tecnologia para roupas conectadas?

GESTÃO DE INVENTÁRIO

Garantir a rastreabilidade de seus produtos
Melhorar a gestão de fluxo para evitar escassez de estoque e facilitar o reabastecimento
Aumentar a confiabilidade do inventário em armazéns e lojas

AUTENTICAÇÃO DE SUAS CRIAÇÕES

Identificar cada unidade de sua produção
Empenhar-se ativamente na luta contra a falsificação e roubo
Garantir a prova de origem de cada produto para seus clientes

Etology é uma startup americana de tecnologia que pretende unir os princípios da economia circular com a Internet das coisas através dos chips de RFDI inseridos nos fios dos tecidos. Com o rápido crescimento da tecnologia vestível e da Internet das coisas, a introdução de novos produtos inteligentes na moda tem o potencial para facilitar uma economia sustentável e circular. A tecnologia da informação tem o potencial de ir além do controle do ciclo de vida do produto para o auto-controle do produto, onde os objetos podem se comunicar e administrar o seu próprio caminho através da economia circular.

Novos chips de RFID inseridos nos fios dos tecidos criam roupas conectadas stylo urbano-2

Roupas, sapatos e bolsas inteligentes podem desencadear informações específicas sobre o que fazer quando se chega ao fim de sua vida útil, incluindo a forma de reciclagem, desmontagem, remanufatura, venda ou troca. Para habilitar o desempenho sustentável de produtos inteligentes, a Etology insere um número único de identificação no produto com a informação essencial para otimizar sua vida útil. Inserindo chips de RFDI nos fios das roupas e tecidos, pode-se ter uma visão completa de onde e como foi fabricado, quais as matérias primas utilizadas e o que fazer com o produto quando for descartado.

Dessa forma a Etology permite um controle mais eficiente dos produtos pelas marcas de moda e pelos consumidores pois todo o histórico da peça estará inserido na trama do tecido e não poderá ser adulterada ou falsificada. A internet das coisas e os produtos inteligentes poderão conectar os trilhões de itens que consumimos a cada ano em todo o mundo, nos dando todas as informações necessárias para maximizar o ciclo de vida do produto e reciclar seus materiais de forma contínua, reinserindo-os na cadeia de produção.

Sem a internet das coisas, uma economia verdadeiramente circular não pode existir. Para avançar a sustentabilidade em toda a indústria da moda, o sistema deve ser interligado e ágil, informado todos os dados aos fabricantes e consumidores. Com dispositivos inteligentes embutidos em roupas e acessórios, poderemos criar a verdadeira indústria da moda circular que fornece todos os dados de fabricação de forma transparente aos consumidores. A tecnologia dos minúsculos chips de RFDI inseridos nos fios dará um enorme impulso a Internet das roupas.

DEIXE UMA RESPOSTA