A indústria da moda precisa se adaptar às mudanças provocadas pela falta de água, escassez de recursos, desperdício de matéria prima, aumento da população, crises econômicas e a constante evolução no comportamento do consumidor. Qual o melhor caminho para o futuro da moda? Para a indústria da moda ser sustentável economicamente, ela deve ser sustentável tanto social e ambientalmente. Por quê? Porque nós estamos vivendo tanto num desastre ecológico como numa crise econômica e social.

A população mundial está em explosão demográfica desde a Revolução Industrial que começou na Inglaterra em meados do século XVIII, onde o planeta tinha um pouco mais de um bilhões de habitantes, mas em 2025 chegaremos a quase nove bilhões de habitantes na Terra. O mundo está agora lutando para se adaptar a uma nova realidade ambiental com os aterros sanitários superlotados com toneladas de resíduos industriais, aumento da poluição das fontes de água, terra e ar pelas indústrias além da crônica falta de água em diversos países, põe em risco tanto a produção de alimentos como de fibras naturais para a indústria têxtil.

Pollution-Fashion-Rain-pH-Dress-min

A insustentável indústria do Fast fashion já não contará com tantos recursos naturais para continuar sua fabricação em massa, encurtando o ciclo da moda e acelerando a velocidade do varejo. Na realidade, estamos na iminência do que é chamado da “era slow fashion” e da “economia circular”. No futuro, o mero valor material não será mais suficiente para evocar uma sensação de consumo nos consumidores. Com a escassez de água causada pela mudança climática extremas e pelo desperdício humano, vamos precisar de roupas inteligente para monitorar nossa saúde e o clima.

A BioCouture criada pela designer vanguardista Suzanne Lee, une design com bio e nano tecnologias de ponta para criar em laboratório, roupas biodegradáveis feitas por bactérias. Roupas inteligentes também poderão ter uma vida mais longa por causa de sua finalidade altamente funcional com tecidos que se auto-regeneram, não sujam nem se molham, captam energia solar e cinética para alimentar dispositivos eletrônicos, monitoram a saúde e os exercícios do usuário como também se conectam a outros dispositivos eletrônicos.

biocoutureheader-640x360

A desaceleração da moda vai criar roupas que mudam de cor, estampa e forma, permitindo ao consumidor mudar de acordo com seu ritmo sem precisar comprar novas peças. Marcas de moda focadas na transparência, ética e sustentabilidade serão priorizadas pelos consumidores, e a personalização em massa vai evitar o enorme desperdício do sistema atual de “oferta e procura” para outro mais mais sustentável de “procura e oferta”.

Os produtos de consumo personalizados possibilitam que o cliente participe da sua criação de forma ativa, tornando-se o designer. Através desse processo elimina-se o estoque de produtos prontos, que por si só, gera uma enorme economia por não desperdiçar recursos naturais.

TouchscreenShirt-min

A moda sustentável é uma tendência paralela a moda tecnológica, onde as pessoas vão possui menos roupas mas de maior qualidade. São roupas projetadas para serem reutilizadas ou biodegradadas com é o caso dos novos tecidos feitos de resíduos de alimentos, reciclagem de roupas velhas ou produtos sintéticos que foram descartados como redes de nylon e garrafas pet.

A evolução da moda é o casamento entre a “tecnologia vestível” e a “sustentabilidade”, e em breve, estaremos dando as boas-vindas a nova realidade da moda conectada onde podemos experimentar roupas multifuncionais e inovadoras.

img201412051115105-min

DEIXE UMA RESPOSTA