Se você passa mal e o hospital fica longe demais não se preocupe, um novo conceito de clínica médica de auto condução chamado Aim traz o médico até você. Engenheiros e designers já desenvolveram carros, tratores, ônibus e trens de auto-condução e até mesmo uma loja de conveniência autônoma 24 horas que leva mercadorias diretamente à sua porta. No entanto, apesar dos avanço para melhorar a nossa qualidade de vida, o cotidiano da saúde pública permanece presa no passado, com os pacientes esperando horas nas filas dos hospitais e sair de lá sem ser diagnosticado corretamente pois os médicos muitas vezes não têm acesso aos dados do paciente.

Todo o aborrecimento em fazer uma reserva para uma consulta médica ou ter que esperar no hospital faz com que muitas pessoas prefiram fazer uma pesquisa no google para fornecendo um auto-diagnóstico, o que pode ser perigoso. Com isto em mente, o artefact group, uma agência de design de tecnologia em Seattle/EUA projetou o conceito Aim, uma clínica de auto-condução que utiliza inteligência artificial para diagnosticar os problemas de saúde dos pacientes, oferecendo avaliações mais precisas e abordando as necessidades específicas de saúde de cada paciente que entra no veículo.

O Hospital fica longe? A clínica médica de auto-condução AIM vem até você stylo urbano

Mas tudo começa no banheiro da casa do paciente, com um espelho inteligente, escova de dentes e um dispositivo wearable de monitoramento. Se houver algum problema, o próximo passo é chamar a clínica médica autônoma Aim, enviada para a sua casa ou local de trabalho para fazer mais testes. E só se for clinicamente necessário que você vai precisar de ver um médico humano pois o assistente IA poderá fazer o diagnóstico sozinho. O AIM se conecta ao wearable do paciente, recolhendo seus dados de saúde para ajudar a inteligência artificial a fazer o diagnóstico.

O sistema permite que os pacientes façam interações simples para compartilhar detalhes sobre como se sentem. Toda a unidade é otimizada para auto-avaliação, com diagnósticos embutidos como termografia e análise da respiração. Dentro da clínica móvel também é possível encontrar sensores embutidos para medir o peso, IMC, equilíbrio e postura, e um assento que fornece uma análise acústica da respiração e ritmo cardíaco.

A unidade Aim também utiliza sensores de movimento conectados com projeção do corpo do paciente em realidade aumentada para ajudar o usuário a visualizar seus problemas físicos, enquanto a iluminação controlada na clínica facilita a avaliação através de reconhecimento de imagem. Monitores fornecem as instruções em tempo real para o paciente. Quando o diagnóstico é feito, um resumo visual é enviado para um aplicativo no telefone do paciente, juntamente com as instruções sobre o que fazer.

Fonte : https://www.artefactgroup.com

DEIXE UMA RESPOSTA