Roupas feitas de impressoras 3D serão com certeza o próximo grande passo no mundo da moda. Estilistas como Danit Peleg e empresas como a Tamicare estão entre as primeiras a criar roupas que usam a impressão 3D. Mas a criação de roupas de lã, utilizando uma máquina de tricô robótica que fosse acessível sempre foi difícil, até agora. O designer espanhol, Gerard Rubio, criou uma nova máquina de tricô de código aberto chamada OpenKnit que é capaz de tricotar qualquer coisa desde uma blusa para um vestido em apenas uma hora usando hardware e software de fonte aberta.

Gerard Rubio criou essa máquina de tricô de código aberto para o seu projeto final na universidade onde ele passou muito tempo aprendendo sobre impressão 3D, têxteis e maquinaria. Rubio começou seu projeto como uma simples curiosidade para experimentar e hibridizar ferramentas e disciplinas mas acabou mesmo foi criando um novo sistema de produção. No começo, o designer tinha pouca experiência com tricô, mas depois de muita pesquisa, ele adaptou seu conhecimento do mundo da impressão 3D para desenvolver essa máquina.

“A OpenKnit é uma máquina de tricô de baixo custo (menos de 550 €) e de código aberto, que proporciona ao usuário a oportunidade de criar sua própria roupa sob medida a partir de arquivos digitais. A partir da matéria-prima, o fio, e direto para a sua utilização final , uma blusa por exemplo, leva cerca de uma hora para ser tecida”, explica Gerad Rubio. O designer construiu a máquina completamente do zero, e entre o desenvolvimento das peças e montá-las em conjunto, foi um processo de tentativa e erro que levou mais de um ano.

“Comecei por aprender a trabalhar com teares, para começar a descobrir como uma túnica poderia ser criada automaticamente”, disse Rubio a Dezeen. “Uma vez que eu entendi que seria possível alcançar, comecei a desenhar a máquina e a construí-la ao mesmo tempo.” Esse espírito de curiosidade e determinação foi o mesmo que fez com que a estilista Danit Peleg criasse sua coleção de moda feita de impressão 3D, sendo que ela nunca tinha trabalhado com uma antes.

OpenKnit consiste em seções que trabalham em conjunto para criar as peças de vestuário: a barra na parte superior da máquina contém camadas de agulhas em forma de gancho, onde o tecido é enrolado em torno delas em um sistema mecanizado com um movimento semelhante a uma máquina de escrever antiga.

Um carro em movimento guiado por um sensor puxa os fios para a máquina acima dos ganchos, que se movem para agarrá-los e trazê-los para baixo para criar pontos. O carro também pega os pontos e os passa ao longo de uma agulha para outra para criar a malha. O aparelho pode utilizar até três tópicos diferentes para criar diferentes seções de uma peça de roupa.

Uma placa Arduino, um pequeno computador de baixo custo, é programado com o desenho a ser feito para cada peça e orienta todos os elementos da máquina para criar o produto final. A OpenKnit está ainda em seu estágio inicial de seu desenvolvimento e as vezes precisa de alguma intervenção humana, exigindo a colocação manual dos pesos para manter as roupas em seu lugar. Mas o objetivo do designer é automatizar todo o processo o melhor possível.

“A ideia desde o início tem sido a de ter este processo 100% automatizado, então qualquer um pode criar suas próprias peças de vestuário sem qualquer conhecimento de desenho, cortar ou costura”, disse Rubio a Dezeen. “Esse é o objetivo do projeto agora.”

Profundamente inspirado pelo projeto RepRap, Rubio disponibilizou todas as instruções para a criação de um dispositivo OpenKnit no GitHub, um site de hospedagem de arquivos de código aberto onde está incluído uma lista dos materiais, um diagrama dos circuitos, um modelo 3D da máquina, e os arquivos para impressão.

Uma vez que a máquina seja construída, os usuários podem fazer seus próprios projetos, utilizando o software livre Knitic, que também se comunica com a OpenKnit através de uma placa Arduino. Um repositório online de roupas digitais chamado doknityourself.com, criado por Takahiro Yamaguchi, é uma plataforma complementar onde os projetos podem ser compartilhados e baixados para impressão.

“Eu decidi tornar o projeto de código aberto de modo que qualquer um possa ter acesso gratuito a toda a documentação para criar a sua própria máquina”, disse Rubio. “Desta forma, o projeto pode evoluir mais rapidamente, uma vez que qualquer usuário é um desenvolvedor em potencial.”

Rubio disse que as tecnologias de código aberto poderiam reformular drasticamente a paisagem da produção.

“A fabricação está ficando mais e mais próximo dos usuários, oferecendo alguns meios de produção para as pessoas que vão despertar sua criatividade e novos laços sociais, transformando os usuários em produtores”, disse Rubio. “É algo necessário em nossos dias devido ao absurdo de nosso modelo atual de produção e consumo, em que a maioria de nós usamos roupas que foram fabricadas em vários locais ao redor do mundo.”

A impressora OpenKnit é usada em conjunto com o software Knitic, que é um software de fonte aberta que permite desenhar suas roupas customizadas e se comunicar com a máquina de tricô via Arduino. “A pegada ecológica dessas roupas auto-produzidas é reduzido drasticamente em comparação com este modelo.”

Esta é a coleção foi feita com impressora OpenKnit.

Outras pessoas já estão usando os modelos de Rubio para construir suas próprias máquinas, e ele pretende começar a fazer oficinas de hospedagem para introduzir o dispositivo a mais pessoas. O designer planeja mudar seu estúdio de Barcelona para Londres, onde a UCL vai apoiar a sua investigação. Ele espera antes de tudo para automatizar totalmente o processo, e a partir daí para adicionar outras capacidades na máquina, como a compatibilidade com diversos materiais e circuitos, e padrões de duas cores.

Peças artísticas de tricô feitas com a ajuda do software de fonte aberta Knitic

O que achou da máquina de tricô de código aberto OpenKnit? Comente.