Nosso planeta é um sistema fechado e os recursos da natureza não deveriam estar ser desperdiçados. A situação atual mostra que os recursos que usamos como matérias-primas, perdem a sua identidade e se transformam em resíduos. O arquiteto Thomas Rau, lançou uma nova iniciativa que inspira uma mudança positiva: a Madaster Foundation, que promove, estimula e supervisiona o desenvolvimento e utilização de um “passaporte de materiais” para tornar a construção civil mais circular. Segundo o arquiteto: “cada edifício é um depósito de materiais e os resíduos são materiais sem uma identidade”.

Fundar uma Ebay para os resíduos de materiais de construção não é ótimo? Se todos os dados relevantes de um edifício são registrados em um passaporte de material, em seguida, os materiais podem ser recuperados durante a renovação e demolição para reutilização. Ao fazê-lo, evita-se que estes materiais demolidos sejam despejados ou queimados, na qual o seu valor é desperdiçado. Dessa forma, um edifício que vá ser demolido, torna-se um depósito de material útil. A Madaster Foundation criou uma plataforma online, na verdade uma “biblioteca” online que fornece tecnologia para identificar todos os materiais de uma construção para posterior reciclagem.

Para receber as informações da biblioteca online, deve-se acessar o BIM (Building Information Model). Desta forma, as quantidades e os preços de todos os materiais são mostrados facilmente. A economia circular foca na prevenção do uso de novos recursos. Isto significa a reutilização de produtos e materiais em novas funções através da reciclagem, e com isso tentar evitar a queima ou descarte dos materiais. Precisamos de uma plataforma como essa no Brasil.

Um edifício possui uma enorme quantidade de componentes, produtos e materiais. Todos, do proprietário, empreiteiro, desenvolvedor para o arquiteto podem adicionar os dados de um edifício à biblioteca do Madaster e armazená-lo na nuvem. A nova sede da empresa de energia Liander em Duiven (Holanda), um projeto de RAU Architects, é um dos primeiros edifícios do mundo, com um passaporte de materiais. O balanço dos materiais do edifício foi atualizado em várias fases do processo de construção.

Vários desenvolvedores, fornecedores e bancos aderiram ao projeto. Pablo van den Bosch, co-fundador da Madaster, disse: “Madaster é uma organização sem fins lucrativos. É o nosso trabalho para criar os passaportes de materiais, o mercado pode criar suas próprias iniciativas para usá-los. Demolir e transportar material custa muito dinheiro mas com a reciclagem desses materiais, o valor correto é criado, o que é interessante para todas as partes. Nosso objetivo é permitir que os materiais mantenham o seu valor máximo de tempo possível e evitar que sejam queimados ou jogados fora nos aterros.”

Qualquer pessoa poderá consultar a plataforma online, que estará disponível ao público no final de Setembro de 2017. Por enquanto a Madaster está disponível apenas para parceiros da iniciativa. Para su desenvolvimento, a Madaster está à procura de empresas que podem contribuir para a plataforma, tanto financeiramente e substantivamente. Para mais informações, visite o website Madaster Foundation. 

DEIXE UMA RESPOSTA