Pesquisadores na Finlândia desenvolveram tecidos de malha feita a partir de fios de algodão reciclado quimicamente que utilizam apenas 2% da água gasta na produção de algodão virgem e 10% da viscose, permitindo novas aplicações industriais dos resíduos têxteis anteriormente inutilizáveis. Os pesquisadores também dizem que os tecidos feitos a partir deste novo processo têm propriedades únicas que são um meio caminho entre as fibras de algodão e viscose.

O método desenvolvido pelo VTT Technical Research Centre da Finlândia envolve a dissolução de tecidos e retalhos de algodão usados ​​e descartados e utilizá-los como matéria-prima para a uma nova fibra. Os primeiros modelos de produtos demonstraram que a fibra reciclada pode ser transformada num tecido com toque agradável. Com base num processo de dissolução carbamato, a tecnologia tem sido utilizada para produzir o primeiro lote de fibras recicladas numa fábrica piloto. O tecido feito a partir da fibra reciclada superou as expectativas do pesquisador pois tem um acabamento suave, com um toque natural.

Livre do dissulfeto de carbono

O método é muito mais sustentável do que o processo da viscose, em que é necessário dissulfeto de carbono para a dissolução. Além disso, os resíduos de poliéster são removidos a partir do material de algodão, utilizando métodos conhecidos da indústria de pasta de papel.

De acordo com os pesquisadores, a pegada de carbono de fibra reciclada produzida utilizando a tecnologia de carbamato é um terço menor do que o algodão e na mesma categoria da viscose. A pegada de água da fibra reciclada é 2% do algodão virgem e 10% da viscose.

A pesquisa continua para escalar a produção

O fio foi fiado na Universidade de Tecnologia de Tampere na Finlândia a partir do algodão descartado que foi transformado em fibras no laboratório da VTT. As características da fibra competem com os fios comerciais quando está sendo girada. Após essa etapa, os primeiros produtos como luvas e malha, foram feitas pela empresa de malhas Agtuvi.

Alguma pesquisa ainda é necessária a fim de alcançar a confiabilidade do processo. A startup Infinited Fiber Company foi criada para acelerar o processo de design e licenciamento da tecnologia. O processo de fiação está sendo desenvolvido para a produção industrial através da colaboração entre o VTT e a startup no centro piloto Bioruukki do VTT na Finlândia. Uma variedade de fibras de celulose podem ser desenvolvidas numa unidade de fiação construída em Bioruukki.

DEIXE UMA RESPOSTA