Agora os cegos vão poder sentir as pinturas dos grandes mestres da pintura. Didu é uma metodologia desenvolvida pelo estudios Durero para reproduzir pinturas famosas em imagens em relevo. Em sua aplicação principal, o Didu combina ferramentas tecnológicas, artísticas e pedagógicas para a conversão de uma imagem digital em uma imagem que podem ser tocadas para ajudar a pessoas cegas a “verem” as pinturas.

Enquanto a maioria das obras de arte penduradas nas paredes do museu estão estritamente fora dos limites do contato físico, o estudios Durero quer que o público tenha a experiência de sentir com as mãos obras de Da vinci e El Greco. Com o desenvolvimento de seu projeto ‘Didu’, o estúdio espanhol visa abrir as portas do mundo da fotografia e das artes plásticas para os deficientes visuais, oferecendo-lhes a compreensão da composição e da forma das obras através de imagens em relevo tridimensionais.

Uma combinação de ferramentas educacionais, artísticas e tecnológicas nos permite transformar uma imagem digital em uma imagem que pode ser tocada e que faz sentido, não só para os olhos, mas também ao toque. Explica  a equipe. Trabalhando na interpretação artística e análise de texturas, formas e volumes, um processo de produção é definido para cada obra de arte. Didu dá às imagens uma nova dimensão com valor educativo que tem múltiplas aplicações no mundo da arte. “

Até 28 de junho de 2015, o Museu do Prado abriga a exposição “tocando o prado”, que compreende seis obras representativas de diferentes gêneros artísticos que agora podem ser tocadas. O projeto permite que a pintura seja recriada mentalmente como um todo, proporcionando uma percepção emocional da obra. Os visitantes com deficiências visuais serao capazes de experimentar uma sensação artística-estética-criativa, a fim de explicar, discutir e analisar as obras em exibição. É a tecnologia ajudando as pessoas.

O que achou dessa iniciativa de imprimir pinturas famosas para os cegos? Deixe seu comentário.

DEIXE UMA RESPOSTA