Eu já falei sobre impressão 3D no meu blog antes, e agora eu mostrarei o mundo da impressão 4D e a programação têxtil. Eu fiquei inspirado a fazer isso depois de visitar o site do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. O MIT é uma das principais universidades técnicas do mundo e muitas pessoas não imaginam quanto conhecimento eles compartilham online. Fiquei atraído por algumas idéias incluindo a impressão 4D e a programação têxtil.

Os novos tipos de tecnologia avançada estão sendo desenvolvidos no Self-Assembly Lab. Além de outras aplicações, como a medicina ou a arquitetura, a indústria da moda também irá utilizá-los em alguns anos.

Em 2030 com os novos desenvolvimentos científicos de compostos multifuncionais que empregam nanotecnologia e eletrônica molecular na fabricação de tecidos inteligentes através de impressão 3D/4D e tecelagem 3D, isso será o que existe de mais sofisticado na indústria da moda. O desenvolvimento dessas tecnologias de forma integrada criará uma nova profissão que unirá as disciplinas de moda, design, ciência, tecnologia e arquitetura, inaugurando a nova era da “moda científica”.

Por que o MIT é importante para indústria da moda stylo urbano-1

As novas profissões do futuro serão “híbridas” segundo a papisa da moda Li Edelkoort, onde diversas disciplinas serão misturadas numa só para que o profissionais saiam da universidade com uma visão ampla do mundo e poderem trabalhar nas mais diversas áreas e não da forma limitada e segmentada da educação atual onde cada um fica no seu quadrado.

A fim de apresentá-lo a esta tecnologia, eu recomendo que você se familiarize com uma pequena palestra no TED feita por Skylar Tibbits onde ele fala sobre a impressão 4d e a programação têxtil.

A impressão 4D é na verdade a impressão 3D adicionada com uma outra dimensão, neste caso o tempo. Isso permitirá que criadores projetem objetos que mudam de forma com o tempo. Basta pensar em roupas que mudam de forma como as alterações da sua silhueta, que se ajustam às condições meteorológicas, que criam novas texturas e efeitos tridimensionais deixando o tecido mais fino no verão e mais grosso no inverno ou calças que podem se tornar um vestido, se necessário. Existem inúmeras possibilidades!

Qual é a importância dessas novas tecnologias?

Elas podem causar o fechamento das fábricas de roupa barata na Ásia, podem reduzir o consumo de energia e custos de produção. Na minha opinião, a marca que irá implementar esta tecnologia em primeiro lugar será, provavelmente, uma das marcas esportivas pois por incrível que pareça, é nesse nicho que a tecnologia vestível está mais avançada.

Uma das inovações mais fantásticas na moda serão os têxteis programáveis, ou seja, um conjunto de materiais que podem facilmente mudar as suas formas. Na minha opinião, os materiais programáveis constituem uma solução alternativa para o futuro da moda.

Materiais programáveis

Materiais programáveis consistem em tipos de materiais que são projetados para se tornarem altamente dinâmicos em sua forma e função, mas eles são como como materiais tradicionais, facilmente fabricados e capazes de transporte fazer auto-montagem de baixo custo. Estes novos materiais incluem: fibra de carbono de auto-transformação, grão de madeira impressos, compósitos têxteis personalizados e outras borrachas/plásticos, que oferecem recursos sem precedentes, incluindo ter uma atuação programável, sensoriamento e auto-transformação, a partir de um material simples.

Por que o MIT é importante para indústria da moda stylo urbano-2

Em todos os setores pode-se usar esses materiais inteligentes que mudam de forma tanto no vestuário, arquitetura, design de produto e fabricação para as indústrias aeroespacial e automotiva. O MIT pesquisa formas de criar sistemas dinâmicos eficientes, máquinas de alto desempenho e produtos mais adaptáveis.

Uma série de recentes tecnologias foram reunidas para permitir um avanço no desempenho do material. Essas tecnologias incluem: a impressão de multi-materiais 3D/4D , avanços na ciência dos materiais e novas capacidades do software de simulação/otimização. Esses recursos tornaram possível programar completamente uma ampla gama de materiais para mudarem de forma e aparência sob demanda. Veja a seguir os materiais programáveis que o MIT está pesquisando.

Fibra de Carbono programável

A fibra de carbono é tradicionalmente caracterizada por ter elevada rigidez, resistência à tração, e de baixo peso, o que é vantajoso para muitas aplicações industriais. Os pesquisadores do MIT tem programado fibra de carbono para se transformar de forma autônoma, imprimindo o material ativo em fibra de carbono flexível totalmente seco e aplicação de calor como um ativador. Um único pedaço de fibra de carbono programável transforma a sua forma para criar vantagem aerodinâmica e desempenho sintonizável que pode ser aplicado principalmente na indústria automobilística e aeronáutica.

Madeira programável

As técnicas de flexão de madeira tradicionais exigem equipamentos complexos, processos de formação intensivos e um alto grau de especialização. Além disso, a madeira natural e as suas propriedades físicas, tornam difícil fazer curvas em formas complexas. As novas tecnologias de impressão de materiais compósitos pode agora superar as limitações anteriores de madeira.

Folhas planas de compósito de madeira impressos podem ser projetadas para se auto-transformar em formas controladas e únicas. Enquanto o laboratório do MIT tem utilizado água como meio para a ativação deles, os pesquisadores também podem criar compósitos de madeira que se adaptam radicalmente a condições ambientais extremas.

Tecido programável

As propriedades translúcidas, leves e maleáveis dos tecidos têm sido utilizados por séculos na arquitetura, mobiliário e vestuário. O MIT demonstrou um novo método para a utilização de tecidos que podem tirar proveito de suas propriedades únicas, reduzindo a complexidade dos processos de formação.

Colocando materiais de espessuras variadas impressos diretamente sobre tecidos esticados, os pesquisadores criaram estruturas de auto-transformação que se reconfiguram em formas pré-programadas. Tecidos programáveis abrem novas possibilidades para o design de móveis, acessórios e roupas, arquitetura, bem como novos métodos de auto-montagem e interação do usuário com as peças que está vestindo ou tocando.

E se nossa roupa puder reconhecer e responder ao olhar de alguém? Este é um wearable interativo de impressão 3D criado por Behnaz Farahi que pode detectar o olhar de outras pessoa e responder de acordo. A moda de 2030 terá recursos tecnológicos multifuncionais e interativos nunca antes visto, criando uma completa mudança do que entendemos como roupa. Será que com o advento da inteligência artificial e a internet das coisas elas terão vida própria?

Engenheiros criam um novo tipo de origami super-resistente para estruturas

Uma nova geração de meta-materiais está emergindo de uma fonte dos anos 80. Essa é a essência de um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, no qual um trio de engenheiros descreve uma nova forma de origami que eles dizem poder transformar uma simples folha de papel em uma estrutura com resistência de magnitude duas vezes maior. Esse trabalho de origami tridimensional pode ser feito em tecido como mostra este post sobre tecelagem 3D.

“A engenharia de origami deu um grande salto nos últimos anos”, diz Evgueni Filipov, coautor do estudo e candidato a PhD na Universidade de Illinois, em um vídeo sobre o trabalho. Este novo padrão é chamado de “zippered tube”, ou tubo de zíper, e se baseia em um tipo de origami mais recente chamado Miura-ori, ou dobradura Miura.

Esta forma de dobradura é uma ótima maneira de transformar uma folha de papel em um pedaço bem pequeno e ela foi criada pelo astrofísico japonês Koryo Miura nos anos 1980. Ele imaginou uma forma de robotizar o processo de dobradura de painéis solares em um pequeno espaço antes de eles serem lançados para o espaço. Miura chegou a um design que influencia a NASA até os dias de hoje.

Imagens e vídeo via Georgia Tech

O padrão de Miura é comum hoje, e forma a base para o tubo de zíper. Essas estruturas são incríveis porque elas são mutáveis. Depois de séculos recorrendo a materiais pesados e permanentes para construir estruturas, estamos vendo uma geração de materiais que são resistentes, porém bastante flexíveis.

Essa tecnologia do origami pode ser aplicada nos novos materiais programáveis para criar móveis, objetos de decoração, acessórios e até roupas. O futuro promete novas tecnologias surpreendentes que irão elevar a moda a um patamar muito além que nós já experimentamos.

DEIXE UMA RESPOSTA