Seu corpo está cheio de energia que está sendo subutilizada e que poderia estar sendo aproveitada para alimentar dispositivos inteligentes como relógios, pulseiras, anéis, óculo, celulares e até roupas inteligentes. A revolucionária tecnologia em questão é um gerador termoelétrico feito em fibra de vidro (TE) que é extremamente leve e flexível e produz eletricidade a partir do calor do corpo do ser humano, e foi desenvolvido por pesquisadores coreanos da KAIST. Será que eles se inspiraram nas máquinas do filme Matrix?

A tecnologia vestível têm sido aclamada como a próxima geração de dispositivos eletrônicos móveis, mas para que esses dispositivos eletrônicos possam ser usados por um utilizador, eles devem ser leves, flexíveis e equipados com uma bateria de longa duração que pode ser portátil ou não. Como fornecer energia de forma estável e confiável é uma das questões mais críticas para comercializar dispositivos portáteis.

ed_news_1_1398043709-min

Byung Jin Cho, um professor de engenharia elétrica da KAIST está no comando da equipe para desenvolver o gerador termelétrico flexível. O dispositivo é feito de pastas líquidas de n-type (Bi2Te3) e p-type (Sb2Te3) impressos no tecido de vidro através da aplicação de uma técnica de serigrafia.

Como resultado, centenas de pontos de TE são impressos sobre o tecido de vidro com uma espessura de centenas de mícrons de espessura. Quando colocado sobre o corpo, o lado que fica sobre a pele utiliza o calor residual para gerar energia, similar ao conceito de como um painel fotovoltaico capta energia do sol para gerar energia.

kaist-power-armband-1-min

O material é muito flexível e pode ser dobrado várias vezes e ainda gerar energia. Ao usar o gerador de TE da KAIST (com um tamanho de 10 cm x 10 cm) ele pode produzir cerca de 40 mW de energia elétrica com base na diferença de temperatura de 31 ° F entre a pele humana e do ar circundante.

Essa energia pode ser usada para alimentar um relógio inteligente ou outros dispositivos móveis com esperança de que este tipo de tecnologia poderia tornar os dispositivos auto-alimentados e sustentáveis. Eventualmente, a tecnologia poderia até ser utilizada para tirar proveito de outras formas de calor desperdiçado em sistemas maiores.

kaist-power-armband-2-min

“Nossa tecnologia apresenta uma maneira fácil e simples de fabricar um extremamente flexível, leve e de alto desempenho gerador TE”, explica o professor Byung Jin Cho. “Esperamos que esta tecnologia irá encontrar mais aplicações em sistemas maiores, tais como automóveis, fábricas, aviões, navios e onde vemos abundante energia térmica sendo desperdiçada.”

Via PhysOrg

DEIXE UMA RESPOSTA