Já imaginou poder utilizar scanners 3D portáteis acoplados em seu smartphone para poder digitalizar automaticamente qualquer objeto e torná-lo um arquivo virtual para ser impresso em 3D? Duas startups projetaram dois dispositivos muito legais que vão levar a digitalização 3D a um outro nível.

A startup canadense Matter and Form, lançou uma campanha bem-sucedida para Indiegogo de seu dispositivo de baixo custo chamado Bevel que é um scanner 3D que pode ser anexado em dispositivos móveis para capturar objetos em 3D.

O Bevel tem 6,4 centímetros de comprimento e é capaz de capturar objetos usando uma luz laser para escanear os objetos. Em seguida, ele transforma os dados em fotografias 3D que podem ser compartilhados com outras pessoas através de seu aplicativo gratuito.

Você pode anexar a câmera 3D em seu smartphone ou tablet simplesmente conectando-o à tomada do fone de ouvido, devido ao seu clipe universal que se adapta a qualquer tamanho de dispositivo móvel. A bateria pode ser recarregada usando a porta USB. Parece mais tecnologia do espião 007.

O Bevel está numa campanha de financiamento no Kickstarter e custará cerca de US $ 49, é compatível com Android e IOS e tem previsão de começar a ser vendido em dezembro de 2015.

A revolução 3D está apenas começando e a impressão 3D é apenas uma pequena parte dela, pois a digitalização e modelagem 3D vão tornar tudo muito mais fácil. Os scanners 3D portáteis, irão ajudar na criação de modelos digitais, sem a habilidade necessária com software CAD.
Startups criam Scanners 3D portáteis acoplados ao smartphone que digitalizam qualquer objeto físico stylo urbano-2

Os novos scanners 3D estão sendo lançados com um poder de computação acoplado aos nossos smartphones para fazer a digitalização 3D ainda mais acessível do que nunca. Agora, uma nova empresa autraliana chamada Eora 3D, tem planos para lançar o seu próprio dispositivo de digitalização de baixo custo para o público através de uma campanha quer será lançada em Setembro pelo Kickstarter e custará cerca de US$ 199.

Da mesma forma que o Structure Sensor que é fixado em um tablet mas custa US$ 390, o scanner 3D Eora extrai seu poder de computação do iPhone 5 ou 6 ao qual ele está conectado. Ao contrário do Structure, o Eora utiliza um laser verde em vez de uma câmara de profundidade, para captar os contornos de um objeto, o que, a empresa afirma, resulta em um modelo 3D de cores com maior precisão.

Embora o scanner possa ser usado no modo livre em sua mão ou montado em um tripé, para digitalizar objetos grandes, a Eora 3D também desenvolveu uma plataforma giratória controlado por Bluetooth para a captura de objetos com até 200 mm de altura em cerca de cinco minutos.

Livre da plataforma giratória, o scanner pode escanear uma área de um metro e pode digitalizar objetos até um metro de distância. Juntamente com o seu software, ele pode juntar vários pedaços que foram escaneados em conjunto para criar um modelo de grande escala.

É incrível ou não é? Você pode levar esses scanners 3D portáteis para qualquer lugar e digitalizar alguma coisa que tenha gostado para depois trabalhar no computador a imagem 3D para uma apresentação ou até mesmo imprimi-lo em uma impressora 3D.

Startups criam Scanners 3D portáteis acoplados ao smartphone que digitalizam qualquer objeto físico stylo urbano-6

DEIXE UMA RESPOSTA