Vivemos na Era do Plástico e sua principal fonte de matéria prima são os combustíveis fósseis, um recurso limitado, poluente e não renovável. Os resíduos plásticos levam centenas de anos para se degradar, causando dano aos animais e meio ambiente. O consumo de garrafas plásticas para água, sucos e refrigerantes está crescendo cada dia e a maioria dessas garrafas não são recicladas, indo parar nos aterros ou nos oceanos.

A boa notícia é que os fabricantes de bebidas engarrafadas estão começando a procurar substitutos para a garrafa plástica feita de petróleo. Ao longo dos últimos anos, empresas como a Pepsi e a Coca-Cola adotaram matérias-primas de fontes vegetais para suas garrafas de plástico e agora, para acelerar ainda mais essa transição, a Danone e a Nestlé Waters, dois dos maiores fabricantes de água engarrafada do mundo, incluindo marcas como Evian e Perrier, criaram um projeto chamado NaturALL Bottle Alliance para fazer garrafas de plástico 100% de fontes sustentáveis .

A aliança está trabalhando com a startup Origin Materials sediada na Califórnia, que tem a tecnologia para usar madeira ou produtos à base de madeira como papelão e serragem. Ao contrário de outras fontes de plástico à base de plantas, tais como cana de açúcar ou de milho cultivadas para produção de etanol, a madeira não compete com a produção de alimentos.

O plástico mais frequentemente utilizado para fabricar garrafas de PET é o tereftalato de polietileno. Ele feito a partir de dois componentes: etileno-glicol, que já pode ser obtido a partir de fontes à base de plantas, tais como cana de açúcar; e ácido tereftálico, que muitas vezes vem de combustíveis fósseis. O processo habitual para produzir ácido tereftálico a partir de combustíveis fósseis requer seis ou sete etapas químicas. A Origin Matarials reduziu esse processo para quatro etapas utilizando em vez de petróleo bruto um material barato como madeira de pinus.

Com o apoio da Naturall, a startup planeja construir uma fábrica que produzirá 5.000 toneladas de plástico em 2018, consistindo de pelo menos 60% de matérias-primas biológicas. O objetivo é atingir 95% de PET de base biológica em grande escala comercial para cerca de 1 milhão de toneladas.

Cerveja em garrafas plásticas de madeira

A fabricante de cerveja dinamarquesa Carlsberg está investindo numa garrafa totalmente biodegradável para suas bebidas. A “Garrafa de fibra verde” irá ser feita a partir de fibras de madeira de origem sustentável ou da celulose do papel utilizado em caixas de ovos e embalagem de proteção de produtos eletrônicos. A garrafa opaca e inquebrável será muito mais leve do que as garrafas de vidro utilizados pela empresa.

Sua garrafa plástica de água poderá em breve ser feitos de madeira stylo urbano

A empresa está trabalhando com os especialistas em embalagens moldadas ecoXpac para trazer o novo produto para o mercado em 2018. As garrafas da Carlsberg serão totalmente de base biológica e biodegradável, incluindo a tampa, e produzidas em uma única peça sem precisar usar um revestimento interno. As garrafas podem ser recicladas como papelão ou jornais e irão decompor-se naturalmente.

O Grupo Carlsberg é um dos maiores grupos de cervejaria do mundo, proprietária de 500 marcas de cerveja , incluindo sua principal marca, Kronenbourg, Elephant, Tuborg e Baltika.

A Sustainable Cards é uma empresa que faz cartões de presente e cartões de visita a partir de madeira, e decidiu que poderiam fazer uma garrafa de água de madeira bonita e durável em vez de plástico. A garrafa BIRCH, com o nome da madeira a é feita, tem uma película externa em madeira de vidoeiro e um núcleo de compósito feito de fibra de madeira, com uma bio-película orgânica sobre o interior da garrafa para evitar que a água entre em contacto com a madeira.Todas as garrafas são feitas na Suécia proveniente de florestas geridas de forma sustentável no norte da Europa. A garrafa BIRCH fez sua campanha no Kickstarter.

As multinacionais estão cada vez mais sentindo a pressão dos consumidores para desenvolver produtos que sejam mais sustentáveis e éticos. Uma saída para alcançar melhores padrões ambientais é trabalhar em conjunto. Alianças entre uma indústria, como a Naturall, criar um espaço onde empresas concorrentes investem pequenas quantias e todos colhem os benefícios, sem perder uma vantagem.

Definimos metas econômicas muito ambiciosas”, disse Frederic Jouin, chefe de pesquisa e desenvolvimento para materiais plásticos da Danone no site da Naturall. “Se não for comercialmente viável, o material não vai a lugar nenhum.”

DEIXE UMA RESPOSTA