As roupas feitas com tecidos inteligentes têm o maior potencial de todas as tecnologias vestíveis (wearables) do mercado! Smartwatches, smartglasses, jóias inteligentes e outros acessórios vão continuar a atrair a sua quota de mercado, mas eles não agradam a todos os gostos, enquanto praticamente todos os seres humanos do planeta usam roupas! A porta foi aberta para uma nova era da tecnologia móvel e agora podemos integrar quase todos os aspectos de nossas vidas com os computadores, enquanto estamos em movimento.

Por isso é bastante inevitável que as roupas que vestimos serão feitas com circuitos eletrônicos flexíveis e resistentes que vão nos conectar a internet e a outros aparelhos. Integrando a microeletrônica na estrutura dos tecidos através de serigrafia, impressão 3D ou bordados, esses sistemas bioeletrônicos flexíveis vão interagir diretamente com o corpo criando possibilidades sem precedentes.

Muitos investidores de tecnologia e pesquisadores de tendências de moda, acreditam que os têxteis inteligentes e a tecnologia vestível (wearable) terão um rápido crescimento, se as questões-chave como as fontes de alimentação e lavagem forem resolvidos. Os internautas mais jovens querem mais opções de conectividade, velocidade e comunicação de múltiplas funções. O envelhecimento da população vai se beneficiar da tecnologia vestível que monitora os níveis de freqüência cardíaca, temperatura, respiração ou atividade física.

Tecidos inteligentes vão criar roupas mais interativas e multifuncionais stylo urbano

A última década mostrou uma revolução em curso em que os dispositivos eletrônicos estão se tornando menores e mais sofisticados. Embora seja mais fácil de transportar um dispositivo eletrônico em seu bolso ou bolsa, ainda há um certo distanciamento entre o usuário e o dispositivo. Esse distanciamento vai ser reduzido quando seus dispositivos eletrônicos tornarem-se parte de suas roupas diariamente.

Isto tem levado à introdução de um novo tipo de categoria: os eletrônicos flexíveis, que são componentes eletrônicos integrados no tecido que são capazes de se esticar acompanhando a mecânica têxtil.

Tecidos eletrônicos ou e-textiles são materiais têxteis inovadores, (tecidos, fios e linhas), que incorporam fibras condutoras e microchips diretamente no próprio têxtil. Os e-textiles reagem às condições ambientais, tais como a de outras fontes mecânicas, térmicas, química, elétrica ou magnética.

Os e-textiles podem ser feitos com uma variedade de materiais condutores incluindo prata, aço inox, cobre, condutores orgânicos ou até mesmo tinta. Os fios estão disponíveis em muitas estruturas e podem ser revestidos, torcidos ou fiados. Conheça 21 ideias de moda wearable que serão o próximo grande passo da moda.

1 . O  Vestido Twitter

A marca de moda CuteCircuit projetou o primeiro vestido de alta costura do mundo conectado ao Twitter feito a partir de tecidos inteligentes. Ele foi usado por Nicole Scherzinger num evento de tecnologia em Londres.

O deslumbrante vestido de alta costura foi construído com 8 metros do mais fino chiffon de seda francesa, decorado com mais de 500 cristais Swarovski e mais de 2.000 micro LEDs, que acende-se para visualizar os tweets enviados pelos fãs de Nicole em tempo real durante o evento. A melhor parte do vestido é a tecnologia por trás dele que mostra as mensagens dos tweets intercalados com desenhos geométricos coloridos em movimento.

2. O vestido repelente 

O vestido repelente é feito de um tecido projetado para repelir mosquitos que transmitem a malária, considerando que a malária mata 655 mil pessoas por ano na África. A estilista nascida na Gâmbia, Matilda Ceesay projetou uma coleção infundida com “cristais” de insecticida que são mais seguros e mais duráveis do que os atuais sprays repelentes para pele.

Sua inovação no design de tecidos tem refletido uma nova mudança no vestuário de proteção para a prevenção. Matilda também lançou uma coleção para crianças, considerando que são elas as mais vulneráveis para pegar malária. É sempre inspirador ver uma mulher descobrindo uma nova invenção. Veja as fotos aqui.

3. O vestido Intimacy 2.0

Estúdio Roosegarde na Holanda fez algo novo. O Intimacy 2.0 é um vestido feito de couro e folhas de plástico inteligentes que ficam transparentes quando as batidas do coração da usuária sobem, o que o torna um item de tecnologia wearable com uma ampla gama de possibilidades. O vestido foi projetado para ajudar as mulheres a mostrarem emoções como por exemplo ao se sentirem animadas.

A ideia original por trás do tecido inteligente era mostrar a excitação através da mudança da cor do vestido, mas o vestido também se ilumina sempre que as taxa de batimentos cardíacos aumentam o que pode incluir medo, esforço ou excitação também.

4. Vestidos 2 em 1 de Hussein Chalayan

O designer de moda turco/britânico Hussein Chalayan cria roupas altamente originais e belas como uma obra de arte. Chalayan faz uma mistura incrível entre arte e moda mostrando com os dois mundos estão interligados. O seus desfiles originais são criados utilizando tecnologia wearable que transformam roupas em esculturas fascinantes.

Na sua coleção de outono/inverno 2013 ele exibiu vestidos “dois em um” que se transformam magicamente com um único movimento das mãos sobre o decote para revelar uma outra camada do vestido que estava escondido debaixo do decote. Hussein Chalayan é um gênio!

5. Roupas iluminadas de Richard Nicoll 

O estilista Richard Nicoll mostrou um adorável vestido iluminado na passarela da London Fashion Week. A peça de vestuário parece ser feita a partir do tecido de fibra ótica da Lumigram. Nicoll conseguiu transmitir uma fluidez que  lembra as águas-vivas realçado pelo luminoso e fluído tecido de fibra óptica.

6. Vestido Ping 

Ping é uma peça de roupa ou tecido inteligente que se conecta à sua conta do Facebook sem fio e de qualquer lugar. Ele permite que você fique conectada aos seus amigos e familiares simplesmente através da realização de gestos naturais que são interpretados pelo software instalado na roupa. Levante o capuz, amarre o laço, feche ou abra o zíper, toque o tecido ou simplesmente ande, gire e balance para se comunicar com seus amigos naturalmente e automaticamente. Sem telefone, sem laptop e nenhum hardware. Basta agir naturalmente e ficar conectada.

A tecnologia está integrada no ombro da peça que fornece um “toque sutil” para te avisar. Se seus amigos lhe enviarem um comentário ou uma mensagem de volta, a peça irá notificá-la vibrando no ombro. Legal né?

7. Vestidos interativos
Designer de moda Ying Gao  fabricou dois vestidos feitos com fios de fotoluminescência e se contorcem e se acendem quando alguém olha para eles. Ele utilizou uma tecnologia de rastreamento ocular para que os vestidos movam-se quando um espectador está os olhando fixamente.

Os vestidos feitos de gaze são incorporados com a tecnologia de rastreamento ocular que responde ao olhar de um observador ativando pequenos motores para mover as peças dos vestidos em padrões hipnotizantes. Um dos vestido é coberto com mechas de fios fotoluminescentes que oscilam a partir de tecidos inteligentes franzidos. O outro forma desenhos geométricos recortados com tecido em tiras vagamente agrupados por cima.

8. Casaco Navigate

Wearable Experiments (We:Ex) é uma empresa de tecnologia vestível que se inspirou no aplicativo Foursquare, guias de cidades online e impressos, tais como Superfuture e Wallpaper para criar roupas wearables bonitas e com design funcional. A empresa desenvolveu recentemente o belo e prático casaco Navigate que fica conectado a um aplicativo de smartphone e de forma sutil e discreta, direciona a usuária ao seu destino através de instruções visualizadas com iluminação LED integradas nas mangas.

As luzes LED indicam o quão longe a usuária está da próxima curva e a notifica sobre sua localização atual. Usando vibrações sutis nas mangas, a usuária percorre a cidade sendo direcionada a virar à esquerda, à direita ou seguir reto de acordo com o destino introduzido no aplicativo. O casaco Navigate leva o deslocamento urbano para um novo nível, permitindo aos usuários explorarem a cidade de forma completamente livre sem medo de se perderem.

É a primeira peça de roupa do mundo que redefiniu a experiência de ir de A para B. A We:Ex lançou uma nova linha de casacos feminino e masculino com localização específica para as cidades de Paris, Nova York e Sydney. Se você quiser conhecer sem medo de se perder nessas cidades é só usar um casaco Navigate não é o máximo?

9. Vestido Impresso 3D projetado para Dita Von Teese

Vestido impressos 3D são uma ideia muito bacana. A criação do primeiro vestido de malha articulado de Nylon com impressão 3D inspirado na seqüência de Fibonacci, foi apresentado pelo ícone do teatro burlesco Dita Von Teese.

Desenhado por Michael Schmidt e Francis Bitonti, impresso por Shapeways e adornado por 13.000 cristais Swarovski, ele foi apresentado no simpósio de impressão 3D no Ace Hotel New York no Fashion Week de Outono de 2013. Eles projetaram uma escultura vestível baseada no corpo nu de Dita. E ele ainda a faz parecer um pouco nua enquanto o usa. Com certeza uma peça de alta costura.

10. Vestido Galaxy 

O vestido Galaxy é a peça central da exposição “Fast Forward: Inventing the Future” no Museu de Ciência e Indústria de Chicago. Bordado com 24 mil LEDs coloridos, fez parte da maior exposição wearable no mundo. Ele foi projetado para funcionar com baterias de iPod para que a usuária possa andar por aí.

O vestido Galaxy é leve, e a parte mais pesada não é a tecnologia, mas as 40 camadas de seda plissada com organza crinolina para armar a saia. As áreas sem LEDs são decorados com mais de 4000 cristais swarovski aplicados à mão que fazem um degradê brilhante de cristal claro para rosa, de modo que o vestido pareça brilhar quando está desligado. Este é um tecidos inteligente realmente brilhante.

11. Ger Mood Sweater

O GER Mood Sweater, criado pelo laboratório de design Sensoree é baseado na tecnologia do teste de detector de mentiras, interpretando os níveis de emoção e excitação da usuária e os exibe instantaneamente com luzes LED na sua gola alta. É uma abordagem lunática a mostra novas formas de comunicação inspiradas no corpo.

Azul significa descontraída e vermelho nervosa ou irritada. Para detectar as emoções ele usa um Galvanic Skin Response (GSR). Os sensores estão localizados nas mãos que leem os níveis de excitação e traduz os dados em uma paleta de cores afetivas. Este é um tecido inteligente muito legal. Como peça conceito é bem interessante mas de forma prática porque alguém iria expor publicamente seu estado emocional?

12. Project Jacquard mostra tecnologia de tecido sensível ao toque

O Google demonstrou uma nova tecnologia de tecido sensível ao toque, e a marca de roupas Levi’s foi anunciada como parceira do Project Jacquard. A tecnologia consiste na implantação de fios condutores em tecidos, permitindo que um jeans, por exemplo, se torne uma plataforma sensível ao toque. A ideia pode ser aplicada a todo tipo de tecido, independentemente da cor e do tamanho.

No caso da Levi’s, isso pode funcionar com as calças jeans, para que o tecido atua como uma tela sensível ao toque, ou um touchpad. O usuário poderia atender a um telefonema por meio de um comando no tecido, por exemplo. Também seria possível dar um toque na roupa para trocar de música no celular, ou avançar um podcast. Isso sem precisar tirar o celular do bolso, ou um relógio inteligente.

13. Vestido de gala com LEDs

A celebridade britânica Donna Air iluminou o tapete vermelho do Prêmio BAFTA TV em um deslumbrante vestido de chiffon pêssego que ostentava um toque de “tecnologia wearable” com tiras de LEDs que são embutidas internamente no corpete e drapeados do vestido. Vários sensores de movimento criam padrões hipnóticos com brilho etéreo que refletem os movimentos de Donna. O vestido foi desenhado pela designer britânica Rebecca Street em colaboração com a House of Fraser. Isso é que é brilhar no tapete vermelho não é?

Como foi feito o vestido

14. Vestido que muda de cor com a chuva

O coreano Dahea Sun que vive em Londres é formado em design têxtil pela famosa Central Saint Martin e desenvolveu um conjunto de corantes naturais que respondem aos níveis de ph na água da chuva. Usando pigmentos solúveis em água conhecidos como antocianinas, comumente encontradas na couve roxa, amora e berinjela, Sun foi capaz de usar seu “Rain Palette” para ajudar as pessoas a visualizar a qualidade do ar através da mudança de cor dos vestidos.

Sun criou uma série de roupas de seda que combina técnicas artesanais, como tricô, crochê, bordados para mostrar dados ambientais em tempo real. Como não amar um vestido que quando chove mude de cor mostrando os dados ambientais em tempo real? Isso me lembra aquele galinho que muda de cor quando o tampo fica nublado. Pura poesia!

15. Roupas fitness Athos

Enquanto a maioria das marcas de moda ainda estão paradas no século passado, a moda esporte e fitness abraçou a tecnologia vestível em suas roupas esportivas lançando peças bonitas, práticas e inteligentes. A marca americana Athos  lançou roupas de fitness que coletam dados da performance de quem praticar exercícios vestindo-as.Trata-se de dois modelos: uma camiseta de manga comprida para ambos os sexos, uma legging feminina e uma bermuda masculina.

Essas recebem um sensor inteligente acoplado que envia dados para o smartphone via bluetooth. Assim é possível saber os batimentos cardíacos, a frequência respiratória e até a exigência muscular. Tudo através de um aplicativo que possibilita a visualização na tela do celular. Cada peça tem incorporada a tecnologia EMG que é geralmente reservado para laboratórios científicos e consultórios médicos.

Cada item de vestuário inclui atualmente 12 sensores diferentes que fornecem feedback em tempo real durante os treinos, enviando informações via Bluetooth diretamente para seu dispositivo móvel.

A roupa pode monitorar o quanto seus músculos estão se exercitando, o seu ritmo cardíaco e mesmo o seu nível de respiração. Considerando que uma máquina EMG pode custar de US$ 5.000 a US$ 15.000, as roupas atléticas laváveis em máquina da Athos custam entre US$ 99 e US$ 199.

Além da Athos a grife americana Ralph Lauren lançou a Polo Tech Shirt que pretende monitorar todas as atividades físicas do usuário através de um pequeno aparelho preso na lateral da camiseta para fornecer informações a respeito da saúde do usuário por meio de um aplicativo para smartphone ou tablet.

16. Camiseta Polo Tech Shirt

17. D-Shirt para atletas e treinadores

A D-shirt da empresa francesa Cityzen Scienses mostra como a tecnologia wearable está ficando mais bonita e prática, combinando todas as tecnologias de sensoriamento inteligentes disponíveis em uma camiseta e foi projetada para corredores, atletas e treinadores. A D-Shirt é leve, lavável em máquina e vem com um GPS, monitor de freqüência cardíaca, acelerômetro e altímetro em seu tecido.

A tela é tecida com micro-sensores que enviam dados a um pequeno transmissor destacável na parte de trás da camiseta. Isto, por sua vez, envia os dados para um aparelho via Bluetooth. No final de cada sessão, o aplicativo lhe dá um resumo do seu percurso, tempo, velocidade, freqüência cardíaca e calorias queimadas.

Ele permite que você monitore o seu treino em tempo real, se você levar o seu telefone com você, ou lhe permite que veja suas estatísticas quando você chegar em casa, caso esteja sem seu telefone. Os desenvolvedores estão trabalhando em sensores de calor, respiração e transpiração também.

18. Move, camiseta inteligente para pilates

Move é uma peça conceito de tecnologia vestível projetada pela Electricfoxy que monitora e orienta a usuária através de um aplicativo para smartphone em direção a um ótimo desempenho físico e precisão nos movimentos de uma maneira ambiente, precisa e bela.

Move inclui sensores flexíveis localizados na parte da frente, traseira e laterais. Juntos, eles leem a posição e movimento dos músculos do seu corpo, avaliam se está correto e fornece um feedback em tempo real para corrigi-lo por meio de componentes localizadas nos quadris e ombros.

Move permite avaliar, gerenciar e personalizar sua experiência e acaba se tornando um instrutor de exercícios sendo que o mais legal é que não parece que a usuária está usando um computador em forma de camisa de Pilates.

19. Sutiã esportivo inteligente NuMetrex 

O sutiã esportivo da NuMetrex faz os monitoramentos da frequência cardíaca,  calorias queimadas e o desempenho da usuária e os envia para um relógio compatível ou smartphone através do seu “tecido inteligente” que incorpora eletrodos especiais de detecção diretamente na malha do sutiã.

Em vez de ter que usar uma pesada e incômoda cinta monitora de freqüência cardíaca pesado que tende a irritar, escorregar e afrouxar durante os treinos, as mulheres podem monitorar seus treinos simplesmente vestindo esse sutiã esportivo confortável. O sutiã pode se conectar ao sistema de monitoramento da freqüência cardíaca Adidas que traz uma combinação única de precisão, conforto e conveniência entregue por nossa taxa de monitoramento vestuário esportivo.

De secagem rápida feito de tecido nylon / Lycra fornece suporte e liberdade de movimento. Além desse sutiã esportivo a empresa tem também uma camiseta esportiva com monitoramento de exercícios para os homens.

20. Vigour, cardigã de malha para fisioterapia

Vigour é um belo cardigã de malha wearable que permite que os pacientes geriátricos, fisioterapeutas e famíliares possam ter mais controle sobre os exercícios e progresso durante um processo de reabilitação. Esse cardigã tem sensores integrados flexíveis monitora os movimentos da parte superior do corpo e comunica esses dados para o provedor de serviços.

O cardigã pode ser usado durante todo o dia para coletar dados, e pode ser usado durante a execução de exercícios de fisioterapia. Um aplicativo de iPad usa esses dados para dar feedback direto para o usuário e o fisioterapeuta, através de sons para visualizar o progresso.

21. TshirtOS 2.0 a camiseta com estampa de LEDs

A ideia de roupas digitalmente customizáveis se tornou realidade a partir de tecidos cobertos com LEDs, desenvolvidos pela Cutecircuite chamada TshirtOS 2.0 em colaboração com a empresa de Whisky Ballantine. O fabricante afirma que a camiseta não é apenas programável via smartphone mas lavável e flexível o suficiente para ser amassada sem danificar os LEDs que forma estampas luminosas na frente da camiseta 100% algodão. Camiseta ótima para uma balda não é?

Pesquisadores portugueses do Centro de Nanotecnologia e Materiais Inteligentes criaram um material têxtil fotovoltaico chamado Dephotex, com as características esperadas deste tipo de material: flexível, leve, durável e resistente. O aspecto mais interessante destes painéis fotovoltaicos é que eles podem ser usados em tudo, de tecidos a plásticos. Eles têm testado esses painéis em carros, de modo que a bateria de um carro possa ser carregada com energia solar se o veículo for deixado por um dia inteiro sob o sol.

O termo “circuito impresso” nunca foi tão literal com a “serigrafia eletrônica” que promete eletrônicos descartáveis utilizando o mesmo processo para imprimir desenhos em camisetas e foi adaptado para criar camadas de transistores, resistores e capacitores. Pesquisadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura, simplificaram drasticamente o processo de imprimir circuitos eletrônicos flexíveis que agora podem ser construídos em plásticos, folhas flexíveis de alumínio, papel e até tecido.

A grande vantagem da técnica é que ela é aditiva, com os componentes sendo impressos em camadas como as tintas de várias cores são aplicadas por diversas telas na serigrafia. Isto dispensa os produtos químicos corrosivos usados pela eletrônica convencional. Em alguns anos teremos roupas com estampas em movimento e que poderão ser trocadas via smartphones.

Com a miniaturização cada vez maior dos componentes eletrônicos e o desenvolvimento de novos materiais que possibilitem que sejam flexíveis e resistentes a água e corrosão, em poucos anos será possível integrar esses micro-circuitos diretamente na trama dos tecidos com fios condutores ou através de estamparia ou bordado.

Condutores de material flexível feitos de impressão 3D sobre tecido de alta flexibilidade feitos de um filamento de borracha elastomérica que adere muito bem sobre quase qualquer coisa, incluindo metal, acrílico e vidro. Com a miniaturização e nanotecnologia os circuitos eletrônicos ficarão escondidos nas roupas.

3 Comentários

  1. MARAVILHA ESSE MATERIAL, RENATO !!!!!
    A PERGUNTA É : QUANDO VEREMOS ISSO CHEGAR MESMO ÀS RUAS ????

    ESSES TECIDOS COM SENSORES PRA CONTROLE DE PRESSÃO ARTERIAL E OUTRAS TAXAS , SÃO EXTRAORDINÁRIOS !!!!

    CHALAYAN É GÊNIO, SIM, RENATO !!! VÍ UMA EXPOSIÇÃO RETROSPECTIVA DELE, EM PARIS, HÁ UNS 3 OU 4 ANOS ATRÁS, QUE ERA UMA COISA EMOCIONANTE !!!
    UM TRABALHO DE PESQUISA, GRANDIOSO !!!!

DEIXE UMA RESPOSTA