O mercado da moda atual é regido por ciclos curtos de vida, baixa previsibilidade e alto consumo por impulso. Os jovens consumidores das gerações Y e Z estão transformando o varejo á procura de roupas originais, personalizadas e experiência de compra, em contraste com a esmagadora variedade de roupas que estão sendo produzidas por redes varejistas de moda a cada semana, o que resulta na produção excessiva e resíduos.

Uma possível solução para os desafios da produção de vestuário tem surgido nos últimos anos através da fabricação sob demanda, abordando vários problemas ao mesmo tempo: economia de recursos, reduzir o desperdício, criar mais possibilidades para as marcas pequenas, e proporcionar um novo tipo de conexão com o consumidor.

No ano passado, a Uniqlo lançou o Innovation Factory, uma joint venture com a fabricante de máquina de tricô computadorizado Shima Seiki, para o desenvolvimento e fabricação de produtos de malha sem costura visando estabelecer um novo sistema de produção.

A Adidas concluiu recentemente seu projeto de três meses chamado Knit for You, onde os clientes podem personalizar um suéter de lá virtualmente, fazer uma varredura do corpo para determinar o ajuste certo e depois receber em poucas horas a peça tecida numa máquina de tricô plano Stoll.

Liderados por um consórcio de entidades públicas e privadas e apoiado pelo governo alemão, o projeto teve como objetivo explorar a produção localizada de “Vestuário 4.0” ao incentivar as pessoas a usar tecnologia interativa para co-criar roupas sob medida. Adidas está agora analisando o feedback para que o conceito se torne o futuro da fabricação e visão de varejo da empresa.

O conceito está ficando popular, especialmente com startups e pequenas marcas. Ano passado, a marca de moda masculina Ministry of Supply lançou o primeiro blazer de malha sem costura 3D do mundo, e abriu sua primeira loja com uma máquina de tricô 3D robótica 3D em Boston, dando aos clientes a oportunidade de personalizar seus blazers e recebê-los em 90 minutos. 

Outra empresa, a Unmade de Londres, fornece produtos exclusivos e personalizados utilizando seus próprios sistemas de software e máquina de tricô plano Stoll para produzir peças de malha únicos. Desta forma, a marca tem como objetivo criar uma cadeia de fornecimento de malhas mais relevante e sustentável. Outra marca pequena que segue o mesmo conceito é a The Girl and the Machine.

No site da Unmade os consumidores podem selecionar um estilo e escolher o seu desenho favorito. Durante milênios as roupas foram feitas de forma personalizada mas isso começou a mudar no período entre 1898 e 1910, quando a indústria do vestuário feito em massa arrancou de fato, tanto na Inglaterra como na América.

Vestuário 4.0 - A fabricação sob demanda para malhas stylo urbano

A ideia de oferecer uma experiência de compra personalizada, interativa e totalmente personalizável não é meramente um produto do futuro, mas uma tendência emergente no campo da tecnologia da moda. Em 2014, a empresa francesa Klépierre, especialista em shoppings centers, percebendo essa tendência de comportamento desenvolveu o Inspiration Corridor, um corredor digital que usa reconhecimento facial e corporal para fazer recomendações de compra.

O “Corredor da Inspiração” tem 7 metros de comprimento por 3 de altura e cabe dentro de uma loja, shopping, ou qualquer outro espaço de consumo. Quando uma pessoa entra no local uma câmera com kinect (sensor de movimentos) controlada por IA escaneia todo o seu corpo. A partir daí são extraídos dados como sexo, idade e estilo pessoal. Tudo feito sem vendedores.

Nos telões laterias aparecem vários roupas a qual o cliente poderá escolher e personalizar. O interessante é que depois de enviar o pedido, as roupas poderão ser produzidas por máquinas de tricô instaladas em outro local, e enviadas para a casa do cliente.

Shima Seiki celebrou seu 55º aniversário com desfile de moda de tirar o fôlego cujas roupas foram feitas inteiramente em suas máquinas de tricô. Pela primeira vez, a Shima realizou um desfile de moda que combinou modelos reais e versões animadas de modelos 3D criadas por seu software SDS ONE APEX3 Design Systems. Um total de 66 looks diferentes foram mostrados por 29 modelos, sendo que 44 eram reais e 20 eram virtuais. Veja o desfile abaixo.

DEIXE UMA RESPOSTA