A maior montadora do mundo está entrando no negócio de compartilhamento de carros, se preparando para um mundo com menos carros próprios. A Volkwagen revelou recentemente sua nova marca Moia, que consiste numa confortável minivan elétrica de seis lugares com portas USB, luzes de leitura e Wi-Fi para cada passageiro. O usuário poderá chamar a minivan pelo aplicativo no smartphone e os algoritmos irão otimizar o compartilhamento do veículo pelos clientes, combinando seus destinos.

O serviço de compartilhamento vai começar a operar nas ruas de Hamburgo, Alemanha, na segunda metade de 2018 com uma frota de 200 veículos, que depois será expandida para 1.000 veículos. O próximo passo será oferecer a minivan em diversas cidades na Europa e EUA. A Volkswagen sabe que esse serviço vai diminuir a venda de seus carros mas reconheceu que se não fizerem isso, os concorrentes irão.

O objetivo da Volkswagen com o Moia é desenvolver um amplo portfólio de serviços sob-demanda que vão melhorar os deslocamentos das pessoas e reduzir o congestionamento urbano e a poluição. Mas a Volkswagen não é a única montadora que está investindo no nicho de transporte digital. Em setembro de 2016, a Ford adquiriu a Chariot, um serviço de compartilhamento de minivans em San Francisco, como parte de seus esforços para fornecer alternativas de transporte.

Chariot, desde então, expandiu-se para outras cidades americanas. Talvez esse serviço de minivans consiga aliviar o tráfego urbano de forma mais eficiente do que o Uber e Lyft, que aumentaram o congestionamento desde a sua adoção nas grandes cidades. Com as montadoras agora investindo no nicho de veículos compartilhados, os sindicatos dos taxistas vão enfrentar outros concorrentes de peso além do Uber e Lyft.

DEIXE UMA RESPOSTA